Desafios da implementação de estratégias do envelhecimento ativo: caminhos para a promoção á saúde / Challenges of the implementation of active aging strategies: pathways for the promotion of health

Natalie Lamaniere Santos Araújo, Joyce Enny Gomes, Suzane Stone Pereira, Alice Souza Vieira, Ariane Galvão de Oliveira

Abstract


Objetivo: Identificar os desafios encontrados que impedem a promoção do envelhecimento ativo da população idosa brasileira, avaliando as estratégias executadas e elencando ações que possam equipar um projeto de envelhecimento ativo. Método: Trata-se de uma Revisão Bibliográfica da Literatura acerca da implementação de estratégias do Envelhecimento Ativo, compreendendo o período de 2000-2018 a fim de que se investigassem as adversidades com minúcia; com busca por artigos científicos disponíveis nas bases de dados Literatura Latino-Americana em Ciências da Saúde (LILACS), Scientific Electronic Library Online (SCIELO) e Literatura Internacional em Ciências da Saúde MEDLINE. Resultados: Através da análise de 30 artigos detectou-se como barreira ao envelhecimento ativo o baixo nível socioeconômico da população, a não aplicação Correta das leis e ao baixo conhecimento dos profissionais da saúde, porém ações com resultados positivos mostram que essa realidade pode ser mudada. Conclusão: O envelhecimento ativo é essencial para a saúde do idoso, e para superar as barreiras de sua concretização na sociedade brasileira, é necessário que os profissionais da saúde se mobilizem pelos direitos dos idosos, em especial a Enfermagem, se capacitando acerca do tema durante e após a graduação, a fim de que essa prática faca parte do comportamento da população. Contribuições e implicações para a Enfermagem: Contribuir para o entendimento da importância do Envelhecimento Ativo para a sociedade e do papel da enfermagem como principal agente de promoção do mesmo, contribuindo com sugestões e estimulando a efetivação do envelhecimento ativo, a fim de que futuramente se gere um bem estar social. 


Keywords


Envelhecimento saudável, Enfermagem geriátrica e promoção da saúde.

References


ALVES, Cassio Batista; PAULIN, Grasielle Silveira Tavares. Linha do cuidado ao idoso na atenção primária à saúde: uma perspectiva das ações da terapia ocupacional. Cadernos de Terapia Ocupacional da Ufscar, v. 23, n. 3, p. 571-580, 2015.

AMARAL, Tânia Maria de Rezende; MELO, Elza Machado de; Oliveira, Graziella Lage. Comparação do perfil de idosos ativos e não ativos do Programa Bolsa Família. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, p. 1-10, fev. 2015.

BOBBO; Vanessa Cristina Dias. et al. Saúde, dor e atividades de vida diária entre idosos praticantes de Lian Gong e sedentários. Ciência & Saúde Coletiva, p. 1-8, abr. 2018.

BRASIL. Controladoria Geral da União. Portal da transparência. Programas de governo. Disponível em: http://www.portaltransparencia.gov.br/entenda-a-gestao-publica/programas-de-governo. 201-?. Acesso em: 22 mai. 2019.

BRASIL. IBGE. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua - PNAD Contínua, [Entre 2012 e 2016]. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas/sociais/trabalho/17270pnadcontinua.html?edicao=18264&t=resultados. Acesso em: 19 mai. 2019.

BRASIL. IBGE. Projeção da população por sexo e idades simples, 01 jul. 2010. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas/sociais/populacao/9109projecaodapopulacao.html? =&t=downloads. Acesso em: 19 mai. 2019.

BRASIL. IBGE. Número de idosos cresce 18% em 5 anos e ultrapassa 30 milhões em 2017, 01 out. 2018. Disponível em: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-noticias/2012-agencia-de-noticias/noticias/20980-numero-de-idosos-cresce-18-em-5-anos-e-ultrapassa-30-milhoes-em-2017. Acesso em: 19. mai. 2019.

BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Envelhecimento e Saúde da Pessoa Idosa. Cadernos de Atenção Básica, nº. 19. Brasília, p. 7, 2006.

