Análise dos gastos com soro antibotrópico após modificação do fluxo de distribuição no estado do Ceará, 2014 - 2019 / Analysis of expenses with antibotropic serum after modifying the distribution flow in the state of Ceará, 2014 - 2019

Francisco Tarcísio Seabra Filho, Ana Débora Assis Moura, Nilton Cardoso Alves Júnior, Ana Karine Borges Carneiro, Nayara de Castro Costa Jereissati, Iara Holanda Nunes, Kariny Santos Câncio, Marcelo Gurgel Carlos da Silva

Abstract


Objetivo: analisar comparativamente os gastos envolvendo a distribuição do soro antibotrópico no estado do Ceará de 2014 a 2019, antes e após a modificação do fluxo de distribuição. Métodos: estudo retrospectivo, descritivo, de abordagem quantitativa. Utilizaram-se dados secundários do Sistema de Informação de Agravos de Notificação e Sistema de Informação em Insumos Estratégicos, de 2014 a 2019. A análise dos dados ocorreu por meio de estatística descritiva. Resultados: verificou-se que de 2014 a 2016 o número de doses aplicadas correspondeu a 68% do total distribuído, com perda de 1.945 doses, 29,42%. De 2017 a 2019, após modificação do fluxo, ocorreu aumento das notificações e de doses aplicadas. Com a centralização nos hospitais de referência, não ocorreu registro de perdas. Conclusão: a modificação no fluxo de distribuição do soro foi uma alternativa eficaz para evitar o desperdício e garantir que os pacientes tenham a oportunidade de realizar o tratamento necessário.

Keywords


Soros imunes, Rede de Frio, Vigilância, Epidemiologia descritiva, Economia.

References


-Monaco LM, Meireles FC, Abdullatif MTGV. Animais venenosos: serpentes, anfíbios, aranhas, escorpiões, insetos e lacraias. 2th ed. São Paulo: Instituto Butantan, 2017.

-Saboia CO, Bernarde OS. Acidentes ofídicos no Município de Tarauacá, Acre, Oeste da Amazônia brasileira. J Hum Growth. 2019; 29(1):117-24.

-Ministério da Saúde (BR). Acidentes com animais peçonhentos: o que fazer e como evitar. Brasília: Ministério da Saúde; 2019. [citado 2019 jun 2]. Disponível em: http://www.saude.gov.br/saude-de-a-z/acidentes-por-animais-peconhentos.

-Chippaux JP. Incidence and mortality duetos nake bite in the Americas. PLo SNegl Trop Dis. 2017; 11(6):e0005662.

-Silva AM, Bernarde PS, Abreu LC. Accidents with poisonous animals in Brazil by age and sex. J Hum Growth. 2015; 25(1):54-62.

- Resende LM, Linhares TST, Ramalho IGS, Matavel ACS, Donato MF. Toxinas de serpentes: protótipos de fármacos & patentes? Brazilian Journal of Health Review. 2021; 4(6):23675-91.

-Sistema Nacional de Agravos de Notificação (SINAN). Informações de Saúde. Brasília: Ministério da Saúde; 2019. [citado 2019 jun 1]. Disponível em: http://dtr2004.saude.gov.br/sinanweb.

-Silvino MRS, Fook SML. Análise dos acidentes por serpentes do gênero Bothrops em uma região do Nordeste do Brasil. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Farmácia). João Pessoa (PB): Universidade Estadual da Paraíba; 2017. [Acessado em 2020 fev. 18]. Disponível em: file:///C:/Users/ANA~1.MOU/AppData/Local/Temp/PDF%20-%20Maria%20Rejane%20de%20Sousa%20Silvino.pdf.

-Secretaria de Saúde (CE). Boletim epidemiológico: Acidentes por animais peçonhentos. Fortaleza: Secretaria da Saúde; 2016. [citado 2016 jun 10]. Disponível em: .

-Santos KC, Almeida MM, Pessoa AM, Sadd VA, Silva Júnior NJ. Revisão sistemática: as principais complicações do acidente botrópico. EVSPUC GO. 2016; 43(1):71-8.

-Ministério da Saúde (BR). Manual de diagnóstico e tratamento de acidentes por animais peçonhentos. Brasília: Fundação Nacional de Saúde; 2017.

- Rosa JARD. Relatório Epidemiológico: Acidentes por Animais Peçonhentos. Bento Gonçalves: Secretaria Municipal de Saúde; 2015.

-Alencar ES, Araujo MHS, Carvalho AV. Acidentes por animais peçonhentos no município de Guaraí (TO) no período de 2015 – 2017. Medicus. 2019; 1(1):10-21.

-Cunha LER. Soros antiofídicos: história, evolução e future. Journal Health NPEPS. 2017; 2(Supl.1):1-4.

-Machado C, Lemos ERS. Acidentes ofídicos no Brasil: da assistência no município do Rio de Janeiro ao controle da saúde animal em instituto produtor de soro antiofídico. Tese (Doutorado em Medicina Tropical). Rio de Janeiro (RJ): Instituto Oswaldo Cruz/Fundação Oswaldo Cruz; 2018. [citado 2019 ago 16]. Disponível em: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/27452.

- Coelho NQKC. Modelagem da distribuição potencial de Lachesis muta (Linnaeus, 1766) (Serpentes: Viperidae) e a distribuição do soro antilaquético no Brasil. Rio de Janeiro: Fundação Oswaldo Cruz; 2018.

-Santana CR, Oliveira MG. Avaliação do uso de soros antivenenos na emergência de um hospital público regional de Vitória da Conquista (BA), Brasil. Ciênc. Saúde Coletiva. 2020; 25(3): 869-78.

-Guimarães CDO, Palha MC, Silva JCR. Perfil clínico-epidemiológico dos acidentes ofídicos ocorridos na ilha de Colares, Pará, Amazônia oriental. Semina: Ciências Biológicas e da Saúde. 2015; 36(1):67-78.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv5n1-037

Refbacks

  • There are currently no refbacks.