Interferências e repercussões da incontinência urinária na vida dos idosos / Interferences and repercussions of urinary incontinence in the life of elderly

Luciane Cegati de Souza, Annelita Almeida Oliveira Reiners, Rosemeiry Capriata de Souza Azevedo, Joana Darc Chaves Cardoso, Roselma Marcele da Silva Alexandre, Idilaine de Fátima Lima, Natália Araújo de Almeida

Abstract


A Incontinência Urinária (IU) é uma das síndromes geriátricas mais importantes, pois afeta significativamente a vida dos idosos, influenciando sua qualidade de vida. Realizado estudo descritivo com abordagem qualitativa com 41 idosos residentes na zona urbana. Objetivou analisar as interferências e repercussões da IU na vida dos idosos. Coleta dos dados através de entrevista, realizada entre março a maio de 2014. Análise dos dados por meio da Análise Temática de Conteúdo. IU ocasiona interferências nas atividades diárias, de trabalho, na vida sexual e social dos idosos. Além de gerar repercussões emocionais, relacionais e financeiras em suas vidas. Essas interferências e repercussões comprometem sua qualidade vida e de saúde, bem como a sua interação social. É necessário que os profissionais de saúde, se familiarizem sobre esses problemas vivenciados pelos idosos incontinentes por meio de um acompanhamento efetivo e junto a eles elabore estratégias para lidar com essa condição.


Keywords


: incontinência urinária, idosos, acontecimentos que mudam a vida, pesquisa qualitativa.

References


Abrams P, Cardozo L, Khoury S, Wein A. Incontinence. 4th ed. Paris: Editions 21; 2009. Disponível em: http://www.ics.org/Publications/ICI_4/book.pdf. Acesso em: 14 nov 2013.

Lopes MHBM, Higa R. Restrições causadas pela incontinência urinária à vida da mulher. Rev Esc Enferm USP. São Paulo, SP. 2006; 40(1):34-41.

Roe B, Flanagan L, Jack B, Barret J, Chung A, Shaw C et al. Systematic review of the management of incontinence and promotion of continence in older people in care homes: descriptive studies with urinary incontinence as primary focus. J Adv Nurs. Oxford , England. 2010;228(50).

Hawkins K, Pernarelli J, Ozminkowski RJ, Bai M, Gaston SJ, Hommer C et al. The prevalence of urinary incontinence and its burden on the quality of life among older adults with medicare supplement insurance. Qual life res. Oxford, England. 2011;20:723–32.

Pedro AF, Ribeiro J, Soler ZASG, Bugdan AP. Qualidade de vida de mulheres com incontinência urinária. SMAD, Rev eletrônica saúde mental álcool drog. Ribeirão Preto, SP. 2011;7(2):63-70.

Silva VA, Souza KL, D’Elboux MJ. Incontinência urinária e os critérios de fragilidade em idosos em atendimento ambulatorial. Rev Esc Enferm USP. São Paulo, SP. 2011;45(3):1221-6.

Teunissen D, Bosch VD, Weel CV, Lagro-Janssen T. “It can always happen”: the impact of urinary incontinence on elderly men and women. Scandinavian Journal of Primary Health Care. Stockholm, Sweden. 2006;24:166-73.

Hagglund D, Wadensten B. Fear of humiliation inhibits women’s care-seeking behavior for long-term urinary incontinence. Scand J Caring Sci. Stockholm, Sweden. 2007;21:305–12.

Honório MO, Santos SMA. Incontinência urinária e envelhecimento: impacto no cotidiano e na qualidade de vida. Rev Bras Enferm. Brasília, DF. 2009;62(1):51-6.

Ministério da Saúde (Br). Secretaria de Atenção à Saúde. Envelhecimento e saúde da pessoa idosa. Brasília: Ministério da Saúde; 2007.

Lagana L, Bloom DW, Ainswort A. Urinary incontinence: its assessment and relationship to depression among community-dwelling multiethnic older women. The Scientific World Journal. New York, USA. 2014:1-13.

Abreu NS, Baracho ES, Tirado MGA, Dias RC. Qualidade de vida na perspectiva de idosas com incontinência urinária. Rev bras fisioter. São Carlos, RS. 2007;11(6):429-36.

Navarro SA, Reyes PN, Chavarría BHG, Lara JMAG, Amieva H, Funes JAA. The severity of urinary incontinence decreases health-related quality of life among community-dwelling elderly. J Gerontol. Washington, EUA. 2012;67(11):1266–71.

Silva APM, Santos VLCG. Prevalência da incontinência urinária em adultos e idosos hospitalizados. Rev Esc Enferm. USP. São Paulo, SP. 2005;39(1):36-45.

