Impacto do calçado com salto em mulheres de 18 a 35 anos / Impact of footwear with heel on women 18 to 35 years old

Kauane Alencar Rodrigues, José Mário dos Santos Pachêco, Claudionor Pereira do Nascimento Júnior, Giliena Barros Alves, Rayssa Maria de Araújo Carvalho, Neusa Barros Dantas Neta, Klégea Câncio Ramos Cantinho, Gabriela Dantas Carvalho

Abstract


INTRODUCAO: Os calçados servem como suporte de proteção e aprimoramento das funções desempenhadas pelos pés, no entanto, os diferentes modelos pautados na estética, são uma das principais causas de desordens musculoesqueléticas. OBJETIVO: Avaliar o impacto do uso dos calçados com salto em mulheres com idade entre 18 e 35 anos. MÉTODOS: Trata-se de um estudo transversal, realizado entre abril a junho de 2019, com 50 mulheres de uma instituição de ensino. Os dados foram coletados através de um questionário semiestruturado e Escala Analógica Visual de Dor. A pesquisa foi aprovada pelo comitê de ética sob o número de parecer 2.028.140. Todas as voluntárias assinaram o termo de consentimento livre esclarecido. Os dados foram organizados em planilha Excel e a análise estatística pelo software Action, com aplicação do teste de t student. Considerou-se significativos valores de p<0,05.  Os dados foram expressos em tabelas e figuras. RESULTADOS: 56% encontra-se com idade entre 17 a 21 anos, 64% (n=24) e apenas estuda (64%, n=32). 60% (n=30), descrevem usarem salto entre 1 a 2 dias da semana, seguido de 32% (n=16) para 5 a 6 dias, tendo prevalência de saltos de 3 a 6 centímetros (58%, n=29), do tipo grosso (52,5%, n=42). 37% relata manter-se de salto caminhando ou sentada, apresentando dor de moderada (38,75%, n=31) a intensa (38,75%, n=31), em especial, na base dos metatarsos, seguido da lombar, panturrilha e dedos. CONCLUSÃO: O uso de calçados com salto gera sobrecarga, levando a quadro dolorosos e posturais. A apresentação dos sintomas são diretamente proporcionais ao tempo de uso e o tipo de salto.


Keywords


Mulheres, Salto alto, Disfunção musculoesquelética.

References


AGUIAR-JUNIOR, A.S.; Freitas TM. Biomecânica da marcha e da postura com calçado de salto alto. Fisioter Bras., v.5, n. 3, p. 183-7, 2004.

ALVES, LL.; KATO, L.N.; SANTANA, LA. Relação entre o uso do calçado de salto alto e o encurtamento da musculatura posterior de membro inferior e tronco. Fisioterapia Brasil, v. 13, n. 1, p. 9- 12, 2012.

BANNACH, D.; HORODÉSKI, J.S. Estudo comparativo do equilíbrio e das pressões plantares no antepé nos diferentes biotipos de mulheres que fazem o uso de salto alto. Saúde Meio Ambient., v. 1, n. 1, p. 143-162, 2012.

BERTONCELLO, D.; SÁ, C.S.C.; CALAPODÓPULO, A.H.; LEMOS, V.L. Equilíbrio e retração muscular em jovens estudantes usuárias de calçado de salto alto. Fisioter Pesq., v. 16, n. 2, p. 107-12, 2009.

BRICOT, B. Postura normal y postura patológica. Revista IPP, n. 2, 2008.

FERREIRA, E.A.G. Postura e controle postural: desenvolvimento e aplicação de método quantitativo de avaliação postural. Tese (Doutorado) - Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo – SP, 2005.

FREITAS M.T., AGUIAR A.S. Biomecânica da marcha e da postura com calçado de salto alto. Fisioter Bras. v. 5, n.3, p.183-187, 2004.

HANSEN, A.H.; CHILDRESS, D.S. Effects of shoe heel height on biologic rollover characteristics during walking. J Rehab Res Develop., v. 41, n. 4, p. 547-54, 2004.

HOPPENFELD, S. Propedêutica Ortopédica: Coluna e Extremidades. Rio de Janeiro: Atheneu, 1999.

IUNES, D.H.; MONTE-RASO, V.V.; SANTOS, C.B.A.; CASTRO, F.A.; SALGADO, H.S. A influência postural do salto alto em mulheres adultas: Análise por biofotogrametria computadorizada. Rev Bras Fisioter., v.12, n. 6, p. 441-6, 2008.

