Pronaf a: particularidades do desenvolvimento rural no assentamento José Emídio da Costa/Capela/Se / Pronaf a: particularidades del desarrollo rural en el asentamiento José Emidio de la Costa/Capela/Se

Diana Mendonça de Carvalho, Fernanda Viana de Alcantara, José Eloízio da Costa

Abstract


A significação do desenvolvimento rural ultrapassa o aspecto econômico, pois reflete a relação sociedade-natureza, num quadro de definição do espaço geográfico e de suas especificidades. Neste contexto, o Pronaf surge como medida ao combate da pobreza rural, se consolidando como importante instrumento de apoio às atividades agrícolas produtivas e de investimento com base familiar. Esse programa divide-se em 15 grupos de crédito (2012), entre os quais, o Pronaf A, o qual será analisado a partir da evolução fundamentada nos últimos anos no estado de Sergipe. A análise dessa modalidade, que é direcionada aos assentados, é apresentada com foco em seus objetivos e direcionamentos, tomando como base o Plano Safra 2012/2013. No estado de Sergipe existem 214 assentamentos, com aproximadamente 11.000 famílias assentadas, numa área de quase 184 mil tarefas (INCRA, 2005-2012), que garantiu o suporte de movimentação de cerca de 560 contratos anuais, com mais de 5 milhões em recursos liberados anualmente. O assentamento José Emídio da Costa, localizado no município de Capela, é o palco da referida análise em função da maior movimentação contratual e em termos de recursos do Pronaf A executados no ano de 2012, assim como, devido a sua base institucional simplificada, que se baseia no agricultor-assentado, na sua correlação com a agência bancária, sobretudo com o Banco do Nordeste, e com a assistência prestada pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) e Centro Comunitário de Formação em Agropecuária "Dom José Brandão de Castro" (CEFAC). No caso particular do assentamento José Emídio, o Pronaf A tem sido um estimulo na correlação integrativa com o agronegócio canavieiro da região do Contiguiba. Apesar desse processo, os recursos liberados com o Pronaf A vem contribuindo decisivamente para a estruturação dos assentamentos, em termos produtivos, e para a movimentação financeira dos municípios onde estão localizados, haja vista a aquisição de produtos de necessidades, de insumos agrícolas e da inserção produtiva de produtos agropecuários. Por consequência, esse tipo de crédito acaba favorecendo decisivamente a relação campo-cidade, ao se tornar aporte de trocas de mercadorias.


Keywords


Assentamento, desenvolvimento e Pronaf A

References


BB. Plano Safra da Agricultura Familiar 2013/2014. Disponível em < http://www.bb.com.br/portalbb/page100,8623,10891,0,0,1,1.bb?codigoNoticia=11797&codigoMenu=11721&codigoRet=11812&bread=8_4 >. Acesso em: 03 mai. 2014.

BANCO CENTRAL DO BRASIL (BCB). MCR - Manual de Crédito Rural. Disponível em . Acesso em: 15 abr. 2013.

BASTOS, F. Ambiente institucional no financiamento da agricultura familiar. São Paulo; Campinas, SP: CERES – Centro de Estudos Rurais do IFCD – Unicamp, 2006a.

_______. Estabelecidos e outsiders nas políticas de crédito: o caso do Pronaf B. in: XLIV Congresso da Sociedade Brasileira de Economia e Sociologia Rural, 2006b. Disponível em . Acesso em: 20 mai. 2013.

INCRA. Balanço INCRA 2003/2010. Disponível em . Acesso em: 10 jun. 2014.

_______. Projetos de Reforma Agrária Conforme Fases de Implementação. INCRA, 2014. Disponível em . Acesso em: 14 jun. 2014.

LOPES, E. S. A., et. al. Um olhar sobre os assentamentos rurais do estado de Sergipe. In:

SERVOLO, L. de e LEITE, S. A Formação dos assentamentos rurais no Brasil: Processos sociais e políticas públicas. 2ª Ed. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2009.

MDA. Plano Safra 2004/2005. 2004. Disponível em < http://sistemas.mda.gov.br/arquivos/Plano_Safra_2004.pdf>. Acesso em: 20 dez. 2014.

MARTINS, J. de S. O Sujeito Oculto. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2003.

______. A Chegada do Estranho. São Paulo: Editora Hucitec, 1993.

MATTEI, L. Impactos do Pronaf: Análise de Indicadores. Brasília: Ministério do Desenvolvimento Agrário, Núcleo de Estudos Agrário e Desenvolvimento Rural (NEAD – Estudos), 2005. Disponível em < http://www.nead.org.br/index.php?acao=biblioteca&publicacaoID=319>. Acesso em: 27 jun. 2010.

_____. Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar: balanço e perspectivas. FSC – Departamento de Economia. Texto para Discussão, n.5, 2001.

NORTH, D. C. Institutions, Institutional Chance and Economic Performance. Cambridge University Press. 2ª Edição, 2007.

______. Understanding the process of economic Change. Princeton: Princeton University Press, 2005.

SCHNEIDER, Sergio. A abordagem territorial do desenvolvimento rural e suas articulações externas. In: Revista Sociologias, Porto Alegre, ano 6, n. 11, p. 88-125, jan./jun. 2004.

SOUZA, F. N. de. O Ciclo Canavieiro e as Transformações espaciais em Capela/SE. São Cristóvão: NPGEO, 2008 (Dissertação de Mestrado).

ZAAR, Miriam-Hermi. Las Políticas Públicas Brasileñas y la Agricultura Familiar: Quince Años del Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (PRONAF). Scripta Nova. Revista Electrónica de Geografía y Ciencias Sociales . [En línea]. Barcelona: Universidad de Barcelona, 1 de febrero de 2011, vol. XV, nº 351. Disponível em . Acesso em: 02 jan. 2013.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv5n6-221

Refbacks

  • There are currently no refbacks.