Ação de educação ambiental e avaliação da situação sanitária no mercado municipal elo perdido de Ananindeua/PA: comparativo entre 2014 e 2017 / Action of environmental education and evaluation of the sanitary situation in the municipal market elo lost from Ananindeua/PA: comparative between 2014 and 2017

Juliana Lopes de Oliveira, Francisca Nara da Conceição Moreira, Cinthya Karen Assunção do Rosário Duarte, Marcos Vinicius da Silva Rebelo, Bruno de Almeida da Silva, Erica do Socorro da Silva Casanova, João Diego Alvarez Nylander, Francianne Vieira Mourão

Abstract


Este trabalho teve como objetivo sensibilizar e conscientizar os feirantes do mercado denominado “Elo Perdido”, localizado no município de Ananindeua, no estado do Pará – Brasil, bem como os moradores da comunidade próxima ao mercado sobre o tema resíduo sólido urbano, a fim de sensibilizá-los da importância de contribuir para a  manutenção e limpeza dos espaços de venda, circulação e armazenamento dos resíduos gerados diariamente. Para tanto, foi adotado o método de mobilização e sensibilização comunitária, a partir de uma análise diagnóstica da realidade com definição de estratégias de educação ambiental, na forma de palestra e oficina realizadas em um único dia no mês de setembro de 2014. A partir da análise realizada, observou-se a escassez de informações acerca dos resíduos sólidos, bem como o frágil entendimento da relação de um ambiente salubre e a atração de novos clientes. A palestra abordou situações reais do local envolvendo os feirantes e população do entorno. A oficina de reciclagem teve como público alvo as crianças e adolescentes da comunidade. Tais ações contaram com a participação de 26 pessoas, entre adultos e crianças. A partir da análise das observações,  conclui-se que a mobilização e sensibilização comunitária realizada obteve êxito e favoreceu mudanças em relação à educação ambiental no cotidiano individual e coletivo, uma vez que, a partir dos incentivos a comunidade do entorno do mercado, se estimulou a busca por melhorias cabíveis aos problemas locais apresentados. No ano de 2017, foi possível observar, a partir do retorno da equipe de pesquisa, que houve melhoria na salubridade do mercado, bem diferente da situação encontrada no ano de 2014. Além disso, é notório perceber que um bom programa de coleta e armazenamento de resíduos requer efetivamente a participação do gerador do resíduo na manutenção do sistema, sobretudo em feiras e mercados das cidades.


Keywords


Mobilização Comunitária, Educação Ambiental.

References


ALTIN, A. Environmental awareness level of secondary school students: A case study in Bal?kesir (Türkiye). Procedia – Social andBehavioralSciences, p 1208-1214, 2014.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretária de Educação do EnsinoFundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Ciências Naturais. Terceiro e quartociclos do ensino fundamental. Brasília, DF, 1998. 51 p.

CARVALHO, Isabel Cristina de Moura. Educação ambiental: a formação do sujeitoecológico. São Paulo: Cortez. 2004, 256 p.

FONSECA, S. M. A EDUCAÇÃO AMBIENTAL COMO DISCIPLINA. Revbea, São Paulo, V. 11, nº 1, 305-314, 2016.

FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE. Manual de saneamento. 3a Ed. Brasília: Fundação Nacional de Saúde; 2004.

JACOBI, P. Educação Ambiental, Cidadania e Sustentabilidade. São Paulo: Caderno de Pesquisa, n. 118, março/2003. p. 192.

JACOBI, P. R. Educação ambiental: o desafio da construção de um pensamento crítico, complexo e reflexivo. Educ. Pesqui. [online]. 2005, vol.31, n.2, pp. 233-250.

LIN, M. H.; H. U, J., TSENG, M. L.; CHIU, A. S. F.; LIN, C. Sustainable development in technological and vocational higher education: balanced scorecard measures with uncertainty. J. Clean. Prod. 120, 1e12. http://dx.doi.org/10.1016/ j.jclepro.2015.12.054, 2016.

