Análise do desempenho das exportações brasileiras de mamão / Performance analysis of Brazilian papaya exports

Marcela Guastalli Barbieri, Andréia Cristina de Oliveira Adami, Margarete Boteon, Laís Ribeiro da Silva Marcomini

Abstract


Entre 1995 e 2018, as exportações brasileiras de mamão se expandiram, colocando o país entre os principais fornecedores mundiais e o maior para a União Europeia (principal compradora da fruta nacional). De modo a analisar os fatores que contribuíram para a ascensão dos embarques brasileiros de mamão, neste trabalho foram realizados uma revisão bibliográfica sobre o assunto e aplicados os seguintes métodos: Vantagem Comparativa Revelada (VCR), que demonstrou ganho de participação do Brasil nas exportações mundiais; e o Constant Market Share (CMS), que decompôs os três principais fatores responsáveis pelo bom desempenho em: crescimento do comércio mundial, consumo nos destinos e competitividade. Além disso, ajustou-se um modelo de exportação com o objetivo de identificar os principais fatores responsáveis pelo deslocamento das mesmas, como o preço externo e a renda da União Europeia, que foram os principais determinantes. Por fim, o indicador de atratividade das exportações (IAT) sinalizou que os preços das exportações brasileiras (em Reais) foram bastante atrativos ao longo do período analisado. Porém, vale ressaltar que o preço de exportação contabiliza, além do preço ao produtor, os encargos tecnológicos e logísticos para se enviar essa fruta até o porto ou aeroporto de saída do Brasil.

 

 


Keywords


mamão, produção, exportação, competitividade, atratividade.

References


ADAMI, A. C. O., SOUSA, E. P, FRICKS, L. B., MIRANDA, S. H. G. Oferta de exportação de frutas do brasil no período de 2004 a 2015: o caso da manga e do melão. Rev. Econ. NE, Fortaleza, v. 47, n. 4, p. 63-78, out/dez., 2016.

BALASSA, B. Trade Liberazition and Revealed Comparative Advantage. The Manchester School of Economic and Social Studies, 1965.

BARBIERI, M. Análise conjuntural do mercado interno do mamão brasileiro nos últimos 10 anos (2007-2017). VII Simpósio do Papaya Brasileiro. Anais... Potencialidades e limitações da produção e exportação do mamão no Brasil, Espírito Santo, Vitória, 2018.

BARBIERI, M. G; PALMIERI, F. G; BOTEON, M. Análise do desempenho das exportações brasileiras de mamão nos últimos 20 anos. XXV Simpósio Internacional de Iniciação Cientifica e Tecnológica da Universidade de São Paulo (SIICUSP). Anais... Escola Superior de “Agricultura Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2017.

BARROS, G. S. C.; BACCHI, M. R. P.; BURNQUIST, H. L. Estimação de equações de oferta de exportação de produtos agropecuários para o Brasil (1992/2000). Brasília: Instituto de Pesquisa em Economia Aplicada - IPEA. 2002. 30 p. (IPEA. Texto para discussão n. 865).

CANUTO, O.; XAVIER, C.L. Padrões de Especialização e Competitividade no Comércio Exterior Brasileiro: uma análise estrutural-diferencial. Revista Paranaense de Desenvolvimento. Curitiba, nº 97, p. 33-47, set/dez 1999.

CARDOSO, V. L; MEDEIROS, J. X; ESPÍRITO SANTO, E. Competitividade e coordenação no sistema agroindustrial exportador de mamão brasileiro - estudo de casos múltiplos. Revista de Administração, São Paulo, vol. 42, n. 2, p. 178-191, abr/mai/jun. 2007.

CARVALHO, F.M.A. O comportamento das exportações brasileiras e a dinâmica do complexo agroindustrial. 1995. 126 p. Tese (Doutorado em Economia Aplicada) – Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo, Piracicaba, 1995.

CEPEA, Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada. Metodologia para Cálculo dos Indicadores de Exportação do Agronegócio. Disponível em: . Acessado em: 29-11-2018.

CNA; ABRAFRUTAS; HORTIFRUTI. Cenário Hortifruti Brasil 2018. Disponível em: < https://d335luupugsy2.cloudfront.net/cms/files/62891/1540997262Relatorio-Hortifruti-resumo-executivo.pdf>. Acesso em: 01-12-2018.

DANTAS, J. L. L.; LUCENA, R. S.; VILAS BOAS, S. A. Avaliação agronômica de linhagens e híbridos de mamoeiro. Rev. Bras. Frutic., Jaboticabal, v. 37, n. 1, p. 138-148, mar. 2015. Disponível em: < http://dx.doi.org/10.1590/0100-2945-022/14>. Acessado em: 24-11-2018.

EUROSTAT. European Estatistics. Disponível em: . Acesso em: 01-12-2018.

FAO. Food and Agriculture Organization. FAOSTAT. Disponível em: . Acesso em: 10-05-2018.

FARIAS, A.R.N; OLIVEIRA, A.M.G; SANTOS FILHO, H.P; DANTAS, J.L.L; OLIVEIRA, M.A; SANCHES, N.M; MEDINA, V.M; CORDEIRO, Z.J.M. A Cultura do Mamão. Brasília: Embrapa-SPI, Coleção Plantar, 37, 1998.

