Perfil clínico e epidemiológico da dengue no estado de Minas Gerais / Clinical and epidemiological profile of dengue in the state of Minas Gerais

Lucas Santos de Barros Moreira, Heitor Machado de Oliveira, Bernardo Augusto Silveira Corrêa, Lucas Antônio Guimarães, Matheus Henrique Santos Damasceno, Tiago de Azevedo Braga, Vítor Emanuel Gonçalves Braga, Valter Paz do Nascimento Junior, Laís Moreira Borges Araujo

Abstract


Introdução: A Dengue é uma arbovirose de etiologia viral, causada por um agente infeccioso de ácido ribonucleico (RNA) do gênero Flavivírus, cujo vetor é representado pelo mosquito Aedes aegypti. Essa arbovirose tem alta prevalência nos países em desenvolvimento, sobretudo naqueles localizados em áreas de clima tropical e subtropical e é predominante nos centros urbanos devido à rápida urbanização vivenciada nessas regiões Objetivo: Traçar o perfil clínico e epidemiológico da dengue no estado de Minas Gerais. Metodologia:Trata-se de um estudo epidemiológico descritivo, retrospectivo com abordagem de natureza quantitativa. Os dados foram obtidos por meio de consulta ao Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS).A população de interesse desse estudo é constituída por todos os casos de dengue diagnosticados e registrados no estado de Minas Gerais no período de 2015 a 2020, independentemente de raça, sexo e idade.Foram analisados os seguintes parâmetros: ano de notificação, sexo e faixa etária. Resultados e Discussão: O acompanhamento da situação da dengue, em Minas Gerais, baseou-se nos dados referentes a incidência da doença  em diferentes variáveis da população, como sexo, idade, raça, escolaridade, dentre outras parcelas, permitindo a caracterização do perfil clínico-epidemiológico da dengue no estado de Minas Gerais. Conclusão: Conseguinte à análise, os dados apontam que a maior incidência de casos da enfermidade ocorrem nas frações da população de origem parda, de baixa escolaridade e em mulheres.


Keywords


dengue, epidemiologia, atenção à saúde.

References


ANDRIOLI, Denise Catarina; BUSATO, Maria Assunta; LUTINSKI, Junir Antonio. Características da epidemia de dengue em Pinhalzinho, Santa Catarina, 2015-2016*. Epidemiologia e Serviços de Saúde: revista do Sistema Único de Saúde, Brasília, v. 29, n. 4, set. 2020.

ASSIS, V. C.,et al. Análise da qualidade das notificações de dengue informadas no SINAN, na epidemia de 2010, em uma cidade polo da zona da mata do estado de Minas Gerais (2013).Revista de Atenção Primária à Saúde, Juiz de Fora, v.17, n.4, out./dez.2014.

BARBOSA, I. R.; SILVA, L. P. DA. INFLUÊNCIA DOS DETERMINANTES SOCIAIS E AMBIENTAIS NA DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DA DENGUE NO MUNICÍPIO DE NATAL-RN. Revista Ciência Plural, v. 1, n. 3, p. 62-75, 2 fev. 2016.

CARRASCO, J et al. Perfil clínico, epidemiológico y geográfico de casos de dengue durante el fenómeno El NiñoCostero 2017, Lambayeque-Perú. Revista Habanera De Ciencias Medicas, [S. l.], v. 18, n. 1, p. 97–113, 2018. Disponível em: http://scielo.sld.cu/scielo.php?pid=S1729-519X2008000300003&script=sci_arttext.

COSTA, Antonia Khaynnam Silva et al. DENGUE E CHIKUNGUNYA: SOROEPIDEMIOLOGIA EM USUÁRIOS DA ATENÇÃO BÁSICA, Revista de Enfermagem UPFE Online, Recife, v.13, n.4, p. 1006-1014, abr. 2020.

DO NASCIMENTO, Laura Branquinho et al. Caracterização dos casos suspeitos de dengue internados na capital do estado de Goiás em 2013: período de grande epidemia. Epidemiologia e Serviços de Saúde: revista do Sistema Único de Saúde, Brasília, v. 24, n. 3, p. 475-484, jul./set. 2015.

FERREIRA, Aline; NETO, Francisco; MONDINI, Adriano. Dengue em Araraquara, SP: epidemiologia, clima e infestação por Aedes aegypti. Revista de Saúde Publica, [S. l.], v. 52, p. 1–10, 2018.

