Análise da ocorrência de acidentes de trabalho em uma indústria de fios e cabos de cobre / Analysis of work accidents occur on a wire and copper cables industry

Aianna Rios Magalhães Véras e Silva, Francimara Carvalho da Silva, João Isaque fortes Machado, Pamella Fortes Machado Soares Costa, Camila Sepúlveda Gomes, Chandes Ivonor de Araújo Sousa, Leandra Silvestre da Silva Lima

Resumo


O presente estudo foi desenvolvido devido a grande preocupação das indústrias de transformação com acidentes de trabalho e seus impactos econômicos-sociais. para isso, foram explanados os principais conceitos e frequências de acidentes de trabalho em uma indústria de fios e cabos de cobre, configurando a pesquisa como um estudo de caso. Para sua execução, elaborou-se questionários com o objetivo de levantar dados. Após isso, foi analisado a quantidade de acidentes em relação ao tempo de trabalho e idades, mencionando as lesões sofridas pelos trabalhadores. Diante disso, foi possível constatar que na empresa em questão a maior ocorrência de acidentes de trabalho acontece quando os colaboradores trabalham há mais de 5 anos em seu setor, devido ao excesso de confiança no trabalho executado. Por fim os resultados obtidos contrastam-se com trabalhos anteriormente realizados.


Palavras-chave


acidentes de trabalho, indústria de transformação, tempo de trabalho.

Texto completo:

PDF

Referências


ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 14280/01: Cadastro de Acidente do Trabalho – Procedimento e Classificação. Rio de Janeiro: ABNT, 2001.

BLANCH, A. et al. Age and lost working days as a result of an occupational accident: Astudy in a shiftwork rotation system. Safety Science Journal, v. 47, p. 1359-1363, 2009.

CLASSIFICAÇÃO NACIONAL DE ATIVIDADES ECONÔMICAS - CNAE: versão 2.0. Rio de Janeiro:

IBGE, 2007a. p 93. Disponível em:

. Acesso em: 30.mai. 2016.

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL. Disponível em:

. Acesso em: 01.jun. 2016.

FORTES, Viviane de Jesus. Análise de acidentes fatais investigados pelo MTE de acordo com o porte da empresa:. 302 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Medicina de Botucatu, São Paulo, 2009.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 1991.

GONÇALVES, O. G. O.; DIAS, A. Três anos de acidentes do trabalho em uma metalúrgica: caminhos para seu entendimento. Ciência & Saúde Coletiva. Rio de Janeiro, vol. 16, n. 2, 635-646, 2011.

MATTOS, U. A. O., MÁSCULO, F. S. (orgs.). Higiene e Segurança do Trabalho. Rio de Janeiro: Elsevier/Abepro, 2011. 408 p . (Abepro).

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO. Estratégia Nacional para a Redução de Acidentes de Trabalho. 2015.

PASTORE J. País gasta $ 72 bilhões por ano com acidentes de trabalho. Estadão E&N. São Paulo. 2012. Disponível:< http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,pais-gasta-r-72-bilhoes-por-ano-com-acidente-de- trabalho-imp-,825342>. Acesso em: 30.mai.2016.

PRODANOV, C. C.; FREITAS E.C. Metodologia do trabalho científico [recurso eletrônico]: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. 2 ed. Novo Hamburgo: Universidade Feevale, 2013.

PROTEÇÃO, Revista. Anuário Brasileiro de Proteção 2015. Revista Proteção. Disponível em: < http://www.protecao.com.br/materias/anuario_brasileiro_de_p_r_o_t_e_c_a_o_2015/brasil/AJyAAA >. Acesso em: 30.mai. 2016.

SAAD, E. G. Introdução à engenharia de segurança do trabalho; textos básicos para estudantes de engenharia. São Paulo, FUNDA-CENTRO, 1981. 547 pág.

SANTANA, V.; NOBRE, L.; WALDVOGEL B. C. Acidentes de trabalho no Brasil entre 1994 e 2004: uma revisão. Ciência & Saúde Coletiva. vol.10. n.4. Rio de Janeiro, out/dez. 2005.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.