Estratégias e ressignificação das aulas de inglês para alunos do ensino fundamental ii em escolas públicas de eunápolis-ba / Strategies and ressignification of english classes for students of fundamental ii education in public schools of eunápolis-ba

Roselma Vieira Cajazeira, Magno Santos Batista

Abstract


RESUMO

Este trabalho tem por objetivo apresentar o resultado de uma pesquisa desenvolvida com alunos de língua inglesa do Ensino Fundamental II, especificamente do nono ano, de uma escola pública na cidade de Eunápolis-Ba. Na ocasião, a pesquisa contou com a participação de nove estudantes (13 a 16 anos) que se disponibilizaram para expor, através de um questionário, as suas experiências com o uso dos jogos on-line nas aulas de língua inglesa. Do ponto de vista teórico e metodológico, a pesquisa enquadra-se teoricamente em Paiva (2012), Leffa (2012), Barcelos (2006), Wulff (1995) apud Sposito; Carrano (2003), Weisheimer (2004), dentre outros. Do ponto de vista metodológico percorremos o caminho etnográfico e utilizamos duas ferramentas que contemplam essa perspectiva: a observação e o questionário. Além disso, esse caminho metodológico, nos possibilitou perceber que a pergunta: Inglês para quê? Obteve como resposta a motivação, a amplitude de vocabulário, a interação e, sobretudo o desejo de aprender à língua. Isso, só foi possível a partir da mudança da ferramenta de ensino, que no caso desta investigação, foram os jogos on-line. Além do mais, algumas questões são evidenciadas, até quando o ensino de inglês será resignado para os discentes? Até que ponto as políticas públicas educacionais estarão omissas a esses jovens que desejam aprender à língua estrangeira para galgar outros espaços? Essas perguntas representam reflexões desencadeadas ao fim da pesquisa, e como tais precisam ser respondidas.


Keywords


Jogos online, Estratégias e ressignificação de ensino, Ensino de inglês.

References


BARCELOS, Ana Maria Ferreira. Reflexões acerca da mudança de crenças sobre ensino e aprendizagem de línguas. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, v. 7, n. 2, p. 109-138, 2007. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbla/v7n2/06.pdf. acesso em: 20, fevereiro, 2020.

CAMPOS, M. S. F; OLIVEIRIA, K. S. Aprendizagem de língua inglesa através de jogos não didáticos. Trabalho apresentado no XX CELLIP, Londrina, 2011.

CELANI, M.A .A. & MAGALHÃES, M.C.C. 2002. Representações de professores de inglês como língua estrangeira sobre suas identidades sociais: uma proposta de reconstrução. In: MOITA LOPES, L.P. e BASTOS, L.C. (orgs.). Identidades: recortes multi e Interdisciplinares. Campinas: Mercado de Letras.

CELANI, Maria Antonieta Alba (Org.). Professores e formadores em mudança: Relato de um processo de reflexão e transformação da prática docente. São Paulo: Pontes, 2006.

HOSTETTER, Obe. Video Games - The Necessity of Incorporating Video Games as part of Constructivist Learning. Game Research. Disponível em: Acesso em: 20, Janeiro, 2020.

KUMARAVADIVELU, B. Beyond Methods: Macro strategies for Language Teaching. New Haven & London: Yale University Press, 2003.

LEFFA; BOHN; DAMASCENO; MARZAR. Quando jogar é aprender: o videogame na sala de aula. In: Rev. Est. Ling., Belo Horizonte, v . 20, n. 1, p. 209-230, jan./jun. 2012.

SANTOS, D. Ensino de Língua Inglesa: foco em estratégias. Barueri: Disal, 2012.

SPOSITO, Marília Pontes (coord.), (1997). Estudos sobre juventude em educação. Revista Brasileira de Educação, São Paulo, nº 5/6, p. 37-52, maio-dez. Disponível:https://www.researchgate.net/profile/Marilia_Sposito/publication/242205453_Estudos_sobre_juventude_em_educacao. Acessado: 20, fevereiro, 2020.

SPOSITO, Marília Pontes; CARRANO, Paulo Cesar Rodrigues. Juventude e políticas públicas no Brasil. Revista Brasileira de Educação, n, 24, 2003. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1413-24782003000300003. Acesso em: 20, fevereiro, 2020.

PAIVA, Vera Lúcia Menezes Oliveira. Memórias de aprendizagem de professores de língua inglesa. Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)/ CNPq, 2012. Disponível em:. Acessado em: 20, fevereiro, 2020.

SOLA, Lourdes. Juventude, comunidade política e sociedade civil. In: Jovens acontecendo na trilha das políticas públicas. Brasília: CNPD, p.753-768.

TELLES, João Antônio. Linguagem & Ensino: È pesquisa, é? Ah, não quero, não, bem! Sobre pesquisa acadêmica e sua relação com a prática do professor de línguas. Pelotas: UNESP, 2002.

VALENTE, J. A. Diferentes usos do computador na Educação. In: Computadores e conhecimento: repensando a educação. Campinas: Gráfica Central da Unicamp, 1993.

VIEIRA ABRAHÃO, M. H.; PAIVA, V. L. M (2012) Repensando o curso de Letras: habilitação em Língua Estrangeira. In: Leffa, V.J [Compilador]. TELA [Textos em Linguística Aplicada] [CD- ROM], Pelotas: Educa.

WEISHEIMER, Nilson. Os Jovens Agricultores e seus projetos profissionais: Um estudo de caso no bairro de Escadinhas, Feliz (RS). Porto Alegre: UFRGS, 2004. Dissertação (Mestrado em Sociologia), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2004.

WERBACH, Kevin; HUNTER, Dan. For The Win: How Game Thinking Can Revolutionize Your Business. Filadélfia, Pensilvânia: Wharton Digital Press, 2012.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n4-242

Refbacks

  • There are currently no refbacks.