Avaliação clínica dos casos de otite externa em cães atendidos no hospital veterinário da Universidade Federal rural de Pernambuco / Clinical evaluation of external otite cases in dogs at the veterinary hospital of Universidade Federal rural de Pernambuco

Evilda Rodrigues de Lima, Eugenio Rodrigues Bezerra Filho, Lais Albuquerque van der Linden, Renan Felipe Silva Santos, Rhaysa Allayde Silva Oliveira, Magda Fernandes, Vanessa Carla Lima da Silva, Miriam Nogueira Teixeira

Resumo


Caracterizada por um processo inflamatório no conduto auditivo externo a otite externa afeta grande parte dos pacientes na rotina clinica veterinária. Com patogenicidade fungica ou bacteriana, seu tratamento deve ser escolhido com base nos resultados dos exames clínicos e laboratoriais, desde a limpeza do conduto auditivo com soluções salinas e ceruminolíticos,  terapias antibióticas tópicas ou sistêmicas até intervenções cirúrgicas em casos mais graves. Dos pacientes estudados 16,6% dos animais possuíam uma infecção mista por Pseudomonas ssp. + Malassezia pachydermatis, 33,3% possuíam uma infecção mista por Staphylococcus ssp. + Malassezia pachydermatis, 25% possuíam infecção por Staphylococcus e 25% dos animais possuíam uma infecção causada somente por Malassezia pachydermatis. No teste de sensibilidade in vitro aos antimicrobianos alopáticos revelou que a amostra de Pseudomonas ssp foi sensível a todos os antimicrobianos testados. O isolamento de Staphylococcus ssp., Pseudomonas ssp. e Malassezia pachydermatis do conduto auditivo de todos os cães deste estudo demonstra a participação destes nos quadros de otite externa. As diferenças de sensibilidade in vitro aos antimicrobianos testados reflete a necessidade da realização de cultura e antibiograma, sobretudo para as  otites recorrentes


Palavras-chave


otite externa, Malassezia, Staphylococcus, antimicrobianos.

Texto completo:

PDF

Referências


DE LA MAZZA, L. M.; PEZZLO, M. T.; BARON, E. J. Atlas de diagnóstico em FERRÃO, J.C.J.G; MALAGO, R. Análise citológica do conduto auditivo de cães com otite externa crônica provenientes de Itajubá – MG. Revista Cientí[email protected] Universitas, Itajubá v.7, n.3, p.20-28, 2020.

GOTTHELF, L.N. Doença do ouvido em pequenos animais: guia ilustrado. 2ª Ed. São Paulo: Roca, 2007.

GUTERRES, K. a. et al. Ocorrência de otite canina por Pseudomonas spp. e sensibilidade dos isolados registrados no laboratório regional de diagnóstico no período de dez anos. Science And Animal Health, v. 8, n. 1, p. 55-64, 2020.

LUCAS. R; CALABRIA, C. R; PALUMBO, M. I. P. Otites In:Tratado de medicina externa: dermatologia veterinária.1ªed. São Paulo: Interbook, 2016.cap. 54, 780 -804p. microbiologia. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 1999. 216p.

PAPICH, M. G. Selection of antibiotics for meticillin-resistant Staphylococcus pseudintermedius: Time to revisit some old drugs. Veterinary Dermatology, v. 23, n. 4, p. 1–10, 2012.

PERRY, L.R., BERNARD, M., REBECCA, K., TIMOTHY, A.R. Epidemiological study of dogs with otitis extern in Cape Breton, Nova Scotia. The Canadian Veterinary Journal, v. 58, n. 2, p. 168-174, 2017.

RADLINSKY, M.G; MASON, D.E. Diseases of the Ear. In: ETTINGER, S.J; FELDMAN, E.C. Textbook of Veterinary Medicine. 6th ed. Missouri: Elsevier, 2005. p. 1168-1185.

SANTOS, F.F; GUIMARÃES, J. P. Estudo retrospectivo das otites em cães e gatos atendidos no Hospital Veterinário em Santos/Sp. Ars Veterinaria, Jaboticabal, SP, v.36, n.3, 195-200, 2020.

SARIDOMICHELAKIS, M.N.; FARMAKI, R; LEONTIDES, L.S; KOUTINAS, A.F. Aetiology of canine otitis externa: a retrospective study of 100 cases. Vet Dermatol.18(5):341-7, outubro, 2007

TEIXEIRA, M.G.F.; LEMOS, T.D; BOBANY, D.M; SILVA, M.E.M; BASTOS, B. F; MELLO, M.L.V. Diagnóstico citológico de otite externa em cães. Braz. J. Anim. Environ. Res., Curitiba, v. 2, n. 5, p. 1693-1701, edição especial, set. 2019.




DOI: https://doi.org/10.34188/bjaerv5n2-018

Apontamentos

  • Não há apontamentos.