Mobilização precoce na unidade de terapia intensiva adulto / Early mobilization in the adult intensive care unit

Larissa Vanessa Rodrigues de Lima, João Eduardo Viana Guimarães, Leonardo Squinello Veneziano Nogueira, Rodrigo Sebastião Cruvinel Cabral

Abstract


Esse trabalho possui por intenção, contribuir com importantes considerações acerca da importância que há da Mobilização Precoce na Unidade de Terapia Intensiva Adulto, conceituando esse tipo de técnica, indicações, usualidade e as principais vantagens para os pacientes que desse método, fizerem uso. O Objetivo Geral desse estudo culminou em buscar na literatura, por meio de uma revisão integrativa, a temática mobilização precoce em pacientes adultos internados em UTI. Assim, a metodologia desse trabalho é a de cunho bibliográfico, com critério de seleção onde foram selecionados importantes trabalhos, por meio de palavras chave, onde o critério de exclusão foi dado através da compatibilidade dos objetivos e com o tema requerido, levando-se em consideração que todos os trabalhos utilizados, ofertaram a base teórica, para essa revisão bibliográfica. Pode-se concluir que o campo da Fisioterapia, cada vez mais vem adquirindo grande importância no que se refere à atuação com pacientes que se encontram em ventilação mecânica, situações onde se faz de suma relevância que haja acompanhamento fisioterapêutico para que ocorra o monitoramento adequado. A fisioterapia em sua atuação nessa área possui papel de suma excelência no que se refere à reabilitação dos pacientes internados em uma UTI (Unidade de Terapia Intensiva).


Keywords


mobilização precoce, terapia intensiva, adulto, pacientes internados em UTI, fisioterapia.

References


ARAÚJO, FELICIANO, Valéria de. A influência da mobilização precoce no tempo de internamento na Unidade de Terapia Intensiva. ASSOBRAFIR Ciência. 2012 Ago. 3(2):31-42. Disponível em: https://www.assobrafirciencia.org/article/5de125150e8825d94d4ce1d8/pdf/assobrafir-3-2-31.pdf. Acesso em: 11 de Out. 2021.

AMIB. Associação de Medicina Intensiva Brasileira. Conheça as principais funções dos profissionais da terapia intensivista. s/d. 2022. Disponível em: https://www.amib.org.br/informacao/publico-geral/profissionais-uti/. Acesso em: 10 de Abr. 2022.

AQUIM, Esperidião Elias; VERONA, Cleber Verona. Diretrizes Brasileiras de Mobilização Precoce em Unidade de Terapia Intensiva. Artigo Especial. Rev. bras. ter. intensiva 31 (4) • Oct-Dec 2019 . Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbti/a/5HVNpmmyXy8Z5mcgrcLV7GJ/?lang=pt. Acesso em: 10 de Abr. 2022.

BORGES, V. M et al., Fisioterapia motora em pacientes adultos em terapia intensiva.RBT. 2009; 21 (4): 446-52. Acesso em: https://www.scielo.br/j/rbti/a/kQpGBH6JxW8MkhjchxjFdvH/?lang=pt. Acesso em: 09 de Abr. 2022.

COFFITO. Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional.Resolução Nº 402 De 03 De Agosto De 2011.Disciplina a Especialidade Profissional Fisioterapia em Terapia Intensiva e dá outras providências. Disponível em: https://www.coffito.gov.br/nsite/?p=3165. Acesso em: 10 de Abr. 2022.

CLINI, E, AMBROSIN, N. Early physiotherapy in the respiratoryintensivecareunit. Respir. Med. 2005;99(9):1096-104. doi:10.1016/j.rmed.2005.02.024.

DANTAS, C. M et al., Influência da mobilização precoce na força muscular periférica e respiratória em pacientes críticos. Rev. Bras Ter Intensiva. 2012; 24(2):173-8.

DIAS, Jailson Rodrigo; RODRIGUES, Tamires Camila Neves; PINTO. Thiago Fernandes. Mobilização precoce de pacientes críticos na unidade de terapia intensiva adulto: uma revisão de literatura. Revista Científica UMC.ISSN 2525-5250•Mogi das Cruzes, v.5, n.1, fevereiro 2020. Disponível em: file:///C:/Users/user/Downloads/723-3870-1-PB.pdf. Acesso em: 09 de Abr. 2022.

FELICIANO, V. A et al.,A influência da mobilização precoce no tempo de internamento na Unidade de Terapia Intensiva.Asso BRAFIR Ciência. 2012;3(2):31-42. Disponível em: https://www.uel.br/revistas/uel/index.php/rebrafis/article/view/11702. Acesso em: 06 de Abr. 2022.

FLÁVIO, Maria Helena; ARAÚJO, Miriam Pollido de; SCARDOVELLI, Débora de Souza. Fisioterapia motora precoce nos pacientes internados em unidade de terapia intensiva. Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium de Araçatuba. 2018. Disponível em: https://fisiosale.com.br/wp/wp-content/uploads/2019/02/Fisioterapia-motora-precoce-nos-pacientes-internados-em-unidade-de-terapia-intensiva.pdf. Acesso em: 09 de Abr. 2022.

FU, Carolina. Terapia intensiva: avanços e atualizações na atuação do fisioterapeuta. Departamento de Fonoaudiologia, Fisioterapia e Terapia Ocupacional Faculdade de Medicina Universidade de São Paulo. 2019. Disponível em: https://www.scielo.br/j/fp/a/kdccnCBhnCYd7xkFKgyHNrf/?lang=pt&format=pdf. Acesso em: 08 de Out. 2021.

HALL, J. B. CreatingThe AnimatedIntensiveCare Unit.CritCare Med. 2010;38(10):S668-75. doi:10.1097/ CCM.0b013e3181f203aa.

HODGIN, K. E et al.,Physicaltherapyutilization in intensivecareunits: resultsfrom a nationalsurvey.CritCare Med. 2009; 37 (2): 561-8.

MATOS, Sabrina de Souza Oliveir; FARIA, Flavia Perassa de. FISIOTERAPIA MOTORA NO PACIENTE CRÍTICO: Uma Revisão. Brasília. 2010. Disponível em: https://repositorio.ucb.br:9443/jspui/bitstream/10869/815/5/Sabrina.pdf. . Acesso em: 09 de Out. 2021.

ROTTA, B. P et al.,Relação entre a disponibilidade de serviços de fisioterapia e custos de UTI. J BrasPneumol. 2018;44(3):184-9. doi:10.1590/ s1806-37562017000000196. Disponível em: https://www.scielo.br/j/jbpneu/a/MkNDBDt6xGHhN7y6dSk4zqj/?format=pdf〈=pt. Acesso em: 02 de abr. 2022

SANTOS, D. A. da S.; FERNANDES, C. C.; WATANABE, L. A. R. Cinesioterapia Em Idosos De Instituições De Longa Permanência. Revista Amazônia Science & Health. v. 4, n. 4, p. 32-36, out./dez., 2016. Disponível em: http://ojs.unirg.edu.br/index.php/2/article/view/1022/464. Acesso em: 03 de abr. 2022.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv5n3-240

Refbacks

  • There are currently no refbacks.