Uma proposta de ensino de estatística com tecnologias digitais e atividades físicas / A proposal to teach statistics with digital technologies and physical activities

Cristiane Johann Evangelista, Dilson Henrique Ramos Evangelista

Abstract


O presente artigo descreve alguns resultados da pesquisa-ação realizada durante o Projeto de Extensão Universitária “Ensino de Estatística através do Excel” na Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará voltado à formação de professores de Matemática. O projeto promoveu cenários investigativos no laboratório de informática e atividades físicas ao ar livre e dentro da sala de aula para ajudar o ensino e aprendizagem de Estatística. O objetivo do trabalho foi investigar as possibilidades do uso do software Excel para o ensino de Estatística, em relação ao seu potencial para auxiliar na promoção do letramento estatístico, do raciocínio estatístico e do pensamento estatístico dos acadêmicos. Evidenciamos que as atividades investigativas no Excel mostraram-se uma ferramenta adequada para auxiliar na promoção das competências estatísticas dos alunos do curso. Apontamos como desafio a necessidade de se colocar em evidência o ensino de Estatística interdisciplinar com apoio de tecnologia na formação inicial de professores de Matemática.


Keywords


Tecnologias Digitais, Educação Estatística, Formação de professores.

References


ALIAGA, M. et al. Guidelines for Assessment and Instruction in Statistics Education (GAISE) – College Report. Alexandria/VA/USA, American Statistical Association, 2016. Disponível em Acesso em: 10 abr. 2019.

BATANERO, C.; GARFIELD. J.; OTTAVIANI, G.; TRURAN, J. Investigación en educación estadística: Algunas cuestones prioritárias. Statistical Education Research Newsletter, Nº 2, Vol 1, 2000.

BARBOSA, A. Pesquisa sobre o uso das tecnologias de informação e comunicação nas escolas brasileiras: TIC educação 2013. São Paulo: Comitê Gestor da Internet no Brasil, 2014.

BEN-ZVI, D.; GARFIELD, J. The challenge of developing statistical literacy, reasoning, and thinking. Dordrecht, The Netherlands: Kluwer Academic Publishers. 2004.

BRASIL. Ministério da Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais. Orientações Educacionais Complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais. 1997. Disponível em: . Acesso em: 15 abr. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC, 2017.

CAZORLA, I. M. A relação entre a habilidade viso-pictórica e o domínio de conceitos estatísticos na leitura de gráficos. 2002. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2002.

CONDESSA, I. C. A Matemática, a Educação Física e o Jogo: discursos e práticas para o Ensino da Educação Básica. In GARRÃO, A. P. DIAS, M. R.; TEIXEIRA, R. C. (Coord.). Investigar em Educação Matemática: Diálogos e Conjunções numa Perspectiva Interdisciplinar. 2015. Capítulo IX, pp. 151-164, Ponta Delgada: Letras Lavadas. 2015. Disponível em:< http://hdl.handle.net/10400.3/4063> Acesso em: 16 abr. 2020.

EVANGELISTA, C. J. As Atitudes, os conhecimentos de Estatística e a escolha profissional dos alunos do Ensino Médio de Ji-Paraná. Dissertação (mestrado). Canoas, RS, Ulbra. 2013. Disponível em:< http://www.ppgecim.ulbra.br/teses/index.php/ppgecim/article/view/165 > Acesso em: 18 abr. 2020.

EVANGELISTA, D. H. R.; EVANGELISTA, C. J. O ensino e aprendizagem de Estatística com o uso de Projetos de Modelagem e Tecnologias Digitais. Brazilian Journal of Development, Curitiba, v. 6, n. 1, p. 4181- 4191, jan. 2020. Disponível em:< https://www.brazilianjournals.com/index.php/BRJD/article/view/6395/5658> Acesso em: 16 abr. 2020.

GAL, I. Adults Statistical Literacy: meanings, componentes, responsibilities. International Statistical Review, v. 70, n. 1, 2002. p. 1-25.

KATAOKA, Verónica. Y.; OLIVEIRA, Anderson C. S. de; SOUZA, Ademária A. de; RODRIGUES, Adriano; OLIVEIRA, Marcelo S. de; A educação estatística no ensino fundamental II em Lavras, Minas Gerais, Brasil: avaliação e intervenção. Revista Latinoamericana de Investigación en Matemática Educativa, v. 14, n. 2, p. 233-263, 2011.

KENSKI, V. M. Educação e Tecnologia: o novo ritmo da informação. Campinas (SP): Papirus, 2008.

LOPES, C. A. E. O ensino da estatística e da probabilidade na educação básica e a formação dos professores. Caderno Cedes, Campinas, v. 28, n. 74, p. 57-73, jan./abr. 2008.

LÜDKE, M., ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em Educação: abordagens qualitativas. São Paulo: E.P.U., 1986.

MISKULIN, R. G. S.; VIOL, J. F. As práticas do professor que ensina matemática e suas interrelações com as tecnologias digitais. In: Revista e-Curriculum, v.2, n.12, p.1311 – 1330, 2014.

TRIPP, D. Pesquisa-ação: uma introdução metodológica. Educ. Pesqui. São Paulo, v. 31, n. 3, p. 443-466, dezembro de 2005. Disponível em: Acesso em: 15 abr. 2020.

VIALI, L. O ensino de Estatística e Probabilidade nos cursos de Licenciatura em Matemática. XVIII SINAPE (Simpósio Nacional de Probabilidade e Estatística). 2008.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n9-687

Refbacks

  • There are currently no refbacks.