BRASIL. Lei nº 10.741, 01 de Outubro de 2003. Dispõe sobre o Estatuto do Idoso e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, [2003]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/l10.741.htm. Acesso em: 22 mai. 2019.

BRASILEIRO, Maria Dilma Simões. Do diagnóstico à ação: uma proposta de lazer ativo e envelhecimento. Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde, v. 16, n. 3, 2011.

BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Saúde da pessoa idosa: prevenção e promoção à saúde integral. Disponível em: http://portalms.saude.gov.br/saude-de-a-z/saude-da-pessoa-idosa. c2013. Acesso em: 22 mai. 2019.

COFEN. Resolução COFEN nº. 0564/2017: Código de Ética dos Profissionais de Enfermagem. Disponível em: http://www.portalcofen.gov. Acesso em: 28 de mai. 2019.

COMBINATO, Denise Stefanoni. et al. Grupos de conversa: saúde da pessoa idosa na estratégia saúde da família*. Psicologia& Sociedade, Brasil, p. 1-11, abr. 2010.

COSTA; Fernanda Nascimento. et al. Caracterização de fatores sociais e de saúde de alunos da Universidade Aberta à Terceira Idade da USC-Bauru. Salusvita, Bauru, p. 1-10, jun. 2016.

DIAS, Kattia Cristina Andrade, BARA, Vania Maria Freitas; SALIMENA, Anna Maria de Oliveira. O cotidiano de enfermeiras do programa de saúde da família na promoção do envelhecimento ativo, Juiz de Fora, p. 1-7, jul/dez. 2012.

DIOGO, Maria José D´elboux; CEOLIM, Maria Filomena; CINTRA, Fernanda Aparecida. Implantação do grupo de atenção à saúde do idoso (grasi) no hospital de clínicas da universidade estadual de campinas (sp): relato de Experiência. Revista Latino Americana de Enfermagem, Campinas, p. 1-6, out. 2000.

DYNIEWICZ, Ana Maria. Metodologia da pesquisa em saúde para iniciantes. 3 ed. São Caetano do Sul, São Paulo: Difusão Editora, 2014.

FERRETTI, Fátima. et al. Viver a velhice em ambiente institucionalizado. Viver A Velhice em Ambiente Institucionalizado, Santa Catarina, p. 1-14, abr. 2014.

FARIA, Lina. et al. Atenção preventiva e educativa em saúde do idoso. Estudos Interdisciplinares Sobre O Envelhecimento, Minas Gerais, p. 1-20, abr. 2016.

MAZO, Giovana Zarpellon. et al. Do diagnóstico à ação: grupo de estudos da terceira idade: alternativa para a promoção do envelhecimento ativo. Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde, Santa Catarina, p. 1-6, maio 2009.

MENDES, Karina Dal Sasso; SILVEIRA, Renata Cristina de Campos Pereira, GALVÃO Cristina Maria. Revisão integrativa: método de pesquisa para a Incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto Contexto Enferm, v. 17, n. 4, p. 758-754, oct./dec. 2008.

MENDES, Natalie Porfírio. et al. Tecnologia socioeducacional de vídeo debate para o cultivo do envelhecimento ativo. Escola Anna Nery, v. 22, n. 3, p. 1-8, 27 ago. 2018.

NOGUEIRA, Iara Sescone. et al. Planejamento local de saúde: atenção ao idoso versus Educação Permanente em Saúde. Acta Paulista de Enfermagem, v. 31, n. 5, p. 550-557, 2018.

OLIVEIRA, Juliana Costa Assis de; TAVARES, Darlene Mara dos Santos. Atenção ao idoso na estratégia de Saúde da Família: atuação do enfermeiro. Revista da Escola de Enfermagem da Usp, v. 44, n. 3, p. 774-781, set. 2010.

OLIVEIRA, Martha Regina de. et al. A mudança de modelo assistencial de cuidado ao idoso na Saúde Suplementar: identificação de seus pontos-chave e obstáculos para implementação. Physis: Revista de Saúde Coletiva, v. 26, n. 4, p. 1383-1394, out. 2016.

OLYMPIO, Paula Cristina de Andrade Pires; ALVIM, Neide Aparecida Titonelli. Jogo de tabuleiro: uma gerontotecnologia na clinica do cuidado de enfermagem. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 71, n. 2, p. 818-826, 2018.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. Envelhecimento ativo: uma política de saúde. Tradução Suzana Gontijo. Brasília, DF, 2005.

