Uso de plantas medicinais em uma comunidade rural do município de Sertão, Norte do Rio Grande do Sul / Use of medicinal plants in a rural community in the municipality of Sertão, North of Rio Grande do Sul

Júlio Tagliari Balestrin, Kaliandra Severina Mattei, Bruna Aparecida dos Santos, Laurita Klein Lamaison, Juliana Assumpção Neitzke, Juliana Marcia Rogalski

Abstract


O conhecimento sobre plantas medicinais representa, muitas vezes, o único recurso terapêutico de muitas comunidades. O presente estudo objetivou identificar as espécies de plantas medicinais utilizadas em uma comunidade rural do município de Sertão, região Norte do Rio Grande do Sul. Foi aplicado um questionário às famílias dos discentes do oitavo ano da Escola Municipal de Ensino Fundamental Linha Secco, localizada nesta comunidade, com questões referentes ao uso medicinal de plantas. Nove famílias participaram da pesquisa. Foram citadas ao todo 66 plantas medicinais. A espécie mais citada foi marcela (Achyrocline satureioides (Lam.) DC.) com 10,6%, seguida por: camomila (Matricaria spp.) e hortelã (Mentha spp.) com 9,1% cada; dente-de-leão (Taraxacum officinale L.) com 7,6%; tansagem (Plantago spp.) mentruz (Coronopus didymus (L.) Sm.); amoreira (Morus nigra L. e Rubus spp.) com 6,1% cada; carqueja (Baccharis trimera (Less.) DC.); espinheira-santa (Maytenus ilicifolia Mart. ex Reissek) e capim-cidereira (Cymbopogon citratus (DC) Stapf) com 4,5% cada. Dezesseis espécies foram citadas duas vezes (24,2%) e 36 espécies somente uma vez (54,5%). Dentre as espécies citadas 28 (42,4%) são nativas da região estudada, destas 13 arbóreas, 11 herbáceas, três lianas e um arbusto. A folha foi o órgão vegetal mais utilizado e o chá a principal forma de uso. Desta forma, percebe-se a importância das plantas medicinais para a comunidade estudada, visto a variabilidade de espécies citadas no questionário, e ainda, a relevância da conservação do conhecimento tradicional subsistente nessa comunidade rural, o qual se mostra útil e necessário no cotidiano das famílias que ali residem.


Keywords


Etnobotânica, Medicina Popular, Plantas Úteis.

References


ADEL, M.; ABEDIAN AMIRI, A.; ZORRIEHZAHRA, J.; NEMATOLAHI, A.; ESTEBAN, M. Á. Effects of dietary peppermint (Mentha piperita) on growth performance, chemical body composition and hematological and immune parameters of fry Caspian white fish (Rutilus frisii kutum). Fish and Shellfish Immunology, v. 45, p. 841-847, 2015.

ALVES-MAZZOTTI, A. J.; GEWANDSZNAJDER, F. O método nas ciências naturais e sociais: pesquisa quantitativa e qualitativa. São Paulo: Pioneira, 1998.

BADKE, M. R.; BUDÓ, M. L. D.; SILVA, F. M.; RESSEL, L. B. Plantas medicinais: o saber sustentado na prática do cotidiano popular. Escola Anna Nery, v. 15, n. 1, p. 132-9, 2011.

BORKOWSKI, B.; LUTOMSKI, J.; SKRZYDLEWSKA, E.; ZYGMUNT, B. Rosliny lecznicze w fitoterapii. Poznan: IRiPZ, 1994. pp. 470-471.

BRACESCO, N.; SANCHEZ, A. G.; CONTRERAS, V.; MENINI, T.; GUGLIUCCI, A. Recent advances on Ilex paraguariensis research: minireview. Journal of ethnopharmacology, v. 136, n. 3, p. 378-384, 2011.

BRASIL – MINISTÉRIO DA SAÚDE. Política nacional de plantas medicinais e fitoterápicos. Brasília: Ministério da Saúde, Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, 2006. 60 p.

BRITO, M. F. M.; MARÍN, E. A.; CRUZ, D. D. Plantas medicinais nos assentamentos rurais em uma área de proteção no litoral do nordeste brasileiro. Ambiente & Sociedade. v. 20, n. 1, 2017.

CARNEIRO, M. S.; SILVEIRA, A. P.; GOMES, V. S. Comunidade rural e escolar na valorização do conhecimento sobre plantas medicinais. Biotemas, v. 29, n. 2, p. 89-99, 2016.

