Concepções, práticas e interdisciplinaridade: educação ambiental em um centro de excelência de Aracaju, Sergipe / Conceptions, practices and interdisciplinarity: environmental education in Aracaju, Sergipe excellence center

Gardênia Carla Silva Ramos, Sindiany Suelen Caduda dos Santos

Resumo


Este trabalho objetiva analisar as concepções de professores e gestores acerca da Educação Ambiental em um Centro de Excelência de Aracaju, Sergipe, bem como as práticas desenvolvidas na instituição. A pesquisa de abordagem quali-quantitativa foi realizada por meio das técnicas de questionário aberto com os professores e entrevistas semiestruturadas com os gestores do Centro de Excelência. Para análise das concepções dos professores e gestores as respostas foram categorizadas a partir da Análise de Conteúdo. Os resultados indicam que há uma predominância nas macrotendências Conservacionista e Pragmática. Além disso, a Educação Ambiental não é tratada de forma interdisciplinar, como mostra a maioria dos relatos, que retomam a Educação Ambiental para as matérias das Ciências da Natureza. Por fim os resultados demonstram a fragilidade com que a Educação Ambiental tem sido tratada no ensino formal e o quanto se faz necessário pensar em uma Educação Ambiental Crítica.


Palavras-chave


Educação, Escola, Formação ambiental.

Texto completo:

PDF

Referências


BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo (L. de A. Rego & A. Pinheiro, Trads.). Lisboa: Edições 70, 2006

BRASIL, Lei de diretrizes e bases da educação nacional, Brasilia: MEC1996

BRASIL, Parametros curriculares Nacionais-PCNs. Meio Ambiente. Brasilia: MEC, 1998

BRASIL, Parametros curriculares Nacionais-PCNs. Meio Ambiente. Brasilia: MEC, 1997

BRASIL, Plano Nacional de Educação- PNE, Brasilia: MEC 2014

BRASIL, Programa Parâmetros em Ação PCN: Meio Ambiente na escola, Ministério da Educação, Secretaria de Educação Fundamental, Caderno de apresentação, Junho de 2001.

DIAS, Genibaldo Freire. Educação ambiental: princípios e práticas. São Paulo: Editora Gaia, 1994.

CANDIANI, G.; LAGE, M.; VITA, S.; SOUZA, W.; WILSON-FILHO. Educação Ambiental: percepção e práticas sobre meio ambiente de estudantes do Ensino Fundamental e Médio. Rev. Eletr. Mestr. Educ. Ambiental, nº 12, p. 74-89, 2004.

CARVALHO, I. C. M. Educação Ambiental: a formação do sujeito ecológico. 4ª edição, Cortez, São Paulo, 2008.

GUIMARÃES, Mauro. Por uma educação ambiental crítica na sociedade atual. Rio de Janeiro 2016

LAYRARGUES, P. O,. LIMA, G. F. da C., Mapeando as macros- tendências políticas- pedagógicas da Educação Ambiental contemporânea no Brasil. Ribeirão Preto, 2011

COIMBRA, A. S., interdisciplinaridade e educação ambiental: integrando seus princípios necessários, Juiz de Fora , 2010.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à pratica educativa. 25º ed. São Paulo. Terra e paz, 1996. 165 p.

GERHARDT, T. E., SILVEIRA, D.T., Métodos de pesquisa, Rio Grande do Sul: editora da UFRGS. 1º, ed. 2009

GUIMARÃES, Mauro. Educação ambiental: no consenso um embate? Campinas: Papirus, 2002.

HERNÁNDEZ, Fernando. Transgressão e mudança na escola: os projetos de trabalho. Porto Alegre: Artmed, 1998.

JACOBI, P. R. Educação Ambiental: o desafio da construção de um pensamento crítico, complexo e reflexivo. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n.2, p 233-250, maio/agosto, 2005.

LEFF, Enrique. Saber Ambiental: sustentabilidade, racionalidade, complexidade e poder. 4º ed. Petrópolis: Vozes, 2001. 343 p.

MARCONI M. A, LAKATOS E. M., Técnicas de pesquisa: planejamento e execução de pesquisa, amostragem e técnicas de pesquisa, elaboração, analise e interpretação de dados. – 7. ed- 3. Reimpr. São Paulo: Atlas, 2010.

NICOLETTI, E. R., SEPEL, L M N., Contextualização e interdisciplinaridade nas provas do Enem: analisando as questões sobre vírus Revista de ensino de ciências e matemáticas, 2006

OLIVEIRA1 A. L., OBARA A. T., RODRIGUES M. A., Educação ambiental: concepções e práticas de professores de ciências do ensino fundamental, Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciências Vol. 6, Nº3, 471-495 2007

PENTEADO, Heloísa Dupas. Meio ambiente e formação de professores – 5. Ed. São Paulo: Cortez, 2003

REIGOTA, Marcos. “Meio Ambiente e Representação Social”. 3ºed. São Paulo: Cortez. 1998

REIGOTA, Marcos. O que é educação ambiental. 3. reimpr. São Paulo: Brasiliense, 2001. 63. (coleção Primeiros Passos, 292)

REIGOTA, Marcos. Meio ambiente e representação social. São Paulo: Cortez, 2004.

SATO, Michele. Educação ambiental São Carlos, RiMa, 2002.

SATO, Michèle. Para quem servirá Jo’Burg 2002?. In: CONFERÊNCIA LATINOAMERICANA SOBRE MEIO AMBIENTE, 5., 2002, Belo Horizonte. Anais... Belo Horizonte: [s.n.], 2002. [Reproduzido em: Educação Ambiental em Ação, ano 1, n. 2, set./nov, 2002. Disponível em: >http://www.revistaea.org/artigo.php?idartigo=58&class=20<. Acesso em: 30 set 2018].

SANTOMÉ, J. T. Globalização e Interdisciplinaridade. Porto Alegre: Artmed, 1998.

SAUVÉ, L. Educação Ambiental e desenvolvimento sustentável: uma análise complexa. Revista Educação Pública, v.6, n.10, p. 72-102, 1997. Disponível em: http://www.ufmt.br/revista/arquivo/rev10/educacao_ambiental_e_desenvolvim.html. Acesso em: 27/09/2017

SUAVÉ, L. Educação Ambiental: possibilidades e limitações. Educação e pesquisa. Ago. 2005, vol.31,nº.2, p. 317-322.

TORRES, Juliana Rezende; FERRARI, Nadir; MAESTRELLI, Sylvia Regina Pedrosa. Educação ambiental crítico-transformadora no contexto escolar: teoria e prática freireana. In: LOUREIRO, C. F. B.; TORRES, J. R (Orgs). Educação Ambiental: dialogando com Paulo Freire. Cortez editora: São Paulo, 2014.

TOZONI-REIS, M. F. de C. Fundamentos Teóricos para uma pedagogia crítica da educação Ambiental: algumas contribuições. Caxambu, 2007. Trabalho apresentado no GT 22 da 30ª Reunião Anual da Anped.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.