Descarte de pilha e baterias no contexto da educação ambiental / Disposal of batteries and batteries in the context of environmental education

Cássia Patrícia Muniz de Almeida, Rosa Felix de Sousa, Iracilma da Silva Sampaio, Renato de Almeida Silva, Leonilda do Nascimento da Silva, Nerlane dos Santos Morais, Josimara Cristina de Carvalho Oliveira, André Camargo de Oliveira

Abstract


Embora haja legislação específica acerca do descarte de pilhas e baterias ainda hoje, no Brasil, esse material é descartado como lixo comum oferecendo desse modo, riscos eminentes contra o meio ambiente e a saúde humana. A legislação brasileira vigente classifica esse material como “resíduos especiais”, no entanto, por falta de conhecimento ou consciência ambiental é lançado diariamente no lixo comum, uma grande quantidade de metais pesados que contaminam o solo e podem  causar doenças graves não somente ao homem como a todos os animais. Esse projeto foi desenvolvido de forma interdisciplinar com o objetivo de promover a sensibilização nos alunos de uma turma de sexto ano do ensino fundamental de uma escola estadual da rede pública do município de Rorainópolis no Estado de Roraima sobre a necessidade da prática da logística reversa e da participação de todos nesse processo. De caráter qualitativo, descritivo e participante a pesquisa alcançou êxito em seus resultando em uma campanha de coletas desse material com três pontos de coleta os quais objetiva-se torná-los permanente e alcançar o apoio da comunidade escolar e da sociedade.


Keywords


Ensino de Ciências, Interdisciplinaridade, Meio Ambiente.

References


BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC, 2018.

BRASIL, Lei Nº 12.305, DE AGOSTO DE 2010, Brasília , DF, ago 2010. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2019

BRITO, N. de C. Didática Especial. São Paulo: Ed do Brasil, 1994.

CABRAL, U. S; SCALZER, B. L; VASSOLER, J.; SANTOS, M. C. Uso e descarte de pilhas e baterias: uma campanha para conscientização ambiental, X Congresso Nacional de Excelência em Gestão, ago. 2014.

CORNÉLIO, Ilda; MOURA, Gabriela Silva; SROFFEL, Janete; MUELBERT, Betina. Iterações. Campo Grande-MT v.20, n.2 p. 575-584, abr./jun. 2019.

FOUREZ, G. (1995). A construção das ciências: introdução à filosofia e à ética das ciências. São Paulo: Editora da Universidade Estadual Paulista.

Gil, A.C. Como elabora projeto de pesquisa. 4 ed. São Paulo: Atlas, 2008

GROSSI, Y. de S. Minas de Morro Velho: a extração do homem, uma história de experiência operária. São Paulo: Paz e Terra. 1981.

Associação Brasileira da Indústria Elétrica e eletrônica – ABNEE, 2019. Disponível em: http://www.gmcons.com.br/gmclog/admin/VisualizarPostosMapaCliente.aspx. Acesso em: 29 jul. 2019.

PRODANOV, C. C.; FREITAS, E. C. D. Metodologia do trabalho científico: Métodos e Técnicas da Pesquisa do Trabalho Acadêmico. 2. ed. Novo Hamburgo, RS: Feevale, 2013.

SANTOS, W. L. P., SCHNETZLER, R. P. (1997). Educação em química: compromisso com a cidadania. Ijuí: UNIJUÍ

ZANATTA, F.; ZIERO, H.D.D.; BERTANI, T.C.; FILHO, C.O.A.; TUBINO, R.M.C.; TRAMONTINA, A.C. Resíduo sólido industrial da Serra Gaúcha: geração, tipologia e destinação. Brasilian Journal of Developmente, v.6, n.6, p.32085 – 32821, jun. 2020. ISSN 2525 - 8761




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n11-380

Refbacks

  • There are currently no refbacks.