Estratégias de gestão ambiental adotadas pelo setor elétrico para controle do Limnoperna Fortunei / Environmental Management Strategies Adopted by Limnoperna Fortunei Power Sector to Control

Romero de Albuquerque Maranhão, Norberto Stori

Resumo


O Limnoperna fortunei é responsável por impactos sócio-ambientais e econômicos, principalmente no setor hidrelétrico responsável pela maior parte da produção de energia elétrica no Brasil. Possui alta capacidade de reprodução, podendo se reproduzir durante todo o ano com alguns picos nas estações mais quentes e sua capacidade de dispersão deve-se ao fato da espécie possuir uma fase larval em seu ciclo de vida onde é livre. Esta característica aliada à ausência de predadores naturais e capacidade de adaptação faz com que a espécie se reproduza demasiadamente formando aglomerações que causam impactos ambientais e econômicos. O objetivo desta pesquisa é apresentar as estratégias de gestão ambiental que as empresas do setor elétrico têm utilizado para controlar a expansão do mexilhão dourado e evitar seus impactos ao setor energético. Esta é uma pesquisa qualitativa de caráter exploratório, já que se propõe a preencher uma lacuna no conhecimento a respeito das estratégias de gestão ambiental adotadas por empresas do setor elétrico. Os resultados apontam que as estratégias de gestão ambiental adotadas pelas empresas do setor elétrico estão relacionadas a técnicas de controle químico, físico, monitoramento e educação ambiental. O estudo aponta que o sucesso de cada estratégia depende das condições ambientais da localidade, além da cooperação da população que pode indicar os locais de ocorrência das colônias de mexilhão e evitar o seu transporte com medidas de controle sanitário.

 


Palavras-chave


Mexilhão Dourado, Invasão Biológica, Hidroelétrica, Educação Ambiental

Texto completo:

PDF

Referências


DARRIGRAN, G. Potential impact of filter-feeding invaders on temperate inland freshwater environments. Biological Invasions. V.4. n.1 - 2. p.145 - 156. 2002.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4.ed. São Paulo: Atlas, 2002.

GIORDANI, S.; NEVES, P. S.; ANDREOLI, C. V. Limnoperna fortunei ou mexilhão dourado: impactos causados, métodos de controle passíveis de serem utilizados e a importância do controle de sua disseminação. Anais... In: 23º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental, 2005. Disponível em: http://www.sanepar.com.br/sanepar /CalandraKBX/filesmng.nsf/81AC3A621DD26DAD832570B50065D5A9/$File/VI-168Mex ilhaoDourado.pdf?OpenElement. Acesso em: 17 de setembro de 2015.

KOWALSKI, E. L.; KOWALSKI, S. C. Revisão sobre métodos de controle do mexilhão dourado em tubulações. Revista Produção On-line, v. 8, n. 2, Julho/2008.

MAGARA, Y.; et. al. Invasion of the non-indigenous nuisance mussel, Limnoperna fortunei, into water supply facilities in Japan. Journal of Water Supply: Research and Technology. USA, v. 50, n. 3, p. 113-124, 2001.

OLIVEIRA, M. D. O Mexilhão Dourado Causará Danos Ecológicos na Bacia do Miranda. Disponível em: http://www.agronline.com.br/artigos/artigo.php?id=159&pg=1&n =2. Acesso em: 17 de setembro de 2015.

RESENDE, M.F.; MARTINEZ, C.B. Impacto da infestação de condutos forçados de PCH’s pelo Limnoperna fortunei. Anais ... In: VI Simpósio Brasileiro sobre Pequenas e Médias Centrais Hidrelétricas. Belo Horizonte, 2008.

ZILLER, S. R. Plantas Exóticas invasoras: a ameaça da contaminação biológica. Ciência Hoje, v.30, p.77 - 79. 2001.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.