A eficiência de remoção de coliformes em uma estação de tratamento de água convencional / The efficiency of coliform removal in a conventional water treatment plant

Aline Bauer Lacerda, Arlindo Soares Räder, Ester Souza Lopes

Abstract


A autarquia municipal COMUSA – Serviços de Água e Esgoto de Novo Hamburgo utiliza para produção de água potável o sistema de tratamento físico-químico convencional a partir de água superficial, a qual é captada no Rio dos Sinos e bombeada até a Estação de Tratamento de Água (ETA). Em uma ETA com tratamento físico-químico convencional a água bruta passa inicialmente pelas etapas que compõem o processo de clarificação: coagulação, floculação, decantação e filtração. A clarificação tem como objetivo principal remover matéria orgânica e inorgânica, representada por sólidos dissolvidos e em suspensão, tornando a água “clara” ou clarificada. No entanto, a água clarificada pode não estar livre de microrganismos patogênicos, sendo necessária a etapa de desinfecção final, a fim de garantir a potabilidade da água. A ETA apresentada neste trabalho utiliza como coagulante principal o cloreto de polialumínio (Polyaluminum chloride - PAC) e floculante à base de tanino na função de auxiliar de floculação. Para desinfecção a empresa utiliza solução de hipoclorito de sódio 12% em massa. Conforme dados dos anos de 2016 e 2017, verificou-se que o processo de clarificação é o principal responsável pela remoção dos coliformes totais e E. coli da água bruta, com remoções superiores a 99%. Em 24% das amostras analisadas após processo de filtração verificou-se ausência de coliformes.


Keywords


ETA, remoção, coliformes totais, E. coli, clarificação.

References


ALBERI NETO (Porto Alegre). Degradação e Descaso: A Trajetória do Rio dos Sinos: Conheça quem protege e o que contamina o quarto rio mais poluído do país. 2017. Disponível em: . Acesso em: 26 abr. 2018.

APHA, AWWA, WEF, Standard Methods for Examination of Water and Wastewater, 22nd Edition, American Publications, Washington, 2012.

BERNARDO, Luiz Di; PAZ, Lyda Patrícia Sabogal. Seleção de Tecnologias de Tratamento de Água. São Carlos: Ldibe, 2008. 1538 p.

BIANCHIN, E. et al. Verificação da Eficiência de Remoção de Contaminantes Microbiológicos nas Principais Operações Unitárias de um Sistema de Tratamento de Água Destinada ao Consumo Humano. Perspectiva, Erechim, v. 36, n. 135, p.75-83, 14 maio 2012. Disponível em: . Acesso em: 01 jul. 2016.

BRASIL. Fundação Nacional de Saúde. Manual prático de análise de água / Fundação Nacional de Saúde – 4. ed. – Brasília : Funasa, 2013. 150 p.

BRASIL, Portaria de Consolidação nº5, Anexo XX, de 03 de outubro de 2017. Do controle e da vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade.

BRASIL, Resolução CONAMA n°357, de 17 de março de 2005. Classificação de águas, doces, salobras e salinas do Território Nacional.

COMITESINOS (São Leopoldo/rs) (Org.). Caracterização da Bacia Hidrográfica do Rio dos Sinos. 2017. Disponível em: . Acesso em: 26 abr. 2018.

RICHTER, Carlos A.. Água: Métodos e Tecnologia de Tratamento. São Paulo: Edgard Blücher Ltda., 2012. 340 p.

RIO GRANDE DO SUL. FUNDAÇÃO ESTADUAL DE PROTEÇÃO AMBIENTAL HENRIQUE LUIZ ROESSLER. (Org.). Qualidade Ambiental - Região Hidrográfica do Guaíba: Qualidade das Águas da Bacia Hidrográfica do Rio dos Sinos . Disponível em: . Acesso em: 26 abr. 2018.

SILVA, Renata Pedroso. Avaliação da remoção de Coliformes nas etapas de uma Estação de Tratamento de Água para consumo humano. 2015. 26 f. TCC (Graduação) - Curso de Ciências Biológicas, Universidade do Vale do Rio dos Sinos - UNISINOS, São Leopoldo, 2015.

SPILKI, Fernando Rosado. A contaminação das águas e a disseminação de doenças de proliferação hídrica. 2015. Entrevista. Disponível em: . Acesso em: 22 jan. 2018.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv5n6-2104

DOI (PDF (Português (Brasil))): https://doi.org/10.34117/bjd.v5i6.2104.g2110

Refbacks

  • There are currently no refbacks.