Análise dos casos notificados de dengue na Paraíba entre 2015 e 2017 / Analysis of reported cases of dengue in Paraíba between 2015 and 2017

Victória Costa Ferreira, Lincoln Lyev Bidô Alves, Germano Araújo Ribeiro, Otacílio José Brito Cipriano, Maria do Carmo Guimarães Porto, Phablo Moisés de Almeida, Alexandre Gouveia Sarmento, Éverson Vagner de Lucena Santos

Abstract


Objetivo: Realizar uma análise dos dados coletados nas plataformas e em bibliografias com o fito de estabelecer uma relação entre a incidência e a adesão aos tratamentos propostos de modo distinto entre pessoas do sexo masculino e feminino. Desse modo, pretende-se compreender as razões e atentar para a necessidade de ações que diminuam o problema citado. Métodos: Trata-se de um estudo descritivo e quantitativo utilizando dados divulgados pelo Ministério da Saúde através da plataforma online DATASUS e organizados por meio do Microsoft Excel®. Os números utilizados são referentes aos casos notificados de  dengue no estado da Paraíba entre os anos de 2015 e 2017. Resultados: Notou-se uma maior incidência e hospitalização de pessoas do sexo feminino, bem como um maior número de mortes, em percentual, de homens. Dessa maneira, deduzimos que pessoas do gênero masculino têm maior dificuldade em buscar ajuda médica e hospitalar diante de uma enfermidade devido a causas culturais. Além disso, foi constatada uma dificuldade na avaliação dos dados por conta da subnotificação que acontece na Saúde Pública brasileira e gera uma objeção para elaboração de Políticas Públicas. Conclusão: É necessária uma série de ações públicas associadas à participação popular, tanto para a desconstrução da saúde inabalável do ‘’ser homem’’, como para uma melhor alimentação dos sistemas de informações do governo para facilitar a elaboração de formas de prevenção e promoção da saúde bem como a equidade garantida pelo Sistema Único de Saúde.


Keywords


dengue, brasil, paraíba, mulher.

References


MACHIN, Rosana et al. 2011. "Concepções de gênero, masculinidade e cuidados em saúde: estudo com profissionais de saúde da atenção primária". Ciência e Saúde Coletiva. Vol. 16, nº 1, p. 4503-4512.

MARTINS, Ana Paula Vosne. 2004 Visões do feminino: a medicina da mulher nos séculos XIX e XX 1ª ed. Rio de Janeiro: Fiocruz.

ROHDEN, Fabíola. 2003. "A construção da diferença sexual na medicina". Cadernos de Saúde Pública. Vol. 19, nº 2, p. 201-212.

ROHDEN, Fabíola. 2011. "O homem é mesmo a sua testosterona: promoção da andropausa e representações sobre sexualidade e envelhecimento no cenário brasileiro". Horizontes Antropológicos. Vol. 35, nº 17, p. 161-196.

CONNELL, Robert W. & Messerschmidt, James W. 2005. "Hegemonic Masculinity". Gender & Society. Vol. 19, nº 6, p. 829-859.

MACHIN, Rosana et al. 2011. "Concepções de gênero, masculinidade e cuidados em saúde: estudo com profissionais de saúde da atenção primária". Ciência e Saúde Coletiva. Vol. 16, nº 1, p. 4503-4512.

COUTO, Márcia Thereza et al. 2010. "O homem na atenção primária à saúde: discutindo (in) visibilidade a partir da perspectiva de gênero". Interface - Comunicação, Saúde, Educação Vol. 14, nº 33, p. 257-270.

BRASIL. Ministério da Saúde. Disponível em: >https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/dengue_aspecto_epidemiologicos_diagnostico_tratamento.pdf<. Acesso em 24 maio 2020.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Agência de Mídia, 2019. Disponível em: >https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-detalhe-de-midia.html?view=mediaibge&catid=2103&id=3377<. Acesso em 24 maio 2020.

Dengue. Hospital Israelita Albert Einstein, 2016. Disponível em: . Acesso em: 21, Maio e 2020.

BELÍZIA, Keyla. Dengue - classificação clínica. Scielo, 1991. Disponível em: . Acesso em: 24, Maio e 2020.

Dengue: sintomas, causas, tratamento e prevenção. Ministério da saúde, 2020. Disponível em: . Acesso em: 21, Maio e 2020.

Doenças Transmissíveis e Não-Transmissíveis. Organização Pan-americana de Saúde-OPAS. Disponível em:. Acesso em: 21, Maio e 2020.

Dengue - Características clínicas e epidemiológicas. Secretaria da saúde. Disponível em: . Acesso em: 21 Maio e 2020.

Barreto ML, Carmo EH. Situação de saúde da população brasileira: tendências históricas, determinantes, e implicações para as políticas de saúde. Informe Epidemiológico do SUS 1994; III (3/4):7-34.

Paim, JS. Abordagens teórico conceituais em estudo de condições de vida e saúde: algumas notas para reflexão e ação. In: Barata RB. Condições de vida e situação de saúde. Rio de Janeiro: ABRASCO; 1997. p.7-30.

Conselho Regional de Medicina do Estado do Tocantins. Disponível em: >http://www.crmto.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=21388:fatores-que-influenciam-a-expansao-da-dengue&catid=3

BRASIL. Ministério da Saúde. Fundação Nacional de Saúde. Programa Nacional de Controle da Dengue [Internet]. Brasília: FUNASA; 2002. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/pncd_2002.pdf

BRASIL. Ministério da Saúde. Oswaldo Cruz: glossário de doenças [Internet]. 2007. Disponível em: >http://bvsms.saude.gov.br/bvs/dicas/33dengue.html

HORTA, N. C.; SENA, R. R. Abordagem ao adolescente e ao jovem nas políticas públicas de saúde no Brasil: um estudo de revisão. Physis: Revista de Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v.20, n.2, p. 475-495, 2010.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv5n3-057

Refbacks

  • There are currently no refbacks.