A reciclagem de óleo de fritura na fabricação de sabão e velas ecológicas como instrumentos de educação ambiental e resgate social / The frying oil recycling in the soap and eco candles manufacturing as enviromental education and social rescue instrumental

YlêniaNaline Carvalho Correia, José Carlos Soares Mariano, Robston André Castro da Silva, Claudine Gonçalves de Oliveira

Resumo


O principal objetivo deste trabalho foi realizar práticas de educação ambiental em ambientes não- formais com grupos de mulheres vítimas de violência doméstica, atendidas pela Ronda Maria da Penha do 6º BPM/Senhor do Bonfim (BA), através da produção de sabões e velas ecológicas, utilizando a reciclagem de óleos residuais de fritura doméstica e industrial. Sabe-se que a produção e o consumo de óleos de origem vegetal têm aumentado no mundo todo, chegando a substituir a produção de óleos de origem animal, em resposta a alta demanda na alimentação humana e animal. Tal aumento tem gerado grande preocupação em relação ao meio ambiente, já que provoca prejuízos caso seja descartado de forma incorreta. Os óleos descartados nas pias provocam o entupimento das tubulações nas redes de esgoto, dificulta o tratamento desses esgotos e aumenta seus custos em até 45%, além de, causar desconforto a população devido ao mau cheiro exalado. Já o lançamento dos óleos no solo provoca sua impermeabilização, deixando-o poluído e impróprio para uso. O reaproveitamento do óleo para produção de sabão e velas tem sido uma das alternativas mais simples para sua reciclagem. A utilização dessas técnicas em atividades que promovam a educação ambiental entre jovens e adultos em ambientes não formais. Para isso, foram realizadas oficinas de produção de sabões e velas artesanais a fim de ensinar as técnicas de produção, assim como, abordar as implicações econômicas, sociais e ambientais. Atrelada as oficinas foram realizadas dinâmicas de grupo, treinamento sobre empreendedorismo e palestras que promovem resgate social. Durante as oficinas, as mulheres participantes das atividades receberam orientações sobre a coleta seletiva dos óleos, o impacto no meio ambiente provocado pelo descarte incorreto de óleos de fritura, assim como, receberam orientações sobre a maneira de recolher, descartar e armazenar adequadamente o óleo usado. Elas se mostraram interessadas e motivadas em participar das oficinas de produção de sabões e velas ecológicas e, bastante sensibilizadas com a questão ambiental envolvida no descarte incorreto dos óleos de cozinha, provenientes de frituras, no meio ambiente. Atualmente, todo o processo de produção dos sabões e velas ecológicas, desenvolvido pelas mulheres atendidas pelo projeto ocorre informalmente, sendo a fabricação e a comercialização feitas de forma caseira de porta em porta e em feiras de economia solidária.

 


Palavras-chave


sustentabilidade, coleta seletiva, Ronda Maria da Penha, flores de mandacaru

Texto completo:

PDF

Referências


BARBOSA, N. G., PASQUALETTO, A. Aproveitamento do óleo residual de fritura na produção de biodiesel. (Departamento de Engenharia Ambiental). Universidade Católica de Góias, 2007. Disponível em: Acesso em: maio de 2018.

BIODIESEL. Reciclagem de óleo de cozinha. Disponível em: . Acessado em março de 2008. BRASIL. Resolução nº 275, de 25 de abril de 2001 do Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA).

DESER, Departamento de Estudos Sócio-Econômicos Rurais. Produção e consumo de óleos vegetais no Brasil. Boletim Eletrônico do Deser Nº 159 - Junho 2007. Disponível em: www. deser.org. br/documentos/boletimcompleto/Boletim 159. pdf> Acesso em: 15agosto de 2018.

ISAAC, G. E. A. O desenvolvimento sustentável do setor cosmético e o comportamento do consumidor frente aos cosméticos sustentáveis: Dissertação (Mestrado acadêmico em Educação, Ambiente e Sociedade) – Centro Universitário das Faculdades Associadas de Ensino, São João da Boa Vista, 2016.

PARAÍSO. Programa de coleta seletiva de óleo de cozinha usado. Disponível em: . Acessado em abril de 2008.

PORTO ALEGRE. Meio Ambiente. Disponível em: Acessado em abril de 2008.

REIGOTA, Marcos. Meio Ambiente e representação social. 6 ed. São Paulo: Cortez, 2004.

SABESP. Reciclagem de óleo de cozinha. 2011. Disponível em: www.sabesp.com.br. Acesso em: 15 agosto de 2018.

SARAIVA, M. A.; MARTINS, J. S.;TUYA, K. C. DE; SOUZA, J. M.; BECKER,.SENSIBILIZAÇÃO E MOBILIZAÇÃO SOCIAL ATRAVÉS DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL. Extensão em Ação, Fortaleza, v. 2, n. 9, 2015.

SILVA, J. P. Direitos humanos: Lei Maria da Penha, o que conquistamos e o que podemos conquistar? / Jean Patrício da Silva. – Cabedelo, PB: [s.n], 2015.

TAMAIO, I. A Mediação do professor na construção do conceito de natureza. Campinas, 2000.Dissert.(Mestr.) FE/Unicamp.

WAISELFISZ J.J. Mapa da violência 2015. Os novos padrões da violência homicida no Brasil. Caderno complementar 1: Homicídio de mulheres no Brasil. São Paulo. Instituto Sangari. 2015.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.