O vínculo afetivo entre professor e aluno: Um elemento facilitador para aprendizagem significativa / The affective link between teacher and student: A facilitating element for significant learning

Rosely Dos Santos Madruga

Abstract


A pesquisa a seguir procura demonstrar que a afetividade no relacionamento professor e aluno é de suma importância para a aprendizagem, onde se fará menção de que o espaço físico escolar pode favorecer ou dificultar esse relacionamento e que os atores envolvidos neste processo (funcionários, equipe de apoio e diretiva, pais, ou seja, a comunidade) pode influenciar positiva ou negativamente. Ela é dirigida àqueles profissionais que atuam na área educacional e que necessitam aprimorar seus conhecimentos. Tendo em vista que, para ensinarmos bem é de fundamental importância que haja uma atualização constante, compreendendo-se que o professor ensina e aprende ao mesmo tempo e que é por meio do vínculo afetivo entre professor e aluno que a aprendizagem se dá de forma significativa, prazerosa e duradoura.
 

 


Keywords


Relação professor – aluno, vínculo afetivo e aprendizagem significativa.

References


ALMEIDA, Ana Rita Silva . A Emoção na Sala de Aula. 4. ed. São Paulo: Papirus, 1999.

ANDRÉ, Marli E. A. D. A. , PASSOS, Laurizete F. et al. Erro e Fracasso na Escola: Alternativas teóricas e práticas. 2 ed. São Paulo. Summus Editorial, 1997.

ARROYO, Miguel et al. Para Além do Fracasso Escolar. 3 ed. São Paulo. Papirus, 2000.

BENCINI, Roberta. A repetência uma vergonha nacional. In: Nova Escola, ano XV, n.º 136, nov, 2000.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. São Paulo, SP: Imprensa Oficial do Estado, 1988.

CARNEIRO . Maria Sylvia Cardoso. A integração de alunos considerados especiais nas redes públicas de ensino – um olhar Vygotskiano. In: ARROYO, Miguel, et al. Para Além do Fracasso Escolar. 3 ed. São Paulo, SP: Papirus, 2000.

CHALITA, Gabriel Benedito Isaac. Educação: A solução está no afeto. 7. ed. São Paulo: Gente, 2003..

CORDIÉ, A. Os atrasos não existem : psicanálise de crianças com fracasso escolar. CURSO DE PSICOPEDAGOGIA. Rio de Janeiro. EDU/UERJ, 1996. Caderno II, p. 31.

DA SILVA, Regina Maria de Souza; LEAL, Débora Araújo. A Família na vida escolar dos alunos: uma análise do relacionamento das instituições Escola–Família no município de Fazenda Rio Grande. Brazilian Journal of Development, v. 6, n. 8, p. 58476-58488, 2020.

KORCZAK, Janusz. Como Amar Uma Criança. 4. ed. São Paulo, SP: Paz e Terra, 1997.

MATURANA, Humberto. Emoções e Linguagem na Educação e na Política. Belo horizonte: Ed. UFMG, 1998.

NÉRICI, Imídeo Giuseppe. Introdução À Didática Geral: Dinâmica da Escola. Rio de Janeiro: Editora Científica, 1969.

PERRENOUD, Philippe. Dez Novas competências para Ensinar. Porto Alegre: Artes Médias Sul, 2000.

PLACCO, Vera Nigro de Souza.., SARMENTO, Maristela Lobão de Moraes. Et al. O Coordenador pedagógico e a educação continuada. 6 ed. São Paulo. Edições Loyola, 1998.

ROSS, Jurandyr L. S. (org).Geografia do Brasil. São Paulo. Edusp/ FDE. 2000.

ROSSINI, Maria Augusta . Aprender tem que ser gostoso. 2. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2003.

SALVADOR, Coll Cesar. Aprendizagem Escolar e Construção do Conhecimento. Porto Alegre: Artmed, 1994.

¬¬¬¬¬¬¬¬¬_____________________.Psicologia da Educação. Porto Alegre: Artes Médicas Sul,

TIBA, Içami. Disciplina, limite na medida certa. 56. ed. São Paulo: Gente, 1996.

__________. Quem Ama, Educa. 54. ed. São Paulo: Gente, 2002.

TOMAS, Nataely dos Prazeres Sousa et al. Afetividade como instrumento facilitador no processo de ensino-aprendizagem/Affectivity as a facilitating tool in the teaching-learning process. Brazilian Journal of Development, v. 6, n. 2, p. 5738-5749, 2020.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n9-426

Refbacks

  • There are currently no refbacks.