Musicoterapia e doença de alzheimer: uma alternativa para melhorar a qualidade de vida dos idosos acometidos? / Music therapy and alzheimer's disease: an alternative to improve the quality of life of affected elderly?

Laura Cecília Santana e Silva, Natália de Fátima Gonçalves Amâncio, Rafael Santana Boaventura

Abstract


Transtornos de memória e quadros demenciais, sobretudo Doença de Alzheimer (DA), associados à idade são muito frequentes e muitas vezes comprometem a funcionalidade global dos idosos. Por isso, o objetivo desse trabalho foi buscar na literatura estudos que demonstrassem a eficácia da musicoterapia como alternativa para melhoria da qualidade de vida de pacientes acometidos por essas doenças, que são irreversíveis. O estudo consiste em uma revisão de literatura e para a elaboração da questão de pesquisa foi utilizada a estratégia PICO. Foram selecionados 15 artigos para a revisão, utilizando as bases de dados da Biblioteca Virtual de Saúde (BVS); National Library of Medicine (PubMed MEDLINE), Scientific Eletronic Library Online (SCIELO) e EbscoHost. Em todos os 15 artigos foram observados efeitos positivos da musicoterapia para a melhoria da qualidade de vida, reduzindo quadros de ansiedade, melhorando a linguagem dos pacientes e favorecendo lembranças positivas, capazes de estimular a atividade cerebral. Concluiu-se, ao final da revisão, que embora a musicoterapia não seja capaz de reverter quadros demenciais, ela possui uma grande potencialidade terapêutica quando associada a outros tratamentos, beneficiando a qualidade de vida. Dessa forma, são necessários mais estudos, sobretudo experimentais, para que as evidências sobre o assunto cresçam, impulsionando a aplicação das intervenções musicais.


Keywords


doença de alzheimer, musicoterapia, qualidade de vida.

References


ANASTACIO, M et al. ESTUDO RESTROSPECTIVO DO PERFIL DO PACIENTE ATENDIDO PELO SERVIÇO DE MUSICOTERAPIA EM UMA CLÍNICA AMBULATORIAL DE DEMÊNCIA. Revista InCantare, [S.l.], p. 14, jul. 2016. ISSN 2317-417X. Disponível em: http://periodicos.unespar.edu.br/index.php/incantare/article/view/1066. Acesso em: 01 Dez. 2020.

BRASIL, Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Cadernos de Atenção Básica - n.º 19 Série A. Normas e Manuais Técnicos. Envelhecimento e Saúde da Pessoa Idosa, Brasília, n. 19, p. 108-110, 2006.

COSTA, B.G.L et al. MÉTODOS NÃO FARMACOLÓGICOS PARA O TRATAMENTO DO ALZHEIMER: UMA REVISÃO INTEGRATIVA. Revista de Enfermagem do Centro-Oeste Mineiro, [s. l.], 2019. DOI 10.19175/recom.v9i0.2786. Disponível em: http://seer.ufsj.edu.br/index.php/recom/article/view/2786/2256. Acesso em: 27 nov. 2020.

FERNANDES, L.M.L et al. Musicoterapia e cuidados com o portador de alzheimer: uma revisão integrativa. Anais V CIEH... Campina Grande: Realize Editora, 2017. Disponível em: http://editorarealize.com.br/artigo/visualizar/34568. Acesso em: 27/11/2020

GALLEGO, M.G.; GARCÍA, J.G. Music therapy and Alzheimer’s disease: Cognitive, psychological, and behavioural effects. Neurología, Espanha, v. 32 (5), p. 300-308, 2015.

GARRIDO, S et al. Music and Dementia: Individual Differences in Response to Personalized Playlists. Journal of Alzheimer‘s Disease, Sydney, v. 64, n. 3, p. 933-941, 11 maio 2018. DOI 10.3233/JAD-180084. Disponível em: https://content.iospress.com/articles/journal-of-alzheimers-disease/jad180084. Acesso em: 27 nov. 2020.

GIOVAGNOLI, A.R et al. Combining drug and music therapy in patients with moderate Alzheimer’s disease: a randomized study. Neurol Sci, Itália, v. 39, p. 1021-1028, 17 mar. 2018. DOI https://doi.org/10.1007/s10072-018-3316-3. Disponível em: http://web.a.ebscohost.com/ehost/pdfviewer/pdfviewer?vid=3&sid=b342630f-b96d-4c5b-8232-d2d094c04927%40sessionmgr4006. Acesso em: 27 nov. 2020

GUÉTIN, S. et al. Effect of music therapy on anxiety and depression in patients with Alzheimer’s type dementia: randomised, controlled study. Dementia and geriatric cognitive disorders, [s. l.], v. 28, n. 1, p. 36–46, 2009. DOI 10.1159/000229024. Disponível em: http://search.ebscohost.com/login.aspx?direct=true&db=mnh&AN=19628939〈=pt-br&site=ehost-live. Acesso em: 1 dez. 2020.

