Avaliação citotóxica, genotóxica e antiprofilerativa de Cinchona officinalis L. (Rubiaceae) / Cytotoxic, genotoxic and anti-prophylactic evaluation of Cinchona officinalis L. (Rubiaceae)

Weslaine de Almeida Macedo, Bruna Natália Veloso dos Santos, Vanessa dos Santo de Mello, Isane Vera Karsburg

Abstract


A espécie Cinchona officinalis L. pertence a ordem Rubiales e à família Rubiaceae é popularmente conhecida como China, Quina ou Quininha, possui alto valor econômico e medicinal, sendo muito utilizada para tratar doenças como a malária, cãibras musculares, inflamações entre outras. O objetivo deste trabalho foi avaliar a padronização correta das diferentes concentrações de C. officinalis utilizando dois bioindicadores como teste in vivo Allium cepa e Pisum sativum. Os meristemas radiculares de Allium cepa e Pisum sativum após obterem desenvolvimento de 2 mm das radículas em placa de petri com papel germitest e água destilada e, no caso de A. cepa com raízes de 2 cm em copos descartáveis obtidas sob água destilada, foram expostos aos diferentes tratamentos das infusões. Foram utilizadas 3 concentrações (1g, 2g e 3g) da casca de C. officinalis para a preparação da infusão, e os controles negativo (água destilada) e positivo (paracetamol 20%). Os meristemas foram coletados após 24, 48, 72 e 96 horas. Após coleta, os meristemas foram lavados em água destilada com 3 trocas consecutivas e fixados em solução de metanol : ácido acético (3:1) por pelo menos 24 horas sob refrigeração. Para análise do material, os meristemas foram submetidos a técnica de esmagamento com uma gota de Orceina acética 2%. Foram realizadas 15 lâminas de cada tratamento e contabilizadas 300 células por lâmina. A observação das lâminas foi realizada em microscópio óptico sob magnitude de 400x, sob a técnica de varredura. Os biotestes A. cepa e P. sativum foram sensíveis e eficientes para analisar a toxidez de C. officinalis, foi verificado efeito antiprofilerativo nos dois bioindicadores, indicando assim a citogenotoxicidade da planta.


Keywords


Citogenotoxicidade, Efeito antiprofilerativo, Quina.

References


AMOROZO, M.C.M. Uso e diversidade de plantas medicinais em Santo Antonio do Leverger, MT, Brasil. Acta Botânica Brasilica, 16, 189-203, 2002.

BAGATINI, M.D. SILVA, A.C.F.D.; TEDESCO, S.B. Uso do sistema teste de Allium cepa como bioindicador de genotoxicidade de infusões de plantas medicinais. Revista Brasileira de Farmacognosia, 17, 444-7, 2007.

BARABANOV, P.V.; GERASIMOV, A.V.; BLINOV, A.V.; KRAVTSOV, A.A.; KRAVTSOV, V.A. Influence of nanosilver on the efficiency of Pisum sativum crops germination. Ecotoxicology and environmental safety, 147, 715-719, 2018.

CONICELLA, C.; ERRICO, A.A. (1990). Karyotype variations in Pisum sativum ect. abyssinicum. Caryologia, 43, 87-97.

DOS SANTOS, N.P., PINTO, A.C. “A Mata é sua Farmácia”– A Pesquisa de Plantas Brasileiras para o Combate de Doenças Tropicais no Século XIX. Revista Virtual de Química, 4, 162-172, 2012.

FABIANO-TIXIER, A.S.; ELOMRI, A.; BLANCKAERT, A.; SEGUIN, E.; PETITCOLAS, E.; CHEMAT, F. Rapid and green analytical method for the determination of quinoline alkaloids from Cinchona succirubra based on microwave-integrated extraction and leaching (MIEL) prior to high performance liquid chromatography. International journal of molecular sciences. 12, 7846-7860, 2011.

FERREIRA, E.B.; CAVALCANTI, P.P.; NOGUEIRA, D.A. ExpDes: experimental designs package. R package version, 1(2), 2013.

FIRMO, W.D.C.A.; DE MENEZES, V.D.J.M.; PASSOS, C.E.C.; DIAS, C.N.; ALVES, L.P.L.; DIAS, I.C.L.; OLEA, R.S.G. Contexto histórico, uso popular e concepção científica sobre plantas medicinais. Cadernos de Pesquisa, Especial, 90-95, 2012.

GROVER, I.S.; KAUR, S. Genotoxicity of wastewater samples from sewage and industrial effluent detected by the Allium root anaphase aberration and micronucleus assays. Mutation Research/Fundamental and Molecular Mechanisms of Mutagenesis, 426, 183-188. 1999.

GUERRA, M.; SOUZA, M. D. Como observar cromossomos: um guia de técnicas em citogenética vegetal, animal e humana. Ribeirão Preto: FUNPEC, 201, 2002.

GURUNG, P.; DE, P. Spectrum of biological properties of Cinchona alkaloids: A brief review. Journal of Pharmacognosy and Phytochemistry , 6(4), 162-166, 2017.

MARRIOTT, R. Natural flavourings from green chemistry for foods and beverages. In Natural Food Additives, Ingredients and Flavourings, Woodhead Publishing 260-278, 2012.

MELLO, V.D.S.; MIRANDA, D.P.; DA SILVA, D.D.; MACHADO, D.; DA SILVA, A.B.; DAHMER, N.; KARSBURG, I.V. Efeito Genotóxico de Licor Pirolenhoso de Teca pelo Bioindicador Ervilha. Estudos, 41, 141-146, 2015.

NATARAJAN, A.T. Chromosome aberrations: past, present and future. Mutation Research/Fundamental and Molecular Mechanisms of Mutagenesis, 504, 3-16, 2002.

PRADEEPA, R. Pharmacognostical and Phytochemical Studies on Leaves of Cinchona officinalis. Research Journal of Pharmacognosy and Phytochemistry, 10 (3): 246-250, 2018.

RAGHUVANSHI, S.S.; SINGH, A.K. Effect of gamma rays on growth and Karyokinetic activity in Trigonella foenum-oraceum L. Cytologia 4, 177 – 186, 1976.

SARITAMA, J.M.R. Rasgos morfológicos de frutos, semillas y embriones de Cinchona officinalis L.(RUBIACEAE) en el sur del Ecuador. Revista Ecuatoriana de Medicina y Ciencias Biológicas, 36, 27-35, 2017.

SILVA, L.P.; BOSSO, A.A.; CARDOSO, S.C. Avaliação da Citotoxicidade da Própolis em Células Meristemáticas de Allium cepa. UNOPAR Científica Ciências Exatas e Tecnológicas, 9, 1- 4, (2015).

TERRAZAS, P. M. Estudo do potencial genotóxico da Gutiferona A em diferentes células de camundongos in vitro. 2013. 67 p. Dissertação de mestrado (Programa de Pós Graduação em Biologia Geral e Aplicada) Universidade Estadual Paulista. Botucatu – SP, 2013.

TUSELL, L.; PAMPALONA, J.; SOLER, D.; FRIAS, C.; GENESCA, A. Different outcomes of telomeredependent anaphase bridges. Biochemical Society Transactions 38, 1698 – 1703, 2010.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n4-509

Refbacks

  • There are currently no refbacks.