Perfil epidemiológico de pessoas sob cuidados paliativos em unidade hospitalar / Epidemiological profile of people under palliative care in a hospital unit

Catarina Baltazar Madeira, Danielle Teixeira Queiroz, David Mendes de Melo, Francisco Gabriel de Andrade Mota, Fred Oliveira Barros, João Gabriel Brito Camelo Marinho Mesquita, João Victor Farias Mota, Yvna Leorne Rocha de Pinho Pessoa

Abstract


Objetivo: conhecer o perfil epidemiológico dos usuários do serviço hospitalar em Cuidados Paliativos de um hospital da rede privada em Fortaleza. Método: Estudo descritivo, com base no método de investigação quantitativa. Foram analisados prontuários de 80 pessoas atendidas no período de janeiro de 2018 a setembro de 2018. A amostra foi constituída por 80 indivíduos, sendo 42 usuários (53%) do sexo masculino, com 39 (49%) acima de 75 anos, apresentam múltiplas comorbidades 44 usuários (55 %). Majoritariamente acamados e dependentes das atividades de vida diárias (AVDs) 46 (58%) e 26 usuários (33%) permaneceram por períodos de internação prolongados maior que 50 dias, e em algum período da internação em unidade de terapia intensiva 55 (69%), possuindo múltiplos dispositivos invasivos. Conclusão: o perfil dos usuários é composto predominantemente por idosos, com dependência total para as atividades de vida diária com múltiplas comorbidades que permaneceram por longos períodos de internação hospitalar, requerendo implementação de estratégias que visem à condução destes casos.

 


Keywords


Cuidados Paliativos; Pacientes Internados; Assistência Hospitalar; Hospitalização.

References


FARIA AMJ, et al. Perfil dos pacientes com indicação de cuidados paliativos internados no Hospital Júlia Kubistchek – FHEMIG. Revista Médica de Minas Gerais –RMMG; 25(1): 25-29, 2015. Acessado em 9 out 2018. Disponível:http://www.dx.doi.org/10.5935/2238-3182.20150006

LOPES FCP, ALMEIDA JUNIOR JJ, DAMÁSIO AC. Ética em cuidados paliativos: Concepções sobre o fim da vida. Revista Bioética, Natal, v. 22, n. 3, 18-23,dez. 2014.

MENEZES RA. A despedida do corpo: uma proposta de assistência. Mnemosine Rio de Janeiro,1,2,p 289-313, 2005.

Ministério da Saúde (BR). Conselho Nacional de Saúde. Diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisa envolvendo seres humanos. Resolução n. 466, de 12 de dezembro de 2012. Brasília; 2012.

MORAIS, E; CONRAD, D; MATTOS, EM de; CRUZ, SAC da; MACHADO, GC; ABREU, MO de. Cuidados paliativos: enfrentamento dos enfermeiros de um hospital privado na cidade do Rio de Janeiro – RJ. Rev. pesqui. cuid. Fundam Care online .Rio de Janeiro. 10(2):318-325, abr.-jun. 2018 DOI: http://dx.doi.org/10.9789/2175

OLARIO, S.D.P, MOREIRA,.C.M, BORGES,M.I; JMARTINS, A.C.J; DE SOUZA, T.A .Desospitalização Em Cuidado Paliativos: Perfil Dos Usuários De Uma Unidade No Rio De Janeiro/ Brasil. Revista Cogitare Enfermagem. (23)2: E53787, 2018. Acessado em 08 Set 2018. Disponínel: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v23i2.53787

OMS. National cancer control programmes: policies and managerial guidelines. Genève: OMS, 2007,p3.

POLIT, D F, BECK, C T. Fundamentos de pesquisa em enfermagem: avaliação de evidências para a prática de enfermagem. 7 ed Porto Alegre, Artmed ,2011.

Queiroz, A. H. A. B., Pontes, R. J. S. & Rodrigues, T. B. (2013). Percepção de familiares e profissionais de saúde sobre os cuidados no final da vida no âmbito da atenção primária à saúde. Ciência & Saúde Coletiva, 18(9), 2615-2623. Recuperado em 16 janeiro 2014: www.scielo.br/pdf/csc/v18n9/v18n9a16.pdf

ROCHA, J. A. Abordagem terapêutica das úlceras de pressão-Intervenções baseadas nas evidências. Acta médica portuguesa,Portugal, 19, p 29-38 ,2006.

SANTANA JCB. Significado do cuidar em unidades de terapia intensiva: percepção de um grupo de acadêmicos de enfermagem. Rev Enf UFPE, Recife, B2, 2, 163-170,2008.

HERMES, R.H ; LAMARCA, I.C.A . Cuidados paliativos: uma abordagem a partir das categorias profissionais de saúde. Ciênc. Saúde coletiva vol.18 no.9 Rio de Janeiro Setembro 2013.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n10-440