FLISCH, T.M.P. Intersetorialidade, Educação em Saúde e Dengue: Múltiplos Olhares do Setor Saúde e do Setor Educação. Belo Horizonte. 2017. 201 f. Tese (Doutorado em Saúde Coletiva) - Instituto René Rachou, Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva, Fundação Oswaldo Cruz, Belo Horizonte, 2017.

GUIMARÃES, Lucas Melo; DA CUNHA, Geraldo Marcelo. Gender and age differences in the completion of the schooling items in surveillance forms in Brazilian state capitals with higher dengue incidence, 2008-2017. Cadernos de Saúde Publica, [S. l.], v. 36, n. 10, p. 1–12, 2020. DOI: 10.1590/0102-311X00187219.

MARQUES, Carla Adriana; DE SIQUEIRA, Marluce Mechelli; PORTUGA, Flávia Batista. Assessment of the lack of completeness of compulsory dengue fever notifications registered by a small municipality in brazil. Ciencia e Saúde Coletiva, [S. l.], v. 25, n. 3, p. 891–900, 2020. DOI: 10.1590/1413-81232020253.16162018.

MENEZES, Ana Maria Fernandes; ALMEIDA, Kaic Trindade; DE AMORIM, Amanda dos Santos; LOPES, Cássia Milene Ribeiro. Perfil epidemiológico da dengue no Brasil entre os anos de 2010 à 2019 / Epidemiological profile of dengue in Brazil between 2010 and 2019. Brazilian Journal of Health Review, [S. l.], v. 4, n. 3, p. 13047–13058, 2021. DOI: 10.34119/bjhrv4n3-259.

MEDEIROS, H.I.R., et al. “PERFIL EPIDEMIOLÓGICO NOTIFICADOS DOS CASOS DE DENGUE NO ESTADO DA PARAÍBA NO PERÍODO DE 2017 A 2019”. Brazilian Journal of Development, vol. 6, no 8, 2020, p. 57536–47, https://doi.org/10.34117/bjdv6n8-240.

MENJIVAR, Laura Evangelina Avelar. PERFIL CLINICO Y EPIDEMIOLOGICO EN PACIENTES DE 5-12 ÃNOS, CON DENGUE CON SIGNOS DE ALARMA EM LA CLINICA DE FEBRILES DEL HOSPITAL NACIONAL DE NIÑOS BENJAMIN BLOOM, DE ENERO 2013 A DICIEMBRE 2015. 2018, 51 p. Dissertação (Mestrado) – Facultad de Medicina, Universidad de El Salvador, San Salvador, 2018.

NAVARRO, J. P., et al. Práticas Preventivas contra Arboviroses em um Município do Cerrado Mato-Grossense. Saúde Coletiva: Avanços e desafios para a integralidade do cuidado, Mato Grosso, 27 abr. 2021 DOI: https://doi.org/ 10.37885/210303658.

NUNES, Matheus Rodrigues et al. Frequência de dengue na Região de Integração de Carajás, Pará, Brasil, entre os anos de 2009 a 2019. Brazilian Journal of Development, Curitiba, v.7, n.7, p. 70974-70984, jul. 2021.

OLIVEIRA, Isabelly; TEIXEIRA, Wellington; SANTANA, Pablo. Uso do sistema de informações do SUS para análise dos casos e internações de dengue notificado pelo SINAN nos últimos anos em Presidente Prudente – SP. In: ENCONTRO TOLEDO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA, 2021, Presidente Prudente.

PEREIRA, P.A.S., et al. “Perfil epidemiológico da dengue em um município do norte brasileiro: uma análise retrospectiva”. Research, Society and Development, vol. 9, no 12, dezembro de 2020, p. e37591211118, https://doi.org/10.33448/rsd-v9i12.11118.

TEIXEIRA, L et al. Persistência dos sintomas de dengue em uma população de Uberaba, Minas Gerais, Brasil Persistence of dengue symptoms in patients in Uberaba, Minas Gerais State, Brazil. Cadernos de Saúde Pública, [S. l.], v. 26, n. 3, p. 625–630, 2010.

VIANA, L.R.C., et al. Arboviroses reemergentes: perfil clínico-epidemiológico de idosos hospitalizados. Revista da Escola de Enfermagem da USP [online]. 2018, v. 52 [Acessado 26 Novembro 2021]. Disponível em: . Epub 29 Nov 2018. ISSN 1980-220X. https://doi.org/10.1590/S1980-220X2017052103403.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv5n1-032

Refbacks

  • There are currently no refbacks.