A experiência da monitoria na disciplina “psicodiagnóstico ii” do curso de psicologia / The experience of monitoring in the "psychodiagnostic ii" subject of the psychology course

Elcimar do Amaral Bosco, Luciano Barbosa de Queiroz, Geyssy Yorrana Canedo, Sandra de Fátima Barboza Ferreira, Ariane Cristina Ramello de Carvalho

Abstract


Este trabalho constitui o relato de experiência das atividades de monitoria acadêmica realizadas na disciplina de “Psicodiagnóstico II” do curso de Psicologia. O objetivo da disciplina é promover uma experiência de atendimento em avaliação psicológica de crianças e adolescentes com idade entre os 6 e 16 anos. A disciplina integra conhecimentos relacionados à psicologia do desenvolvimento, psicopatologia, bem como instrumentação psicológica abrangente; inclui técnicas de observação, entrevista, testagem, escuta psicológica e ludodiagnóstico; além da produção de um documento derivado do processo interventivo. A monitoria nesta disciplina tem por objetivos: auxiliar alunos com dificuldades de aprendizagem; consolidar os conhecimentos teóricos e práticos de avaliação psicológica; e preparar o monitor para atividade de docência. Esse relato de experiência destaca a importância da monitoria acadêmica no processo ensino-aprendizagem de Psicodiagnóstico, além de sua relevância para a melhoria da formação acadêmica dos alunos envolvidos.

 

 


Keywords


Avaliação Psicológica, Psicodiagnóstico, Ensino, Aprendizagem.

References


AFFONSO, R. M. L. Ludodiagnóstico. Investigação Clínica através do brinquedo. Porto Alegre: Artmed, 2012.

BAPTISTA, M. N. et al. (org.). Compêndio de avaliação psicológica. Rio de Janeiro: Editora Vozes, 2019.

BECKER, E. ; DONATELLI, M.F.; e SANTIAGO, M.D. Metáfora e devolução: o livro de história no processo de psicodiagnóstico interventivo. In: ANCONA-LOPEZ, S. (Org.). Psicodiagnóstico Interventivo. Evolução de uma prática. São Paulo: Cortez, 2013.

BRASIL. Universidade Federal de Goiás. Resolução CEPEC 1190/2013. Programa de Monitoria. Goiânia, 3 de Maio de 2013. Disponível em: . Acesso em: 30 agosto de 2016.

_______. Lei nº 9.394. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União. Brasília, Presidência da República, 1996.

CUNHA, Jurema Alcides. Psicodiagnóstico V. Porto Alegre: Artes Médicas: 2000.

GOIÂNIA. Programa da disciplina Psicodiagnóstico II, da Universidade Federal de Goiás, oferecido no primeiro semestre do ano de 2016.

________. Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em Psicologia - Modalidades: Específico da profissão - Psicólogo e Formação do professor em Psicologia, da Universidade Federal de Goiás. 2007. Disponível em: https://psicologia.fe.ufg.br/p/9814-apresentacao . Acesso em: 30 de agosto de 2016.

________. Resolução CEPEC nº 1190. Cria o Programa de Monitoria da UFG, fixa os objetivos e estabelece as estruturas de funcionamento da Monitoria da UFG, e revoga a Resolução CEPEC nº 242/85. Goiânia, CEPEC, 2013.

HUTZ, C. S.; BANDEIRA, D. R. TRENTINI, C. M. Psicodiagnóstico. Porto Alegre: Artmed, 2016.

OCAMPO, M. L. O processo psicodiagnóstico e as técnicas projetivas. São Paulo: Martins Fontes, 2011.

RIGONI, Maisa S.; SÁ, Samantha Duburgas. O processo psicodiagnóstico. In: HUTZ, C. S. et al. (org.). Psicodiagnóstico. Porto Alegre: Artmed, 2016, p. 47-60.

SEGABINAZI, Joice Dickel. Integração dos dados coletados e o diagnóstico psicológico. In: HUTZ, C. S. et al. (org.). Psicodiagnóstico. Porto Alegre: Artmed, 2016, p. 264-285.

YATES, Denise Balem. Técnicas e modalidades de supervisão em psicodiagnóstico. In: HUTZ, C. S. et al. (org.). Psicodiagnóstico. Porto Alegre: Artmed, 2016, p. 349-368.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n4-345