Relato de caso de um diagnóstico tardio de válvula de uretra posterior / Case report of a late diagnosis of posterior urethral valve

Vinicius Camilo Silva de Alencar, Cristian Lima Duarte, Geórgia Araújo Pacheco

Abstract


Introdução: A válvula de uretra posterior (VUP) é uma condição clínica grave, que só ocorre no sexo masculino e é caracterizada por se apresentar como uma membrana localizada na porção próxima à bexiga, na uretra prostática. Sua presença está relacionada a alterações miccionais desencadeadas pela elevação da pressão intravesical, a qual implica em diversas complicações e maior predisposição à doença renal crônica. Objetivo: Descrever um relato de caso de diagnóstico tardio, seus aspectos clínicos e terapêuticos de VUP. Relato de caso: Menino, 7 anos e 7 meses, pardo, diagnosticado tardiamente com VUP, no qual apresenta diversos sinais clínicos de obstrução urinária e complicações - tais como infecções urinárias de repetição, incontinência urinária e bexiga miogênica-, sendo tudo isso em decorrência da sobrecarga contínua de rins e vias urinárias. Conclusão: Nesta perspectiva, a VUP deve ser diagnosticada e tratada o mais precoce possível, de preferência nos primeiros anos de vida, a fim de melhorar a qualidade de vida desses pacientes e evitar complicações futuras.


Keywords


válvula de uretra posterior, anomalias congênitas dos rins e do trato urinário, diagnóstico.

References


ERBST, K. W.; TOMLINSON, P.; LOCKWOOD, G. et al. Survival and kidney outcomes of children with an early diagnosis of posterior urethral valves. Clinical Journal of the American Society of Nephrology, v. 14, n. 11, p. 1572-1580, 2019.

HODGES, S. J.; PATEL, B.; McLORIE, G.; ATALA, A. Posterior urethral valves. The Scientific World Journal, v. 9, p. 1119-1126, 2009.

HOLMES, N. Clinical presentation and diagnosis of posterior urethral valves. UpToDate, 2016.

JESUS, C. M. N.; TRINDADE FILHO, J. C. S.; GOLDBERG, J. Late presentation of posterior urethral valve: two case reports. Sao Paulo Medical Journal, v. 126, n. 2, p. 126-127, 2008.

KAJBAFZADEH, A-M.; SHARIFI, S. H. H.; KEIHANI, S. et al. Concomitant anterior and posterior urethral valves in pediatrics: A single center experience over 12 years and long‐term follow up after endoscopic treatment. International Journal of Urology, v. 22, n. 5, p. 514-519, 2015.

LOURENÇO, E. M. Análise retrospectiva do tratamento clínico e cirúrgico de pacientes portadores de válvula de uretra posterior. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo, 2017.

NGUYEN, H. T.; HERNDON, C. D. A.; COOPER, C. et al. The Society for Fetal Urology consensus statement on the evaluation and management of antenatal hydronephrosis. Journal of Pediatric Urology, v. 6, n. 3, p. 212-231, 2010.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE PEDIATRIA. Manual de Uropediatria: Guia para pediatras. 1. ed. 2020. p. 276-301.

PIÇARRO, C.; SILVA, J. M. P.; OLIVEIRA, E. A. Hidronefrose na criança. Revista Médica de Minas Gerais, v. 24, supl. 2, p. S61-S65, 2014.

TALABI, A. O.; SOWANDE, O. A.; ETONYUEAKU, A. C. et al. Posterior urethral valves in children: Pattern of presentation and outcome of initial treatment in Ile-Ife, Nigeria. Nigerian Journal of Surgery, v. 21, n. 2, p. 151-156, 2015.

TANG, L-F.; BI, Y-L.; FAN, Y. et al. Posterior Urethral Valves with Lower Urinary Tract Symptoms: Perspective on Urodynamics. Journal of Investigative Surgery, v. 34, n. 10, p. 1066-1071, 2021.

ZORNOZA, M.; ANGULO J. M.; PARENTE, A. et al. Late diagnosis of posterior urethral valves. Actas Urológicas Españolas (English Edition), v. 39, n. 10, p. 646-650, 2015




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv5n3-153

Refbacks

  • There are currently no refbacks.