Sistema kanban e o uso racional de recusos em unidades de internação de um hospital público/ Kanban system and the rational use of refuses in hospital public hospital units

Jefferson Barela, Marta Helena Souza de Conti, Marcia Aparecida Nuevo Gatti, Solange de Oliveira Braga Franzolin

Abstract


Introdução: Metodologia Kanban é um processo implantado em serviços de saúde cuja finalidade é de manter qualidade na assistência, monitorizando o processo de internação de clínica médica. Objetivo: Avaliar a metodologia Kanban instituída em um hospital de atendimento SUS, relacionado ao tempo de internação, utilização de recursos da instituição, atendimento multidisciplinar e resolutividade. Método: Estudo retrospectivo, observacional, aprovado pelo Comitê de Ética (nº 3.222.731), com análise de prontuários de pacientes, de ambos os sexos, acima de 18 anos, internados na especialidade Clínica Médica, de um Hospital Público de Bauru. Coletou-se dados referentes ao tempo de internação (dias), utilização de recursos da instituição (exames complementares), atendimento multidisciplinar e resolutividade, em dois momentos (M): M1=antes e M2= após a implantação do Kanban. Foi realizado estatística descritiva, com distribuições de frequências absoluta e relativa. Resultados: Foram analisados 2118 prontuários dos pacientes, sendo incluídos no estudo 684 da clínica médica. O CID principal predominante foi o de neoplasias, seguidos por doenças do aparelho circulatório. Houve redução no tempo de realização e dos laudos de exames complementares e, melhora no atendimento da equipe multidisciplinar. Conclusão: A implantação do Sistema Kanban em um Hospital Público, pode gerar beneficios aos usuários, assim como ao “Estado”, com uso racional dos recursos, como controle sobre a necessidade de realização de exames complementares e a agilidade dos mesmos. No tempo de internação considerou-se as formas de tratamento e encaminhamento do individuo, com enfoque multidisciplinar.  A resolutividade foi comprovada por melhor atenção ao individuo, que no momento da alta passou a ser avaliado e encaminhado para o tratamento ambulatorial ou contrareferenciado para o municipio.


Keywords


Internação Hospitalar,Controle de Qualidade, Administração Hospitalar.

References


AGUILAR-ESCOBAR, V. G.; BOURQUE, S.; GODINO-GALLEGO, N. Hospital kanban system implementation: evaluating satisfaction of nursing personnel. Investigaciones Europeas de Dirección y Economía de la Empresa, España, v. 21, n. 3, p. 101- 110, Sept./Dec. 2015. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S1135252315000039. Acesso em: 14 set. 2018.

ALFRADIQUE, M. E. et al. Internações por condições sensíveis à atenção primária: a construção da lista brasileira como ferramenta para medir o desempenho do sistema de saúde (Projeto ICSAP - Brasil). Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 25, n. 6, p. 1337-1349, jun. 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csp/v25n6/16.pdf. Acesso em: 12 jan. 2019.

ANSCHAU, F. et al. Avaliação de intervenções de gestão da clínica na qualificação do cuidado e na oferta de leitos em um hospital público de grande porte. Scientia medica, Porto Alegre, v. 27, n. 2, p. 1-7, 2017. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/scientiamedica/ojs/index.php/scientiamedica/issue/view/1128. Acesso em: 21 fev. 2019.

BARELA, J.; KAWANAMI, G. H.; DE CONTI, M. H. S. Metodologia Kanban em unidades de internação de um hospital público – dos custos aos cuidados. Brazilian Journal of Development, Curitiba, v. 5, n. 6, p. 5139-5149, jun. 2019. Disponível em: http://www.brjd.com.br/index.php/BRJD/article/view/1706/1698. Acesso em: 29 jul. 2019.

BOEG, J. Kanban em 10 passos. Tradução e revisão de Leonardo Campos et al. São Paulo: InfoQ Brasil: C4Media Inc, 2010. Ebook. Disponível em: https://bit.ly/2mLPkuo. Acesso em: 15 jan. 2019.