FERREGUETTI, G. A. Caliman 01 – O primeiro híbrido de mamão formosa brasileiro. Simpósio Papaya Brasil 2003. Anais... Vitória (ES), p. 211-218, 2003.

HAGUENAUER, L. Competitividade: conceitos e medidas: uma resenha da bibliografia recente com ênfase no caso brasileiro. Rev. econ. contemp. Rio de Janeiro, v. 16, n. 1, p. 146-176, abr. 2012. Disponível em: . Acesso em: 01-10-2018.

JUNIOR, C.; SIDONIO, L.; MORAES, V. E. G. Fruticultura: formas de organização nos principais países exportadores. BNDES Setorial, 4, p. 239-270. 2011.

KRISHNA, K. L; PARIDHAVI, M; PATEL, J. A. Review on nutritional, medicinal and pharmacological properties of papaya (carica papaya linn.). Natural Product Radiance, vol. 7 (4), p. 364-373, 2008.

LEAMER, E.E.; STERN, R.M. Quantitative international economics. Chicago: Aldine Publications, p. 209, 1970.

LIMA, R. C. A; LIMA, J. A. A.; SOUZA JR, M. T; PIO-RIBEIRO, G; ANDRADE, G. P. Etiologia e estratégias de controle de viroses do mamoeiro no Brasil. Fitopatologia Brasileira, vol. 26, p. 689-702, 2001.

MADB. Tariff and other import measures applied to product imported. Market Acess Database. European Commission. Disponível em: . Acesso em: 29-10-2018.

MARTINS, G. N; SILVA, R. F; ARAUJO, E. F; PEREIRA, M. G; VIEIRA, H. D; VIANA, A. P. Influência do tipo de fruto, peso específico das sementes e período de armazenamento na qualidade fisiológica de sementes de mamão do grupo formosa. Revista Brasileira de Sementes, vol. 27, nº 2, p.12-17, 2005.

MIRANDA, S. H. G. Quantificação dos efeitos das barreiras não tarifárias sobre as expor- tações brasileiras de carne bovina. Piracicaba. Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” (Tese de Doutorado), 233p, 2001.

MURAYAMA, S.J. Fruticultura – 2 ed. Campinas: Instituto Campineiro de Ensino Agrícola, 1986.

OHLIN, G. Interregional and International Trade. Cambridge, Mass., Harvard University Press, 1933.

REIS, J. N. P. Competitividade das exportações brasileiras de frutas tropicais. Revista de Ciências Administrativas, Fortaleza, v. 11, n. 1, p. 125-132, ago. 2005.

RICARDO, David. Principies of Political Economy and Texation. London, John Murray, 1817.

RODRIGUES, J. Competitividade das exportações brasileiras de frutas para o mercado europeu. Dissertação (Mestrado em Administração e Desenvolvimento Rural) – Universidade Federal Rural de Pernambuco, Pernambuco, 2012.

RODRIGUES, S. B. Competitividade, alianças estratégicas e gerencia internacional. São Paulo: Atlas, 1999.

RUBIN, L. S., ILHA, A. S., WAQUIL, P. D. O comércio potencial brasileiro de carne bovina no contexto de integração regional. Revista de Economia e Sociologia Rural, Piracicaba, v.46, n.4, p.1067- 1094, 2008.

RUGGIERO, C. Propagação do mamoeiro. In: RUGGIERO, C. Simpósio Brasileiro sobre a Cultura do Mamoeiro. Anais... Jaboticabal (SP), p.79-87, 1980.

SCOTT, B. R., E LODGE, G. C. US competitiviness in the word economy. Boston, Massachusetts: Harvard Business School, 1985.

SECEX/MDIC. Secretaria de Comércio Exterior do Ministerio do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior . Portal Comex Stat. Disponível em: . Acesso em: 05-06-2018.

SILVA, C. R.; CARVALHO, M. A. Fontes de crescimento das exportações agrícolas brasileiras. In: Congresso de Economia e Sociologia Rural, 41., 2003, Juiz de Fora. Anais... Brasília: SOBER, 2003. 1 CD-ROM.

TOMICH, F.A. Competitividade das exportações brasileiras de frutas selecionadas. 1999. 95 p. Tese (Doutorado em Economia Rural) – Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 1999.

TRADE HELPDESK. Statistics of European Commission. Disponível em: . Acesso em: 24-11-2018.

USITC DATAWEB. Tariff and Trade Data for a specific product. International Trade Comission, United States. Disponível em: . Acesso em: 29-10-2018.

VASCONCELLOS, M. A. S. Economia micro e macro: teoria e exercícios. 5 ed. São Paulo: Atlas, 2011.

VITTI, A. Análise da competitividade das exportações brasileiras de frutas selecionadas no mercado internacional. Tese (Mestrado em Economia Aplicada) – Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” – USP, Piracicaba, 2009




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv5n8-058

DOI (PDF (Português (Brasil))): https://doi.org/10.34117/bjd.v5i8.2776.g2753