IMTIAZ, D. et al. A Mobile Multimedia Reminiscence Therapy Application to Reduce Behavioral and Psychological Symptoms in Persons with Alzheimer’s. Journal of Healthcare Engineering, [s. l.], 21 mar. 2018. DOI https://doi.org/10.1155/2018/1536316. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5883928/. Acesso em: 27 nov. 2020.

INSTITUTO ALZHEIMER BRASIL. Doença de Alzheimer. In: INSTITUTO ALZHEIMER BRASIL. Doença de Alzheimer. [S. l.], 2020. Disponível em: http://www.institutoalzheimerbrasil.org.br/visao-geral/. Acesso em: 27 nov. 2020.

LEDGER, A.J.; BAKER, F.A. An investigation of long-term effects of group music therapy on agitation levels of people with Alzheimer’s Disease. Aging & Mental Health, Austrália, v. 11, p. 330-338, maio 2017. DOI 10.1080/13607860600963406. Disponível em: http://web.a.ebscohost.com/ehost/pdfviewer/pdfviewer?vid=6&sid=b342630f-b96d-4c5b-8232-d2d094c04927%40sessionmgr4006. Acesso em: 27 nov. 2020.

LEGGIERI, M. et al. Music Intervention Approaches for Alzheimer’s Disease: A Review of the Literature. Frontiers in Neuroscience, [s. l.], 12 mar. 2019. DOI 10.3389/fnins.2019.00132. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6424022/. Acesso em: 27 nov. 2020.

MOREIRA, S.V. et al. Can musical intervention improve memory in Alzheimer’s patients?: Evidence from a systematic review. Dement Neuropsychol, [s. l.], p. 133-142, junho 2018.

OMS. Constituição da Organização Mundial da Saúde (OMS/WHO). In: Constituição da Organização Mundial da Saúde (OMS/WHO). Lis-22006. Nova Iorque, 1946. Disponível em: Biblioteca Virtual de Direitos Humanos. Acesso em: 27 nov. 2020.

OSMAN, S.E.; TISCHLER, V.; SCHNEIDER, J. ‘Singing for the Brain’: A qualitative study exploring the health and well-being benefits of singing for people with dementia and their carers. Dementia, London, v. 15 (6), p. 1327-1339, 2016.

PALISSON, J. et al. Music enhances verbal episodic memory in Alzheimer’s disease. Journal of Clinical & Experimental Neuropsychology, [s. l.], v. 37, n. 5, p. 503–517, 2015. DOI 10.1080/13803395.2015.1026802. Disponível em: http://search.ebscohost.com/login.aspx?direct=true&db=aph&AN=103642146〈=pt-br&site=ehost-live. Acesso em: 1 dez. 2020.

ROCHA, J.F.A. et al. A MUSICOTERAPIA COMO ALTERNATIVA TERAPÊUTICA NA ASSISTÊNCIA PARA PESSOAS COM ALZHEIMER. Revista Querubim - revista eletrônica de trabalhos científicos nas áreas de Letras, Ciências Humanas e Ciências Sociais, [s. l.], 2017. DOI 1809-3264. Disponível em: http://spa.sites.uff.br/wp-content/uploads/sites/428/2018/08/jessica_fernandes_alberice_da_rocha_et_ali.pdf. Acesso em: 27 nov. 2020.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE GERIATRIA E GERONTOLOGIA. Em Dia Mundial do Alzheimer, dados ainda são subestimados, apesar de avanços no diagnóstico e tratamento da doença. In: SOCIEDADE BRASILEIRA DE GERIATRIA E GERONTOLOGIA. Em Dia Mundial do Alzheimer, dados ainda são subestimados, apesar de avanços no diagnóstico e tratamento da doença. [S. l.], 20 set. 2020. Disponível em: https://sbgg.org.br/em-dia-mundial-do-alzheimer-dados-ainda-sao-subestimados-apesar-de-avancos-no-diagnostico-e-tratamento-da-doenca/#:~:text=Apenas%20no%20Brasil%2C%20onde%20hoje,delas%20s%C3%A3o%20do%20tipo%20Alzheimer. Acesso em: 27 nov. 2020.

WEISE, L. et al. Study protocol: individualized music for people with dementia - improvement of quality of life and social participation for people with dementia in institutional care. BMC Geriatrics, Alemanha, 2018. DOI https://doi.org/10.1186/s12877-018-1000-3. Disponível em: https://bmcgeriatr.biomedcentral.com/articles/10.1186/s12877-018-1000-3. Acesso em: 27 nov. 2020.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv5n3-042

Refbacks

  • There are currently no refbacks.