LOUREIRO, C.F.B. Sustentabilidade: Em defesa da educação ambiental no brasil. In: SILVA, M.L. Org. Políticas e práticas de educação ambiental na Amazônia: Das unidades de conservação aos grandes empreendimentos econômicos. Belém: UFPA; GEAM, p.13-27. 2014.

MANNARINO, C. F.; FERREIRA, A. F.; GANDOLLA, M. (2016) Contribuições para a evolução do gerenciamento de resíduos sólidos urbanos no Brasil com base na experiência Européia, Rio de Janeiro. Revista Engenharia Sanitária e Ambiental, v. 21, n. 2, p.379-385.

MARTINS, D. G. HANAZAKI, H. KRELLING, A. G. K. Navegando entre a Etnoecologia e a Educação Ambiental: narrativas de estudantes de uma escola de Governador Celso Ramos (SC). Revbea, São Paulo, v. 12, nº 1, 139-154, 2017.

PÁDUA, S.; TABANEZ, M. (orgs.). Educação ambiental: caminhos trilhados no Brasil. São Paulo: Ipê, 1998.

RAMOS, T.B.; CAEIRO, S.; HOOF, B.; LOZANO, R.; HUISINGH, D.; CEULEMANS, K. Experiences from the implementation of sustainable development in higher education institutions: environmental Management for Sustainable Universities. J. Clean. Prod. 106, 3-10. http://dx.doi.org/10.1016/j.jclepro.2015.05.110.

RAUEN, T.R.S.; LEZANA, A.G.R.; DA SILVA, V. Environmental management: an overview in higher education institutions. Procedia Manuf. 3, 3682-3688, 2015. http://dx.doi.org/10.1016/j.promfg.2015.07.785

RODRIGUES, A.S.L.; RESENDE-NETO, O.A.; MALAFAIA, G. Análise da percepção sobre a problemática relativa aos resíduos sólidos urbanos revelada por moradores de Urutaí, Goiás. Enciclopédia Biosfera. Goiás; v. 6, n. 11, p. 1-10, 2010.

SCORTEGAGNA P.A.; OLIVEIRA R.C.S. Educação: integração, inserção e reconhecimento social para o idoso. Revista Kairós Gerontologia, 13 (1), São Paulo, junho, 53-72, 2010.

SOARES, N. A; FARIAS, M. E. As visitas orientadas ao aterro sanitário como estratégia para abordar conceitos sobre resíduos sólidos em Igrejinha-RS. In: Seminário Internacional de Educação em Ciências, 2014, Rio Grande. Anais do Seminário Internacional de Educação em Ciências. v 2, 2014.

SURYAWANSHI, K.; NARKHEDE, S. Green ICT for sustainable development: a higher education perspective. Procedia Comput. Sci. 70, 701e707, 2015. http:// dx.doi.org/10.1016/j.procs.2015.10.107.

TAMAIO, I. A Mediação do professor na construção do conceito de natureza. Dissert.(Mestr.) FE/Unicamp. Campinas, 2000.

TRISTÃO, M. Tecendo os fios da educação ambiental: o subjetivo e o coletivo, o pensado e o vivido. RevistaEducaçãoPesquisa, v.31, n.2. São Paulo, maio/ago. 2005.

WILSON, L. Promoting climate change awareness through environmental education. In: Advances in Environmental Engineering and Green Technologies, first ed. IGI Global, p. 306. http://dx.doi.org/10.4018/978-1-4666-8764-6, 2016.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. Envelhecimento ativo: uma política de saúde. Tradução Suzana Gontijo. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde, 60p. 2005.

ZSOKA, A.; SZERENYI, Z.M., SZECHY, A.; KOCSIS, T. Greening due to environmental education? Environmental knowledge, attitudes, consumer behavior and everyday pro-environmental activities of Hungarian high school and university students. J. Clean. Prod. 48, 126-138, 2013. http://dx.doi.org/10.1016/ j.jclepro.2012.11.030.




DOI: https://doi.org/10.34115/basr.v2i4.505

Refbacks

  • There are currently no refbacks.