BORGES, F. K. et al. Reinternação hospitalar precoce : avaliação de um indicador de qualidade assistencial. Revista HCPA, Porto Alegre, v. 28, n. 3, p. 147-152, 2008. Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/164522/000826215.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 12 jan. 2019.

BRASIL. Portaria nº 2.395, de 11 de outubro de 2011. Organiza o Componente Hospitalar da Rede e Atenção às Urgências no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, ano 148, n. 197, p. 79-82, 13 out. 2011. Disponível em: http://pesquisa.in.gov.br/imprensa/jsp/visualiza/index.jsp?data=13/10/2011&jornal=1&pagina=79&totalArquivos=96. Acesso em: 25 mar. 2019.

CARDOZO-GONZALES, R. I.; VILLA, T. C. S.; CALIRI, M. H. L. O processo da assistência ao paciente com lesão medular: gerenciamento de caso como estrategia de organização da alta hospitalar. Medicina (Ribeirão Preto. Online), Ribeirão Preto, v. 34, n. 3/4, p. 325-333, jul./dez. 2001. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/rmrp/article/view/6499/7970. Acesso em: 14 ago. 2017.

DINIZ, D. S. A ferramenta Kanban na emergência do Hospital Municipal Miguel Couto/RJ - Produto 1. Rio de Janeiro: [s.n.], 2013. Documento apresentado ao DAE/SAS/MS como parte do Projeto Kanban como ferramenta de gestão da clínica nos hospitais do Programa SOS Emergências. Disponível em: https://bit.ly/2p4Hlct. Acesso em: 30 mar. 2019.

ESSINGER, L. A. Implantação da ferramenta kanban como indutora da melhora do fluxo dos pacientes em um hospital de emergência. 2017. Dissertação (Mestrado em Medicina) - Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2017. Disponível em: https://bit.ly/2omYUV6. Acesso em: 15 fev. 2019.

FELIX, C. R. Implantação do método Kanban no Pronto Socorro (SUS) em um hospital filantrópico quaternário da zona leste de São Paulo. São Paulo: Hospital Santa Marcelina, 2013. Disponível em: https://docplayer.com.br/23441571-Ministerio-da-saude-hospital-santa-marcelina.html. Acesso em: 21 fev. 2019.

FOSSI, L. B.; GUARESCHI, N. M. de F. A psicologia hospitalar e as equipes multidisciplinares. Revista da SBPH, Rio de Janeiro, v. 7, n. 1, p. 29-43, jun. 2004. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/rsbph/v7n1/v7n1a04.pdf. Acesso em: 23 set. 2017.

HEISLER, P. A. Aplicação da metodologia kanban como ferramenta adaptada para gestão de “leitos” na emergência. 2012. Monografia (Especialização em Informação Científica e Tecnológica em Saúde) – Centro de Educação Tecnológica e Pesquisa em Saúde – GHC, Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde – ICICT, Fundação Oswaldo Cruz, Porto Alegre, 2012. Dispnível em: https://www.arca.fiocruz.br/bitstream/icict/6505/1/TCC%20Paulo%5b1%5d.pdf. Acesso em: 3 dez. 2018.

LOYOLA FILHO, A. I. de et al. Causas de internações hospitalares entre idosos brasileiros no âmbito do Sistema Único de Saúde. Epidemiologia e Serviços de Saúde, Brasília, DF, v. 13, n. 4, p. 229-238, out./dez. 2004. Disponível em: http://scielo.iec.gov.br/pdf/ess/v13n4/v13n4a05.pdf. Acesso em: 14 dez. 2017.

MASSARO, I. A. C.; MASSARO, A. O uso do KAN BAN na gestão do cuidado: superando limites. Revista de Administração em Saúde, São Paulo, v. 17, n. 66, p. 1-8, Jan./mar. 2017. Disponível em: http://cqh.org.br/ojs-2.4.8/index.php/ras/article/view/14/28. Acesso em: 12 jan. 2019.

