Densidade de plantio e rentabilidade para rabanete em sistema orgânico de produção / Planting density and profitability for radish in organic production system

Sebastião Elviro de Araújo Neto, Andressa Sampaio Marreiro, Luís Gustavo de Souza e Souza, Adonias de Albuquerque Pinheiro, Greta Marino, Regina Lúcia Félix Ferreira, Geazí Penha Pinto

Resumo


O objetivo deste trabalho foi avaliar a densidade de plantio em cultivo orgânico dos rabanetes da cultivar cometa e do híbrido novella. O experimento foi realizado no Sitio Ecológico Seridó, Rio Branco – AC. Conduzido no delineamento em blocos casualizados em esquema fatorial 2 x 4 (cultivar cometa e híbrido novella e quatro densidades de plantio) com quatro repetições. Adotou-se o espaçamento de 0,15 m entre linhas e a densidade variando de 66,7; 83,3; 111,1 e 166,7 plantas m-2., equivalente ao espaçamento entre plantas na linha de 0,04, 0,06, 0,08 e 0,10 m.  Aos 35 dias após a semeadura foram avaliadas variáveis agronômicas: diâmetro, massa média total e orgânica de raízes tuberosas; massa fresca e seca da parte aérea, produtividade total e orgânica e índice de colheita, e variáveis econômicas: relação benefício/custo; produtividade para cobertura dos custos total e operacional, remuneração da mão de obra familiar, índice de rentabilidade e as receitas líquida e total. O híbrido novella cultivado em sistema orgânico é superior a cultivar cometa em todos os indicadores agronômicos e econômicos. O aumento da densidade de plantio reduz a massa fresca e seca da parte aérea a massa média de raízes tuberosas, porém, aumenta a produtividade total e convencional de rabanetes.


Palavras-chave


Raphanus sativus L., Espaçamento, Agricultura orgânica.

Texto completo:

PDF

Referências


Almeida, HAC de, et al. 2020. Características fisiológica, vegetativas e produtivas do rabanete em diferentes espaçamentos de plantio. Caderno de Ciências Agrárias, 12: 1-7. https://doi.org/10.35699/2447-6218.2020.1606

Amorim, MS, et al. 2014. Qual é o espaçamento ideal para maximizar a produção de rabanete? Enciclopédia Biosfera, 10 (19): 1573-1579.

Araújo Neto, SE de, et al. 2012. Rentabilidade da produção orgânica de alface em função do ambiente, preparo do solo e época de plantio. Revista Ciência Agronômica, 43: 783-791.

Araújo Neto, SE de; Ferreira, RLF. 2019. Agricultura ecológica tropical. Rio Branco, AC: Clube de Autores. 169p.

Barros Junior, AP. 2019. Production costs and profitability in coriander fertilised with Calotropis procera under organic cultivation. Revista Ciência Agronômica, 50 (4): 669-680.

Brasil. 2003. Lei nº 10.831, de 23 de dezembro de 2003. Dispõe sobre a agricultura orgânica e dá outras providências. Diário Oficial da União: Seção 1, Brasília, DF, p. 8, 24 dez. 2003.

Brasil. 2021. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Portaria nº 52, de 15 de março de 2021. Estabelece o Regulamento Técnico para os Sistemas Orgânicos de Produção e as listas de substâncias e práticas para o uso nos Sistemas Orgânicos de Produção. Diário Oficial da União, Edição: 55, Seção: 1, Brasília, DF, p.10, 15 jan. 2021.

Cardoso, AII; Hiraki, H. 2001. Avaliação de doses e épocas de aplicação de nitrato de cálcio em cobertura na cultura do rabanete. Horticultura Brasileira, 19 (2): 328-331.

Castro, BF et al. 2016. Produção de rabanete em função da adubação potássica e com diferentes fontes de nitrogênio. Revista de Ciências Agrárias, 39 (3): 341-348.

Conab. 2010. Companhia Nacional de Abastecimento. Custos de produção agrícola: a metodologia da Conab. Brasília, DF: Companhia Nacional de Abastecimento.

Costa, FRB et al. 2019. Produtividade do rabanete sob diferentes níveis de irrigação e adubação nitrogenada. Revista Brasileira de Agricultura Irrigada, 13 (3): 3467-3476.

