Jogos competitivos: Fatores estressantes dessa prática na vida do escolar / Competitive games: Stressing factors of this practice in school life

Ana Karolina Ribeiro Pariz, Felipe Tadeu Bonini Rodrigues, Aline Soares Balbino

Abstract


Os jogos escolares e de caráter competitivo, geram bastante discussão entre os professores em níveis de aceitação ou negação, no que se refere a sua influência na construção da personalidade do escolar.  A vertente sobre a competição escolar vista como esportivização, ou a de que as crianças que não tem aptidões para o tal acabam deixando de participar por meio de uma seleção natural se opõe a ideia de que as crianças possam lidar com as frustrações e/ou experiências de grande valia para vida social, como a cooperação, o trabalho em grupo e o respeito aos limites e regras da sociedade. Dessa forma, identificar fatores estressantes positivos e negativos que acompanham os jogos competitivos é uma imensa possibilidade de se discutir essa questão. Através dessa revisão literária foi possível elucidar as experiências emocionais provenientes de agentes estressores objetivos e subjetivos e compreender que os jogos competitivos tem uma repercussão positiva ou negativa na vida do escolar dependendo da autoestima já adquirida.


Keywords


Estresse. Competição Escolar. Educação Física.

References


AMARAL, J.D. Jogos cooperativos. 2. ed. São Paulo: Phorte, 2007.

ARANTES, A.; MARTINS, F.; SARMENTO, P. Jogos escolares brasileiros: reconstrução histórica. Motricidade, Vila Real, Portugal, v. 8, n. 2, p. 916-924, ago/set. 2012. Disponível em: . Acesso em: 20 maio 2016.

ARRUDA JUNIOR, N. A. A Competição e a Educação Física escolar. 2009. 56f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Educação Física) - Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2009.

BRASIL. Constituição da república Federativa do Brasil de 1988. Artigo 217 de 5 de outubro de 1988. Seção III do desporto. Brasília: Casa Civil, 1988. Disponível em: . Acesso em: 07 abr. 2016.

BRASIL. Ministério da educação e Cultura. Jogos Escolares brasileiros, Lei n 6251 de 1975. Brasília: MEC,1976. Disponível em: . Acesso em: 23 mai. 2016.

CAPUTO, E. L.; ROMBALDI, A. J.; SILVA, M.; C. Sintomas de estresse Pré-competitivo em atletas adolescentes de handebol. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, Pelotas, p.1-5, fev. 2016. Disponível em: . Acesso em: 31 jul. 2016.

CASTRO, M. V. Análise das situações competitivas desencadeadoras de estresse em atletas escolares de basquetebol. 2008. 57 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) -Universidade de Brasília, Brasília, 2008.

CÉSAR, M. S. A autoestima e a educação física escolar. 2013. 47f. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura em Educação Física) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2013.

DE ROSE JUNIOR, D. A Competição como Fonte de Estresse no Esporte. Revista Brasileira de Ciência e Movimento. Brasília, v. 10, n. 4, p. 19-26, out. 2002. Disponível em: . Acesso em: 26 mar. 2016.

DE ROSE JUNIOR et al. Situações de jogo como fonte de stress em modalidades esportivas coletivas. Revista Brasileira de Educação Física e Esportes, São Paulo, v. 18, n. 4, p. 385-95, out/dez. 2004. Disponível em: Acesso em: 17 jun. 2016.

FARNÈ, M. O estresse: as vezes é positivo, as vezes é negativo, mas pode ser transformado em um aliado. Paulinas. Edições Loyola, 2003. (Coleção para saber mais, 4)

GOUVEA, F.L et al. Carga psíquica e situações de jogo: avaliação em equipes masculinas e femininas de voleibol infanto-juvenil, Salusvita, Bauru, v. 23, n. 1, p. 63-76, 2004.

Disponível em: . Acesso em: 03 mar. 2016.

MARTINS, L. T.; SILVA, R. O. Competição na Educação Física escolar: quem ganha o jogo? Revista Digital, Buenos Aires, Año 18, n. 188, p. 1-18, jan. 2014. Disponível em: . Acesso em: 15 set. 2016.

NASCIMENTO, L. F. O esporte como fator de desenvolvimento da personalidade. 2012. 39f. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura em Educação física) – Universidade do Extremo Sul Catarinense, Criciúma, 2012.

PEREIRA, R. A. et al. Avaliação do Estado Fisiológico de Escolares Atletas. Revista Brasileira de Ciências da Saúde, João Pessoa, v. 18 n. 4, p. 75-82, 2014. Disponível em: . Acesso em: 03 mar. 2016.

PINTO, J. C. B. L. et al. Monitoramento da carga interna competitiva de uma equipe de basquetebol sub-17 durante os jogos escolares regionais. Cinergis, Santa Cruz do Sul, v. 16, n. 1, p. 2-5. Jan./mar. 2015. Disponível em: . Acesso em: 04 abr. 2016.

PUJALS, C.; VIEIRA, L. F. Análise dos fatores psicológicos que interferem no comportamento dos atletas de futebol de campo. Revista da Educação Física/UEM, Maringá, v. 13, n. 1, p. 89-97, set. 2002

REVERDITO, R. S. et al. Competições Escolares: Reflexão e ação em pedagogia do Esporte para Fazer a Diferença na Escola. Revista UFG, Goiânia, v. 11, n. 1, p. 37-45, 2008. Disponível em: . Acesso em: 25 maio 2016.

SANTOS, B. P.; Influencia da Torcida Sobre o Desempenho de Atletas de Voleibol. 2011. 34f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Educação Física) - Universidade Estadual Paulista, Instituto de Biociências de Rio Claro, Rio Claro, 2011.

SONOO et al. Ansiedade e desempenho: um estudo com uma equipe infantil de voleibol, Motriz, Rio Claro, v.16, n. 3, p. 629-637, jul./set. 2010. Disponível em: . Acesso em: 18 ago. 2016

SOUZA JUNIOR, R. F. S.; BARBOSA, M. S.; CRUZ, I.R.D. Avaliação do estresse pré-competitivo de atletas de um time de voleibol nos jogos escolares de Montes Claros na fase municipal, Revista Digital, Buenos Aires, Año 18, n. 184, p. 1-8, set. 2013. Disponível em: . Acesso em: 20 jun. 2016.

SOUZA, M. S. V. B. Revisitando o significado do estresse no conceito das organizações: uma breve revisão teórico-conceitual. Brasília, 2014. 28f. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização em gestão de pessoas e Coaching) - Centro Universitário de Brasília, Brasília, 2014.

VIANA, M. B. X.; DANTAS, R. A.; SILVA, A. O. A Competição na educação física escolar. Revista Digital, Buenos Aires, Ano 16, n. 165, p. 1-7, fev. 2012. Disponível em: . Acesso em: 15 mar. 2016.

WEIS, G. F.; ROMANZINI, C.L.P.; CARVALHO, V. Competições esportivas como fonte de estresse: análises das esquipes infanto-juvenis do projeto Cestinha em Santa Cruz do Sul/RS. Revista brasileira de Ciência e Movimento, Santa Cruz do Sul, v. 19, n. 1, p. 58-65, 2011




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv5n8-050