Changing education with active methodologies / Mudando a educação com metodologias ativas

Giuliana Zardeto Sabec, Renan Almeida de Jesus, Débora Gafuri Teixeira, Mônica Michele Alexandre, Adival José Reinert Junior

Abstract


Educational institutions that are attentive to the changes that are occurring in education are choosing methodologies and tools to accompany these changes. The methodologies prioritize the student's greater involvement in the classroom, as well as outside it, through project-based teaching methods, and in a more interdisciplinary way, the flipped classroom, methodologies based on activities, problems and games, where each student learns at your own pace and with others in groups and projects, with teacher supervision. Thus, the objective of the present study was to explain the importance of teachers using active methodologies in the classroom.  For the present work, articles and books were used, available in the Google academic® database. Since is a review article, no qualis capes research of the investigated articles was carried out. Therefore, it is concluded that the student's formation, generally, is focused on the centralizing role of the teacher and not on the role of facilitator of the process, where it is necessary to motivate students to learn and participate through different pedagogical strategies and not only through expositive classes. The application of the active methodology has increasingly shown to be efficient in achieving the objectives of the teaching-learning process.

 


Keywords


Qualification, remote education, learning, methodologies and education.

Full Text:

PDF

References


AUSUBEL, D. P.; NOVAK, J. D.; HANESIAN, H. Tradução: Nick, E. Psicologia educacional. Rio de Janeiro: Interamericana, 1980.

BACICH, L.; MORAN, J. Metodologias ativas para uma educação inovadora: uma abordagem teórico-prática. Penso Editora, 2018.

BARBOSA, E. F.; DE MOURA, D. G. Metodologias ativas de aprendizagem na educação profissional e tecnológica. Boletim Técnico do Senac, v. 39, n. 2, p. 48-67, 2013.

BARROS, F. F.; GUEDES, J.; ZERBINATTI, L. F.; RIBEIRO, E. R. Emprego de metodologias ativas na área da saúde nos últimos cinco anos: revisão integrativa. Revista Espaço para a Saúde, n.2, v.19, p.108-119, 2018.

BLIKSTEIN, P. O mito do mau aluno e porque o Brasil pode ser o líder mundial de uma revolução educacional. Stanford University, 2012. Cap. 24.

BONWELL, C. C.; EISON, J. A. Active Learning: Creating Excitement in the Classroom. 1991 ASHE-ERIC Higher Education Reports. ERIC Clearinghouse on Higher Education, The George Washington University, One Dupont Circle, Suite 630, Washington, DC 20036-1183, 1991.

BRIGHENTI, J.; BIAVATTI, V. T.; SOUZA, T. R. de. Metodologias de ensino- aprendizagem: uma abordagem sob a percepção dos alunos. Revista GUAL, v.8, n.3, p. 281-304, 2015.

CASTRO FILHO, J. A. et al. Tecnologias digitais, mobilidade e educação: perspectivas contemporâneas para a Didática e a Prática de Ensino. XVII Encontro Nacional de Didática e Práticas de Ensino, Fortaleza, 2014.

COUTINHO, H. R. do N. et al. Formação de professores: saberes e significados da ação docente/Formação de professores: saberes e significados da ação docente. Brazilian Journal of Development, v. 6, n. 5, p. 27422-27434, 2020.

CROUCH, C. H.; MAZUR, E. Peer instruction: Ten years of experience and results. American journal of physics, v. 69, n. 9, p. 970-977, 2001.

FARDO, M. A gamificação aplicada em ambientes de aprendizagem. Revista Renove -Novas tecnologias na educação, Porto Alegre, v.11, n.1, 2013.

JOHNSON, L. et al. NMC Horizon Report: Edição K12 2013.Tradução para o português pela Ez2 translated. Austin, Texas: The New Media Consortium, 2013. 44p. Disponível em: https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/2532254/mod_resource/content/1/2013-horizon-report-k12-PT.pdf

KAWASAKI, E. I. FERNANDES, C. T. Modelos para Projeto de Cursos Hipermídia. Dissertação de Mestrado, Divisão de Ciência da Computação, Instituto Tecnológico da Aeronáutica. São José dos Campos, 1996.