Higa R, Lopes MHBM. Porque profissionais de enfermagem com incontinência urinária não buscam tratamento. Rev bras enferm. Brasília, DF. 2007;60(5):503-6.

Fundação Oswaldo Cruz. Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca. Coordenação de Educação a Distância. Envelhecimento e saúde da pessoa idosa. Borges APA, Coimbra AMC (Org.). Rio de Janeiro: EAD/Ensp; 2008.

Firdolas F, Onur R, Deveci SE, Rahman S, Sevindik F, Acik Y. Effect of Urinary Incontinence and Its Subtypes on Quality of Life of Women in Eastern Turkey. Urology. Elazig, Turkey. 2012;80(6):1221-6.

Melo BES, Freitas BCR, Oliveira VRC, Menezes RL. Correlação entre sinais e sintomas de incontinência urinária e autoestima em idosas. Rev bras geriatr gerontol. Rio de Janeiro, RJ. 2012;15(1):41-50.

Kwong PW, Cumming RG, Chan L, Seibel MJ, Naganathan V, Creasey H. Urinary incontinence and quality of life among older community-dwelling Australian men: the CHAMP study. Age Ageing. London, England. 2010;39:349-54.

Hangglund D, Ahlstrom G. The meaning of women’s experience of living with long-term urinary incontinence is powerlessness. J Clin Nurs. Oxford, England. 2007;16:1946-54.

Tamanini JTN, Lebrão ML, Duarte YAO, Santos JLF, Laurenti R. Análise da prevalência e fatores associados à incontinência urinária entre idosos do Município de São Paulo, Brasil: Estudo SABE (Saúde, Bem-Estar e Envelhecimento). Cad saúde pública. Rio de Janeiro, RJ. 2009;25(8):1756-62.

Abrams P, Smith AP, Cotterill N. The impact of urinary incontinence on health-related quality of life (HRQoL) in a real-world population of women aged 45-60 years: results from a survey in France, Germany, the UK and the USA. BJU Int. Oxford, England. 2015;115(1):143-52.

Omli R, Hunskaar S, Mykletun A, Romild U, Kuhry E. Urinary incontinence and risk of funcional decline in older women: data from the norwegian HUNT-study. BMC Geriatr. London, England. 2013;13(47):1-6.

Borba AMC, Lelis MAS, Brêtas ACP. Significado de ter incontinência urinária e ser incontinente na visão das mulheres. Texto Contexto Enferm. Florianópolis, SC. 2008;17(3):527-35.

Delarmelindo RCA, Parada CMGL, Rodrigues RAP, Bocchi SCM. Estratégias de enfrentamento da incontinência urinária por mulheres. Rev Esc Enferm USP. São Paulo, SP. 2013;47(2):296-303.

Auge AP, Zucchi CM, Costa FMP, Nunes K, Cunha LPM, Silva PVF et al. Comparações entre os índices de qualidade de vida em mulheres com incontinência urinária submetidas ou não ao tratamento cirúrgico. Rev Bras Ginecol Obstet. 2006;28(6):352-7.

Menezes GMD, Pinto FJM, Silva FAA, Castro ME, Medeiros CRB. Queixa de perda urinária: um problema silente pelas mulheres. Rev Gaúcha Enferm. Porto Alegre, RS. 2012;33(1):100-8.

Horrocks S, Somerset M, Stoddart H, Peters TJ. What prevents older people from seeking treatment for urinary incontinence? a qualitative exploration of barriers to the use of community continence services. Family Practice. 2004;21(6): 689-96.

Loureiro LSN, Medeiros ACT, Fernandes MGM, Nóbrega MML. Incontinência urinária em mulheres idosas: determinantes, consequências e diagnósticos de enfermagem. Rev RENE. Fortaleza, CE. 2011;12(2):417-23.

Elstad EA, Taubenberger SP, Botelho EM, Tennstedt SL. Beyond incontinence: the stigma of other urinary symptoms. J Adv Nurs. Oxford, England. 2010;66(11):2460-70.

Barentsen JA, Visser E, Hofstetter H, Maris AM, Dekker JH, Bock GH. Severity, not type, is the main predictor of decreased quality of life in elderly women with urinary incontinence: a population-based study as part of a randomized controlled trial in primary care. Health Qual Life Outcomes. London, England. 2012;10(153):1-8.

Higa R, Lopes MHNM, Turato ER. Significados psicoculturais da incontinência urinária feminina: uma revisão. Rev Lat Am Enfermagem. São Paulo, SP. 2008;16(4).

Strickland R. Reasons for not seeking care for urinary incontinence in older community-dwelling women: a contemporary rewiew. Urol Nurs. Portland, United States. 2014;34(2):63-8.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv5n3-150

Refbacks

  • There are currently no refbacks.