Estudo sobre interferências da morfologia urbana na percepção térmica humana / Study on the interference of urban morphology on human thermal perception

Eduardo L. Krüger, Tamiris Costa

Abstract


A percepção térmica envolve, em certa medida, aspectos contextuais que são levados em conta quando os sujeitos expressam seus votos térmicos para um determinado espaço interno ou externo. Este estudo concentra-se na cognição humana e preconceitos do comportamento térmico a partir de imagens 3D. Cenas urbanas foram armazenadas no repositório de imagens 3D do Roundme e um questionário foi usado com participantes voluntários que preencheram respostas on-line a questões relativas à percepção térmica. Uma diferenciação das cenas foi notada apesar da ausência de pistas sobre localização, estação e hora do dia das cenas. Dependendo da região climática da qual os entrevistados vieram, uma relação diferente foi observada em relação à abertura do céu, o que reforça a hipótese da cognição humana em estudos com foco na percepção térmica.
  

Keywords


Clima urbano, conforto térmico ao ar livre, cognição, imagens 3D.

References


CHAPMAN, L.; THORNES, J. E. Real-time sky-view factor calculation and approximation. Journal of Atmospheric and Oceanic Technology, v. 21, n. 5, p. 730-741, 2004.

JOHANSSON, E. Urban design and outdoor thermal comfort in warm climates: studies in Fez and Colombo. Tese de Doutorado (PhD in Architecture), Housing Development & Management, Lund University, Lund, Suécia, 2006.

KNEZ, I. Memories for climate and places. In: 5th International Conference on Urban Climate (ICUC-5). 2003. p. 69-72.

KOWALTOWSKI, Doris C. C. K.; PRATA, Alessandra. R.; PINA Silvia A. Mikani G.;

CAMARGO, Renata Faccin. Ambiente construído e comportamento humano: necessidade de uma metodologia. In: ENTAC 2000, Encontro Nacional de Tecnologia no Ambiente Construído, Anais. 26-28 de abril, Salvador, 2000.

KRÜGER, E. L.; MINELLA, F. O.; RASIA, F. Impact of urban geometry on outdoor thermal comfort and air quality from field measurements in Curitiba, Brazil. Building and Environment, v. 46, n. 3, p. 621-634, 2010.

KRÜGER, E.; DRACH, P.; BROEDE, P. Outdoor comfort study in Rio de Janeiro: site-related context effects on reported thermal sensation. International Journal of Biometeorology, v. 61, n. 3, p. 463-475, 2017.

OKAMOTO, J. Percepção Ambiental e Comportamento: visão holística da percepção ambiental na arquitetura e na comunicação. São Paulo: Editora Mackenzie, 2002.

OKE, T.R. Boundary Layer Climates. 2 ed. Londres: Routledge, 1987.

RATTI, C.; RICHENS, P. Raster analysis of urban form. Environment and Planning B: Planning and Design, v. 31, n. 2, p. 297-309, 2004.

REIS, A. T. L.; LAY, M. C. D. Avaliação da qualidade de projetos - uma abordagem perceptiva e cognitiva. Ambiente Construído, v.6, n.3, p. 21-34, 2006.

ROSSI, F. A. Proposição de metodologia e de modelo preditivo para avaliação de sensação térmica em espaços abertos em Curitiba. Tese (Doutorado em Tecnologia). Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Curitiba, 2012.

SANTAELLA, L. Percepção: fenomenologia, ecologia, semiótica. São Paulo: Cengage Learning, 2012.

THORSSON, S.; LINDQVIST, M.; LINDQVIST, S. Thermal bioclimatic conditions and patterns of behaviour in an urban park in Göteborg, Sweden. International Journal of Biometeorology, v. 48, n. 3, p. 149-156, 2004.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv5n8-040