LÁZARO, A. C.; SATO, M. A. V.; TEZANI, T. C. R. Metodologias ativas no ensino superior: o papel do docente no ensino presencial. CIET: EnPED, 2018.

LIMA, A. M. F. D. et al. Identidade docente: Da subjetividade à complexidade/Teaching identity: From subjectivity to complexity. Brazilian Journal of Development, v. 6, n. 6, p. 33078-33092, 2020.

LIMBERGER, J. B. Metodologias ativas de ensino-aprendizagem para educação farmacêutica: um relato de experiência. Interface Comunicação Saúde Educação, v.17, n.47, p.969-975, 2013.

MACEDO, K. D. da S. et al. Metodologias ativas de aprendizagem: caminhos possíveis para inovação no ensino em saúde. Escola Anna Nery, v. 22, n. 3, 2018.

DE MAGALHÃES, R. de C. B. et al. Metodologias Ativas e sua aplicabilidade na Educação a Distância: Inovação na Aprendizagem. Ciência Atual–Revista Científica Multidisciplinar do Centro Universitário São José, v. 10, n. 2, 2017.

MASETTO, M. T. Competência pedagógica do professor universitário. Summus editorial, 2012.

MAZUR, E. Peer instruction: a revolução da aprendizagem ativa. Penso Editora, 2015.

MORAES, S. G. et al. Metodologias ativas: o protagonismo do discente no processo de aprendizagem. Os Desafios da Geografia Física na Fronteira do Conhecimento, v. 1, p. 3573-3578, 2017.

MORAN, J. M. A Educação que desejamos: Novos desafios e como chegar lá. Papirus Editora, 2014.

MORÁN, J. Mudando a educação com metodologias ativas. Coleção Mídias Contemporâneas. Convergências Midiáticas, Educação e Cidadania: aproximações jovens, v. 2, p. 15-33, 2015.

OLIVEIRA, R. C. de. Aplicação da metodologia de sala de aula invertida em disciplina do curso de Nutrição: relato de experiência. In: VIII Congresso de Professores do Ensino Superior da Rede Sinodal. 2019.

PAIVA, M. R. F. et al. Metodologias ativas de ensino-aprendizagem: revisão integrativa. SANARE, v.15, n.2, p.145-153, 2016.

PECOTCHE, C. B. G. Logosofia: ciência e método. São Paulo: Ed. Logosófica, 2011.

RODRIGUES, K. G.; BARNI, E. M. Mapas conceituais: potencializador da aprendizagem na modalidade de ensino a distância do curso superior de Pedagogia de uma Instituição de Curitiba. In: IX Congresso Nacional de Educação–EDUCERE, III Encontro Sul Brasileiro de Psicopedagogia. PUCPR. 2009.

SANTANA, V.; FERREIRA, R. Metodologias Ativas na Educação: uso de aplicativos Google na realização de projetos colaborativos. In: Anais dos Workshops do Congresso Brasileiro de Informática na Educação. 2018. p. 321.

SILVA, E. S. et al. Aprendizagem baseada em problema aplicada no ensino de urgência e emergência na enfermagem: um relato de experiência/Learning based on a problem applied in emergency and nursing education in nursing: an experience report. Brazilian Journal of Health Review, v. 2, n. 4, p. 2525-2529, 2019.

SOBRAL, F. R.; CAMPOS, C. J. G. Utilização de metodologia ativa no ensino e assistência de enfermagem na produção nacional: revisão integrativa. Revista da Escola de Enfermagem da USP, v.46, n.1, p.208-218, 2012.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. Editora Vozes Limitada, 2012.

VALENTE, J. A. Blended Learning e as mudanças no ensino superior: a proposta da sala de aula invertida. Educar em Revista, n.4, p.79-97, 2014.

VALÉRIO, M.; MOREIRA, A. L. O. R.; BRAZ, B. C; NASCIMENTO, W. J. A sala de aula invertida na universidade pública Brasileira: evidências da prática em uma licenciatura em ciências exatas. Revista Thema, v. l, n. 1, p. 195, 2019.

WALL, M. L.; PRADO, M. L.; CARRARO, T. E. A experiência de realizar um estágio docência aplicando metodologias ativas. Acta Paulista de Enfermagem, n.21, v.3, p.515-519, 2008.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n6-624

Refbacks

  • There are currently no refbacks.