CARPANEZZI, A. A.; ZANONA, K.; VOLTZ, R. R. Separação botânica de espécies de Rubus da Região Metropolitana de Curitiba. Colombo: Embrapa Florestas, 2019. 32 p.

CORRÊA, M. P. Dicionário de plantas úteis do Brasil e exóticas cultivadas. Rio de Janeiro: MA/IBDF, 1984. 747 p.

FIRMO, W. C. A.; MENEZES, V. J. M.; PASSOS, C. E. C.; DIAS, C. N.; ALVES, L. P. L.; DIAS, I. C. L.; SANTOS NETO, M.; OLEA, R. S. G. Contexto histórico, uso popular e concepção científica sobre plantas medicinais. Cadernos de Pesquisa, v. 18, p. 90-95, 2011.

GÁLVEZ, M.; MARTÍN-CORDERO, C.; HOUGHTON, P. J.; AYUSO, M. J. Antioxidant activity of methanol extracts obtained from Plantago species. Journal of Agricultural and Food Chemistry, v. 53, p. 1927-1933, 2005.

GAZZIERO, D. L. P.; LOLLATO, R. P.; BRIGHENTI, A. M.; PITELLI, R. A.; VOLL, E. Manual de identificação de plantas daninhas da cultura da soja. Londrina: Embrapa Soja, 126 p., 2015.

GOTTLIEB, O. R.; BORIN, M. R. M. B. Químico-Biologia Quantitativa: Um Novo Paradigma? Química Nova, v. 35, n. 11, p. 2105-2114, 2012.

HOLETZ, F. B.; PESSINI, G. L.; SANCHES, N. R.; CORTEZ, D. A. G.; NAKAMURA, C. V.; DIAS FILHO, B. P. Screening of some plants used in the Brazilian folk medicine for the treatment of infectious diseases. Memórias do Instituto Oswaldo Cruz, v. 97, n. 7, p. 1027-1031, 2002.

KAPLAN, M. A. C.; FIGUEIREDO, M. R.; GOTTLIEB, O. R. Chemical diversity of plants from Brazilian Cerrados. Anais da Academia Brasileira de Ciências, n. 66, p. 50-55, 1994.

KAZEMI, M. Chemical composition and antimicrobial activity of essential oil of Matricaria chamomilla. Bulletin of Environment, Pharmacology and Life Sciences, v. 3, n. 2, p. 148-153, 2014.

LAWAL, O. A.; OGUNDAJO, A. L.; AVOSEH, N. O.; OGUNWANDE, I. A. Cymbopogon citratus. In: Medicinal Spices and Vegetables from Africa. Academic Press, 2017. p. 397-423.

LIMA, D. F.; PEREIRA, D. L.; FRANCISCON, F. F.; REIS, C.; LIMA, V.S.; CAVALCANTI, P.C. Conhecimento e uso de plantas medicinais por usuários de duas unidades básicas de saúde. Rev Rene, v. 15, n. 3, p. 383-90, 2014.

LORENZI, H. Plantas Daninhas do Brasil. Nova Odessa: Instituto Plantarum, 2000. 116 p.

LORENZI, H.; MATOS, F. J. A. Plantas medicinais: nativas e exóticas. Nova Odessa: Instituto Plantarum, 2002. 512 p.

MCKAY, D. L.; BLUMBERG, J. B. A review of the bioactivity and potential health benefits of peppermint tea (Mentha piperita L.). Phytotherapy Research, v. 20, p. 619-633, 2006.

MARIOT, M. P.; BARBIERI, R. L. Espinheira-santa: uma alternativa de produção para a pequena propriedade. Pelotas: Embrapa Clima Temperado, 30 p., 2006.

MARTIN, G. J. Ethnobotany: a methods manual. London: Chapman & Hall, 1995.

MARTINS, E. R.; CASTRO D. M.; CASTELLANI D. C.; DIAS, J. E. Plantas medicinais. Viçosa: Ed. UFV, 2000.

MERICLI, A. H. The lipophilic compounds of a Turkish Matricaria chamomilla variety with no chamazuline in the volatile oil. International Journal of Crude Drug Research, v. 28, p. 145-7, 1990.

MIRAJ, S.; ALESAEIDI, S. A systematic review study of therapeutic effects of Matricaria recuitta chamomile (chamomile). Electronic physician, v. 8, p. 3024-3031, 2016.

