Habilidades nas refeições e motricidade mastigatória em indivíduos com Transtorno do Espectro Autista / Eating ability and chewing motricity in individuals with Autism Spectrum Disorder

Giovana Barreto Silvério, Paulo Vitor Pina Felício, Letícia de Araújo Melo, Fernanda Mendes De Paula, Renata Pessoa Chein Jorge, Murilo de Paiva Siqueira, Talita Braga, Karla Cristina Naves de Carvalho

Abstract


Introdução: O autismo é uma síndrome do comportamento que resulta em dificuldades na interação social, na comunicação e na cognição, tendo como uma das caraterísticas centrais o comportamento estereotipado. Neste sentido, vários estudos atuais mostram a relação entre alterações do comportamento alimentar em pacientes com Transtorno do Espectro Autista (TEA), sendo uma das principais dela a seletividade alimentar. Objetivo: verificar a presença e frequência da seletividade alimentar e suas manifestações em portadores de TEA assistidos pela Associação de Pais e Amigos de Excepcionais (APAE) em Goiânia e Anápolis. Métodos: Trata-se de um estudo transversal quantitativo, realizado através da aplicação do questionário Escala de Avaliação do Comportamento Alimentar em responsáveis de pacientes diagnosticados com Transtorno Autista em acompanhamento nas APAE de Goiânia e Anápolis. Resultados: As alterações de habilidades durante refeições foram frequentes, sendo que as ações mais prevalentes foram “comer uma grande quantidade de alimentos em um pequeno espaço de tempo” e “beber, comer e lamber substâncias e objetos não apropriados a este fim”. Além disso, houveram significativas alterações na motricidade da mastigação. Conclusão: As alterações de habilidades durante as refeições são bastante presente na população autista. Portanto, a alimentação de pacientes com TEA deve ser foco terapêutico e científico.


Keywords


Transtorno autístico, Apetite, Transtornos da Alimentação e da Ingestão de Alimentos.

References


Posar A, Visconti P. Autism in 2016: the need for answers. J Pediatr (Rio J). 2017;93(2):111-119.

Pinto RNM, Torquato IMB, Collet N, Reichert APdS, Souza Neto VLd, Saraiva AM. Autismo infantil: impacto do diagnóstico e repercussões nas relações familiares. Revista Gaúcha de Enfermagem. 2016;37(3): 1-9.

de Freitas PM, Nishiyama PB, Ribeiro DO, de Freitas LM. Deficiência Intelectual e o transtorno do espectro autista: fatores genéticos e neurocognitivos. Pedagogia em Ação. 2016;8(2):1-11.

Wang C, Geng H, Liu W, Zhang G. Prenatal, perinatal, and postnatal factors associated with autism: A meta-analysis. Medicine (Baltimore). 2017;96(18):1-7.

Association AP. Diagnostic and statistical manual of mental disorders (DSM-5®): American Psychiatric Pub; 2013.

Lázaro CP. Construção de escala para avaliar o comportamento alimentar de indivíduos com Transtorno do Espectro do Autismo (TEA). Salvador. Tese [Doutorado em Medicina e Saúde Humana]. 2016.

Murray HB, Thomas JJ, Hinz A, Munsch S, Hilbert A. Prevalence in primary school youth of pica and rumination behavior: The understudied feeding disorders. Int J Eat Disord. 2018;51(8): 994-998.

Grillo E, da Silva RJ. Manifestações precoces dos transtornos do comportamento na criança e no adolescente. Jornal de Pediatria. 2004;80(2):21-27.

Loomes R, Hull L, Mandy WPL. What Is the Male-to-Female Ratio in Autism Spectrum Disorder? A Systematic Review and Meta-Analysis. J Am Acad Child Adolesc Psychiatry. 2017;56(6):466-474.

Lázaro CP, Caron J, Pondé MP. Escalas de avaliação do comportamento alimentar de indivíduos com transtorno do espectro autista. Revista Psicologia-Teoria e Prática. 2018;20(3);23-41.

Volkert VM, Vaz PC. Recent studies on feeding problems in children with autism. J Appl Behav Anal. 2010;43(1):155-159.

Kadey H, Piazza CC, Rivas KM, Zeleny J. An evaluation of texture manipulations to increase swallowing. J Appl Behav Anal. 2013;46(2):539-543.

ARAÚJO CMT. Alimentação complementar e desenvolvimento sensório motor oral. MS thesis. Universidade Federal de Pernambuco, 2004.

De Souza RF, de Paula Nunes DR. Transtornos do processamento sensorial no autismo: algumas considerações. Revista Educação Especial. 2019;32: 22-31

Lima, CB, Afonso C, Calado AC, Torgal F, Gouveia R, Nascimento C. O impacto do programa integrado para o autismo (PIPA). Journal of Child and Adolescent Psychology. 2014; 5(1): 231-244

Seiverling L, Hendy HM, Williams K. The Screening Tool of Feeding Problems applied to children (STEP-CHILD): psychometric characteristics and associations with child and parent variables. Research in Developmental Disabilities.2011; 32(3): 1122–1129.

Gomes KAS, Vieira LDS, Ferreira RB. Autismo: uma abordagem comportamental. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharel em Odontologia) - Centro Universitário do Planalto Central Aparecido dos Santos, 2019.

Melchior AF, Marques, ETS, De Oliveira PL, Dos Santos TD, De Paula GB, Yamamoto RCC , De Souza APR. Análise comparativa das funções de deglutição e mastigação em crianças de 3 a 9 anos com autismo e com desenvolvimento típico. Distúrbios da Comunicação. 2019; 31(4): 585-596

Junqueira P, Maximino P, Ramos CC, Machado RHV, Assumpção I, Fisberg M. O papel do fonoaudiólogo no diagnóstico e tratamento multiprofissional da criança com dificuldade alimentar: uma nova visão. Rev. CEFAC. 2015; 17(3): 1004-1011.

Bellefeuille IB. El rechazo a alimentarse y la selectividad alimentaria em el niño menor de 3 años: una compleja combinación de factores médicos, sensoriomotores y conductuales. Clínica de terapia ocupacional pediátrica. 2014;72(5).




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n9-536

Refbacks

  • There are currently no refbacks.