Adequação das boas práticas de fabricação e suas ferramentas básicas e capacitação de manipuladores em laticínio / Adequacy of good manufacturing practices and their basic tools and training of dairy handlers

Lucimar Costa de Sales, Gabrieli Oliveira Folador, Ladyslene Christhyns de Paula, Luís Fernando Polesi, Tânia Maria Alberte, Gisele Teixeira de Souza Sora

Abstract


O estado de Rondônia é o maior produtor de lácteos da região norte, a cadeia do leite é umas das principais atividades econômicas do estado, no entanto, os laticínios possuem limitações quanto a assistência técnica qualificada. Empresas desse ramo devem operar sob sistemas de gestão da qualidade eficientes para oferecer produtos seguros e de qualidade, atendendo as necessidades dos clientes e legislação. As boas práticas de fabricação (BPF) estão diretamente ligadas aos requisitos higiênico-sanitários dos produtos, evitam retrabalho, perda de produtos e principalmente riscos de contaminação aos consumidores. O objetivo deste trabalho foi avaliar as condições sanitárias de um laticínio de médio porte de Rondônia, adequar e implementar as BPF´s. Os dados foram coletados por análises observacionais e questionários (in loco). A indústria apresentava algumas irregularidades sanitárias no processo de produção: higiene dos manipuladores, estruturais, manual de BPF e os Procedimentos operacionais padronizados (POP´s) desatualizados e em desuso. Dos 36 manipuladores diretos, apenas 14 tinham conhecimento sobre requisitos de higiene pessoal e ambiental contidos na RDC 275 de 21/10/2002. Um programa de BPF ineficiente coloca em questionamento a qualidade dos produtos processados. Após adequação dos documentos (BPF e POP´s), capacitação de uma equipe para compor o controle de qualidade interno e capacitação geral de manipuladores realizou-se nova análise observacional e aplicação de novos questionários e notou-se melhora significativa da qualidade higiênica dos processos, todas as solicitações de adequação estrutural foram atendidas e todos os manipuladores se mostraram aptos a desenvolver suas atividades garantindo segurança sanitária dos processos e produtos, portanto, este trabalho favoreceu que o laticínio em questão estivesse preparado para produzir produtos com a qualidade higiênica adequada. Tão importante quanto um programa de BPF bem elaborado é a implementação e continuidade do mesmo, no caso deste estudo, o laticínio tinha uma ferramenta da qualidade não adequada a sua realidade e não havia uma equipe de controle da qualidade interna para implementar e colocar em prática. Após consultoria observou-se que obtenção de condições higiênicas favoráveis dependem especialmente da colaboração de todos os envolvidos.


Keywords


Qualidade higiênico sanitária, ferramentas de qualidade, procedimento operacional padrão, indústria.

Full Text:

PDF

References


BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Secretaria de Defesa Agropecuária -SDA Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal-DIPOA, Diário Oficial da União, Brasília, DF, 2017. Disponível em: Acesso em: 05 de Abril de 2021.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Portaria n.° 368 de 04 de setembro de 1997. Dispõe sobre regulamento técnico das condições Higiênico-Sanitárias e de Boas Práticas de Fabricação para estabelecimentos elaboradores/industrializadores de alimentos. Diário Oficial da União, Brasília, 8 set. 1997. Disponível em: Acesso em: 05 de Novembro de 2020.

BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução - RDC nº 275, de 21 de outubro de 2002. Dispõe sobre o Regulamento Técnico de Procedimentos Operacionais Padronizados aplicados aos Estabelecimentos Produtores/Industrializadores de Alimentos e a Lista de Verificação das Boas Práticas de Fabricação em Estabelecimentos Produtores/Industrializadores de Alimentos. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF,2002. Disponível em: Acesso em: 02 de Abril de 2021.

BRASIL, Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (MAPA). Ofício Circular N° 175, de 16 de maio de 2005. Dispõe Procedimentos de Verificação dos Programas de Autocontrole, Brasília, DF, Diário Oficial da União, 2005. Disponível em:< https://www.avisite.com.br/legislacao/anexos/20100730_circular04.pdf> Acesso em: 10 de Novembro de 2020.

BRASIL, Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Portaria nº 216, de 15 de setembro de 2004. Regulamento técnico de boas práticas para serviços de alimentação. Brasília, Diário Oficial da União, 16 set. 2004. Disponível em:< https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/anvisa/2004/res0216_15_09_2004.html> Acesso em: 12 de Novembro de 2020.

CONAB, Companhia Nacional de Abastecimentos, Analise mensal da produção de leite, 2018. Disponível em: < https://www.conab.gov.br/info-agro/analises-do-mercado- agropecuario-e-extrativista/analises-do-mercado/historico-mensal-de leite> Acesso em: 06 de Abril de 2021.

COSTA, T.S.; NEIVA, G.S.; CAMILO, V.M.A.; FREITAS, F.; SILVA, I.M.M de. Oficinas de boas práticas de fabricação: construindo estratégias para garantir a segurança alimentar. Brazilian Journal of Food Technology, Campinas, v. 15, n, maio 2012. Disponível em: Acesso em 09 de Abril de 2021.

EMBRAPA, Anuário do Leite, Indicadores, tendências e oportunidades para quem vive no setor leiteiro, 2018. Disponível em: < https://www.embrapa.br/busca-de-publicacoes/-/publicacao/1094149/anuario-leite-2018-indicadores-tendencias-e-oportunidades-para-quem- vive-no-setor-leiteiro> Acesso em: 18 de Abril de 2021.

GAVA, A. J; FRIAS, J. R.G; SILVA, C.A.B. Tecnologia de alimentos: princípios e aplicações. São Paulo: Nobel, 2008.

HATTORI, A. N.; KLAUS, I. C. Avaliação microbiológica e higiênico-sanitária em uma panificadora do município de Missal-PR. 2013. 61 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Tecnologia em Alimentos) – Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Medianeira, 2013. . Disponivel em: Acesso em: 24 de outubro de 2020.

LEMBI, M. K. S.; LIUTTI, J. T.Ç SABEC, G. Z.; KAWAMOTO, K. T. V. S. (2020). Brazilian Journal of health Review, Curitiba, v. 3, n. 3, p.4951-4964 may./jun. 2020. ISSN 2595-6825.

MASSAUT, K. B.; DE MOURA, T. M. Eficácia da Desinfecção com Álcool 70% em Superfícies e Equipamentos de uma UAN. In: 6º Simpósio de Segurança Alimentar, Gramado, 2018.

OLIVEIRA, J. Uso de critérios para avaliação da qualidade microbiológica de um laticínio. 2016. 53f. TCC (Graduação) - Curso de Engenharia de Alimentos, Universidade Federal da Fronteira Sul, Laranjeiras do Sul, 2016. Disponível em: Acesso em: 23 de Abril de 2021.

SANTOS, R. C. A.; BRITO, J. V. D. S.; SOUZA, V. D. S. Avaliação das condições higiênico-sanitárias de carnes comercializadas no município de Nossa Senhora da Glória - SE. In: VII CONGRESSO NORTE NORDESTE DE PESQUISA E INOVAÇÃO, 19-21., 2012, Palmas. Anais. Palmas: Ciência, tecnologia e Inovação: ações sustentáveis para o desenvolvimento regional. 2012.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv5n1-074

Refbacks

  • There are currently no refbacks.