MORGAN, R. Enciclopédia das ervas e Plantas Medicinais. São Paulo: Hemus editora, 1982. 555 p.

MORS, B. W.; RIZZINI, T. C.; PEREIRA, A. N. Medicinal Plants of Brazil. EUA: Reference Publications, Inc., 2000. 289 p.

OLIVEIRA, A. C. B.; OLIVEIRA, A. P.; GUIMARÃES, A. L.; OLIVEIRA, R.A.; SILVA, F.S.; REIS, S. A. G. B.; RIBEIRO, L. A. A.; ALMEIDA, J. R. G. S. Avaliação toxicológica pré-clínica do chá das folhas de Morus nigra L. (Moraceae). Revista Brasileira de Plantas Medicinais, v. 15, p. 244-249, 2013.

PANIZZA, S. Plantas que curam (cheiro do mato). São Paulo: IBRASA, 1996. 279 p.

RABELO, A. C. S.; COSTA, D. C. A review of biological and pharmacological activities of Baccharis trimera. Chemico-Biological Interactions, v. 296, p. 65-75, 2018.

RAMOS, A. M.; SANTOS, L. A. R.; FORTES, L. T. G. Normais Climatológicas do Brasil 1961–1990. Brasília: INMET, 2009.

RIBEIRO, M.; ALBIERO, A. L. M.; MILANEZE-GUTIERRE, M. A. Taraxacum officinale Weber (dente-de-leão) – Uma revisão das propriedades e potencialidades medicinais. Arquivos do Museu Dinâmico Interdisciplinar, v. 8, n. 2, p. 46-49, 2004.

ROCHA, J. A.; BOSCOLO, O. H.; FERNANDES, L. R. R. M. V. Etnobotânica: um instrumento para valorização e identificação de potenciais de proteção do conhecimento tradicional. Interações, v. 16, n. 1, p. 67-74, 2015.

SAMUELSEN, A. B. The traditional uses, chemical constituents and biological activities of Plantago major L.: a review. Journal of Ethnopharmacology, v. 71, p. 121, 2000.

SERTÃO. Plano Municipal de Educação 2015 – 2025. Sertão, RS, 16 de maio de 2015.

SANTOS, H. G.; JACOMINE, P. K. T.; ANJOS, L. H. C.; OLIVEIRA, V. A.; LUMBRERAS, J. F.; COELHO, M. R.; ALMEIDA, J. A., CUNHA, T. J. F.; OLIVEIRA, J. B. Sistema brasileiro de classificação de solos. Brasília: EMBRAPA, 2013. 353 p.

SHARIFI-RAD, M.; NAZARUK, J.; POLITO, L.; MORAIS-BRAGA, M.F.B.; ROCHA, J.E.; COUTINHO, H.D.M.; SALEHI, B.; TABANELLI, G.; MONTANARI, C.; DEL MAR CONTRERAS, M.; et al. Matricaria genus as a source of antimicrobial agents: From farm to pharmacy and food applications. Microbiological Research, v. 215, p. 76-88, 2018.

SIMÕES-PIRES, C. A.; DEBENEDETTI, S.; SPEGAZZINI, E.; MENTZ, L. A.; MATZENBACHER, N. I.; LIMBERGER, R. P.; HENRIQUES, A. T. Investigation of the essential oil from eight species of Baccharis belonging to sect. Caulopterae (Asteraceae, Astereae): a taxonomic approach. Plant Systematics and Evolution, v. 253, p. 23-32, 2005

SINGH, O.; KHANAM, Z.; MISRA, N.; SRIVASTAVA, M. K. Chamomile (Matricaria chamomilla L.): an overview. Pharmacognosy Reviews, v. 5, p. 82, 2011.

TESKE, M.; TRENTINI, A. M. M. Compêndio de fitoterapia. Curitiba: Herbarium Laboratório Botânico, 1997. 317 p.

TYIHAK, E.; SARKANY-KISS, J.; VERZAR-PETRI, G. Phytochemical investigation of apigenin glycosides of Matricaria chamomilla. Pharmazie, v. 17, p. 301-4, 1962.

QUADROS, F. L.; PILLAR, V. P. Transições floresta-campo no Rio Grande do Sul. Ciência e Ambiente, v. 24, p. 109-118, 2002.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n11-014

Refbacks

  • There are currently no refbacks.