Ferreira, RLF et al. 2016. Produtividade de alface orgânica em diferentes densidades de plantas. Pesquisa agropecuária pernambucana, 21 (1): 12-16.

Ferreira, RLF et al. 2011. Produção orgânica de rabanete em plantio direto sobre cobertura morta e viva. Horticultura Brasileira, 29 (2): 299-303.

Filgueira, ARF. 2013. Novo manual de olericultura: agrotecnologia moderna na produção e comercialização de hortaliças. 3. ed. Viçosa, MG: Ed. UFV.

Fortini, RM et al. 2020. Impacto das práticas agrícolas conservacionistas na produtividade da terra e no lucro dos estabelecimentos agropecuários brasileiros. Revista de Economia e Sociologia Rural, 58 (2): e199479.

Ibge. 2022. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Resultados Preliminares do Censo Agropecuário 2017. Rio de Janeiro: IBGE, 2018. Disponível em: . Acesso em: 27 mar. 2022.

Inmet. 2020. Instituto Nacional de Meteorologia. Banco de Dados Meteorológicos para Ensino e Pesquisa. 2020. Disponível em: . Acesso em: 23 dez. 2020.

Lemos Neto, H de S et al., 2018. Fisiologia do rabaneteiro em diferentes arranjos espaciais. Revista Ciências Agrárias, 61: Doi:10.22491/rca.2018.2831.

Maia, AH et al. 2018. Productivity of radish fertilized with different doses of bovine manure. African Journal of Agricultural Research, 13(18): 963-968.

Marodin, JC et al. 2020. Virus-free garlic: yield and commercial classification as a function of plant spacing and seed size. Horticultura Brasileira 38: 295-300. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-053620200309

Martins, BNM et al. 2018. Productivity and economic viability of carrot fertilized with Calotropis procera in diferente growing seasons. Journal of experimental agriculture international, 20(4): 1-13.

Miami, K et al. 1998. Efeito do espaçamento sobre a produção em rabanete. Bragantia, 57 (1): 169-173. doi.org/10.1590/S0006-87051998000100019.

Miranda, DLR et al. 2021. Construção social de mercados orgânicos: o caso das Células de Consumidores Responsáveis em Florianópolis-SC. Revista de Economia e Sociologia Rural, 59(2): e220071.

Nakamura, et al. 2008. Comparison of the glucosinolate-myrosinase systems among Daikon (Raphanus sativus, japanese white radish) varieties. Journal of Agricultural Food Chemistry, 56: 2702–2707.

Paulus D et al. 2015. Crescimento, produção e qualidade de frutos de pimenta (Capsicum annuum) em diferentes espaçamentos. Horticultura Brasileira 33: 091-100. DOI - http://dx.doi.org/10.1590/S0102-053620150000100015

Resende, GM et al. 2016. Lanting times and spacing of carrot crops in the São Francisco Valley, Pernambuco State, Brazil. Revista Caatinga, 29(3): 587 – 593.

Silva, AFA et al. 2017. Desempenho agronômico do rabanete adubado com Calotropis procera (Ait.) R. Br. em duas épocas de cultivo. Revista Ciência Agronômica, 48 (2): 328-336.

Souza, EGF et al. 2019. Economic evaluation of lettuce fertilized with biomass of Calotropis procera in two growing seasons. Revista Caatinga, 32 (1): 27 – 40.

Souza, JL; Garcia, RCD. 2013. Custos e rentabilidades na produção de hortaliças orgânicas e convencionais no estado do Espírito Santo. Revista Brasileira de Agropecuária Sustentável, 3 (1): 11-24.

Souza, LG de S. et al. 2020. Desempenho de cultivares de rabanete em sistema orgânico no Acre. Scientia Naturalis, 2 (2):536-542.

Sudebi, S. et al. 2018. Effect of organic and inorganic nutrient sources on growth, yield and quality of radish (Raphanus sativus L.) varieties in Chitwan, Nepal. SAARC J. Agri., 16(1): 61-69.

Wamser, AF. et al. 2017. Planting density and arrangement for the mechanized spraying of vertically staked tomatoes. Horticultura Brasileira, 35: 519-526. DOI - http://dx.doi.org/10.1590/S0102- 053620170408




DOI: https://doi.org/10.34140/bjbv4n2-022

Apontamentos

  • Não há apontamentos.