MATTOS, C. M. Aplicação do Kanban ao processo de internação de uma unidade hospitalar pediátrica. 2016. Dissertação (Mestrado Profissional em Enfermagem Assistencial) – Escola de Enfermagem Aurora de Afonso Costa, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2016. Disponível em: https://app.uff.br/riuff/bitstream/1/3060/1/Corina%20Maria%20Mattos.pdf. Acesso em: 17 fev. 2019.

MUNIZ, L. C. Relato da experiência: visita multidisciplinar a pacientes em leitos de internação clínica do Hospital Infantil João Paulo II / Fundação Hospitalar de Minas Gerais. 2018. Monografia (Especialização em Saúde Pública) - Escola de Saúde Pública de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2018. Disponível em: https://bit.ly/2oodivW. Acesso em: 30 mar. 2019.

NEGRI, S. C.; CAMPOS, M. D. O uso da ferramenta Kanban para o controle da permanência dos usuários SUS. In: CONGRESSO VIRTUAL BRASILEIRO - ADMINISTRAÇÃO, 9., 2012, Mogi Guaçu. Anais [..]. Mogi Guaçu: CONVIBRA, 2012. Disponível em: http://www.convibra.com.br/upload/paper/2012/29/2012_29_5191.pdf. Acesso em: 12 jan. 2019.

OLSON, A. S. Benefits of a hospital two-bin kanban system. 2014. Master’s Thesis (Master of Science in Operations Research) - Naval Postgraduate School, Monterey, CA, 2014. Disponível em: https://apps.dtic.mil/dtic/tr/fulltext/u2/a620473.pdf. Acesso em: 30 mar. 2019.

PERSONA, A.; BATTINI, D.; RAFELE, C. Hospital efficiency management: the just-in-time and Kanban technique. International Journal of Healthcare Technology and Management, Genèva, v. 9, n. 4, p. 373-391, 2008. Disponível em: http://www.inderscience.com/offer.php?id=19674. Acesso em: 12 jan. 2019.

PETRY, D. Análise de implantação do Kanban em hospitais do programa SOS emergências. 2016. Dissertação (Mestrado em Saúde Coletiva - Área de Concentração: Gestão de Sistemas de Saúde) - Instituto de Saúde Coletiva, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2016. Disponível em: https://repositorio.ufba.br/ri/bitstream/ri/21644/1/DISS%20DEBORA%20PETRY.%20MP%202016.pdf. Aesso em: 7 fev. 2019.

RINALDI, G. P. de O. Proposta de implantação do método Kanban no controle de estoque de um hospital. 2014. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção) - Centro Universitário Eurípides de Marília – UNIVEM, Marília, 2014. Disponível em: https://aberto.univem.edu.br/bitstream/handle/11077/1131/gisele_paes_oliveira.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 15 fev. 2019.

ROCHA, S. R. P. P. C. A gestão de qualidade nos hospitais portugueses. 2014. Dissertação (Mestrado em Gestão e Economia dos Serviços de Saúde) - Faculdade de Economia, Porto, 2014. Disponível em: https://repositorio-aberto.up.pt/bitstream/10216/76901/2/33022.pdf. Acesso em: 12 jan. 2019.

SILVEIRA, R. E. da et al. Gastos relacionados a hospitalizações de idosos no Brasil: perspectivas de uma década. Einstein (São Paulo), São Paulo, v. 11, n. 4, p. 514-520, 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/eins/v11n4/19.pdf. Acesso em: 15 fev. 2018.

TEIXEIRA, J. P. D. de S.; RODRIGUES, M. C. S.; MACHADO, V. B. Educação do paciente sobre regime terapêutico medicamentoso no processo de alta hospitalar: uma revisão integrativa. Revista Gaúcha de Enfermagem, Porto Alegre, v. 33, n. 2, p. 186-196, jun. 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rgenf/v33n2/26.pdf. Acesso em: 11 dez. 2018.

ZAR, J. H. Biostatistical analysis. 4th ed. New Jersey: Prentice-Hall, 1999.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n11-617

Refbacks

  • There are currently no refbacks.