PEDRO, Wilson José Alves. Reflexões sobre a promoção do Envelhecimento Ativo. Revista Kairós Gerontologia, Araraquara, p. 1-24, nov. 2013.

PREVIATO, Giselle Fernanda. et al. Grupo de convivência para idosos na atenção primária à saúde: contribuições para o envelhecimento ativo. Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online, Brasil, p. 1-8, mar. 2019.

SALIN, Mauren da Silva. et al. Atividade Física para idosos. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, Santa Catarina, p. 1-12, fev. 2011.

SCHIMIDT, Teresa Cristina Gioia; DUARTE, Yeda Aparecida de Oliveira; SILVA, Maria Julia Paes da. Avaliação mediata na replicação do Programa de Capacitação em Comunicação Não Verbal em Gerontologia. Revista da Escola de Enfermagem da Usp, v. 49, n. 2, p. 0309-0316, abr. 2015.

SILVA, Eduardo Alexandre Ribeiro da; ELALI, Gleice Azambuja. O papel das praças para o envelhecimento ativo sob o ponto de vista dos especialistas. Pesquisas e Práticas Psicossociais,, Natal, p. 1-15, dez. 2015.

SOUSA, Fabianne de Jesus Dias de; GONÇALVES, Lucia Hisako Takase; GAMBA, Mônica Antar. Capacidade funcional de idosos atendidos pelo programa saúde da família em Benevides, Brasil. Revista Cuidarte, Regiao Norte, p. 1-10, abr. 2018.

SOUSA, Fábio Alexandre Melo do Rego. et al. Estabelecimento de prioridades em saúde numa comunidade análise de um percurso. Revista de Saúde Pública, Portugal, p. 1-10, nov. 2017.

SOUZA, Luccas Melo de; LAUTERT, Liana. Trabalho voluntário: uma alternativa para a promoção da saúde de idosos. Revista da Escola de Enfermagem da Usp, [s.l.], v. 42, n. 2, p. 371-376, jun. 2008.

SOUZA, Marcela Tavares de; SILVA, Michelly Dias da; CARVALHO, Rachel de. Revisão integrativa: o que é e como fazer. Einstein, v. 8, n. 1, p. 102-106, jan./mar. 2010.

SOUSA, Neuciani Ferreira da Silva. et al. Envelhecimento ativo: prevalência e diferenças de gênero e idade em estudo de base populacional. Cadernos de Saúde Pública, Campinas, p. 1-16, nov. 2018.

TRAPÉ, Átila Alexandre. et al. Associação entre condições demográficas e socioeconômicas com a prática de exercícios e aptidão física em participantes de projetos comunitários com idade acima de 50 anos em Ribeirão Preto, São Paulo. Revista Brasileira de Epidemiologia, v. 20, n. 2, p. 355-367, jun. 2017.

VERAS, Renato Peixoto. Experiências e tendências internacionais de modelos de cuidado para com o idoso. Ciência & Saúde Coletiva, Brasil, p. 1-8, fev. 2010.

VERAS, Renato Peixoto; OLIVEIRA, Martha. Envelhecer no Brasil: a construção de um modelo de cuidado. Ciência & Saúde Coletiva, v. 23, n. 6, p. 1929-1936, jun. 2018.

VERAS, Renato Peixoto; CALDAS, Célia Pereira; CORDEIRO, Hesio de Albuquerque. Modelos de atenção à saúde do idoso: repensando o sentido da prevenção. Physis: Revista de Saúde Coletiva, v. 23, n. 4, p.1189-1213, dez. 2013.

WILLIG, Mariluci Hautsch; LENARDT, Maria Helena; MÉIER, Marineli Joaquim. A trajetória das políticas públicas do idoso no Brasil: breve análise. Cogitare Enfermagem, v. 17, n. 3, p. 1-4, jul. 2012.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n9-495

DOI (PDF (Português (Brasil))): https://doi.org/10.34117/bjd.v6i9.17058.g13873

Refbacks

  • There are currently no refbacks.