JENSEN, M.P.; KAROLY, P.; BRAVER, S. The measurement of clinical pain intensity: a comparison of six methods. Pain, v. 27, p. 117-26, 1986.

KERRIGAN, D.; LELAS, J.; KARVOSKY, M. Women’s shoes and knee osteoarthritis. Lancet., v. 357, n. 9262, p. 1097-98, 2001.

LUNES, D.H.; MONTE-RASO, V.V.; SANTOS, C.B.A.; CASTRO, F.A.; SALGADO, H.S. Postural influence of high heels among adult women: analysis by computerized photogrammetry. Brazilian Journal of Physical Therapy., v.12, n.6, p. 441-446, 2008.

LIMANA, M.D.; DEPRÁ, P.P.; CAPELINI, J.C.; MORI, M.L.G.T.S. Efeito agudo do calçado de diferentes alturas sobre o comportamento angular do tornozelo. Fisioter Pesq., v.19, n. 3, p. 222-227, 2012.

MORAES, G.F.S.; ANTUNES, A.P.; REZENDE, E.S.; OLIVEIRA, P.C.R. Uso de diferentes tipos de calçado não interfere na postura ortostática de mulheres hígidas. Fisioter Mov., v. 23, n. 4, p. 565-74, 2010.

MORAES, G.F.S.; ANTUNES, A.P.; REZENDE, E.S. Uso de diferentes tipos de calçados não interfere na postura ortostática de mulheres hígidas. Fisioter Mov., v. 23, n. 4, p. 565-74, 2010.

NASSER, J.P.; MELLO, S.I.L.; ÁVILA, A.O.V. Análise do impulso em calçados femininos em diferentes alturas de salto. Anais do VII Congresso Brasileiro de Biomecânica., p. 491-93, 1999.

NORDIN, N.; FRANKEL, V.H. Biomecânica básica do sistema músculo esquelético. 3 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2003.

NORKIN, C. Análise da Marcha. In: O'SULLIVAN, Susan B.: Fisioterapia: Avaliação e Tratamento. 2. ed. São Paulo: Manole; 1993.

OLIVEIRA, M.J.; MARQUES, R.M.; VENDRAMINI, A.A. A influência do salto alto em estudantes universitárias: análise por biofotogrametria e platingrafia. Revista Conexão Saúde, v. 2, n. 2, p. 13-30, 2015.

PEGORETTI, C.; BRENZIKOFER, R.; WITTIG, DS.; BENETTI, F.A.; DEPRÁ, PP.; CAMPOS, MH. A influencia do aumento da altura dos saltos dos calcados na lordose lombar. Revista ciência medica, v.14, n.5, 425-432, 2005.

PEZZAN, P.A.; SACCO, I.C.; JOÃO, S.M. Foot posture and classification of the plantar arch among adolescent wearers and non-wearers of high-heeled shoes. Rev Bras Fisioter., v. 13, p. 398-404, 2009.

SANTOS, C.L.; NORONHA, D.O.; GOMES, C.A.; FERNANDES, P.R.; FERNANDES-FILHO, J. Repercussões biomecânicas do uso de salto alto na cinemática da marcha: um estudo retrospectivo de 1990 a 2007. Revista de Educação Física; v. 143, p. 47-53, 2008.

SANTOS, T.; OLIVEIRA, L.; PATRICIO, N.; BAPTISTA, A. F.; MENDES, S.M.D.; NETO, J.A.C.; SÁ, K.N. Alterações Lombo-Pelvicas Provenientes do Uso de Salto Alto. Revista de Pesquisa em Fisioterapia, 2011.

SEFERIN, M.; VAN DER LINDEN, J. Protection or pleasure: female footwear. Work: A Journal of Prevention, Assessment and Rehabilitation, v. 41, n. 1, p. 290-294, 2012.

SILVA, A.M.; SIQUEIRA, G.R.; DA SILVA, G.A.P. Repercussões do uso do calçado de salto alto na postura corporal de adolescentes. Rev Paul Pediatr., v. 31, n. 2, p. 265-71, 2013.

STREHLAU, S.; ESPIRITO SANTO, A.C.; WELTER, L. Salto alto: um estudo sobre personalidade e consciência de moda. Revista Brasileira de Marketing - REMark, v. 12, n. 2, p. 203-225, abr./jun. 2013.

TEDESCHI-FILHO, W.; PICCINATO, C.E.; MORIYA, T. Influência da altura do salto de sapatos na função venosa da mulher jovem. J Vasc Bras., v. 6, n. 4, p. 352-8, 2007.

TEIXEIRA, C.E.; RETONDAR, J.J. The use of high heel by young women: the biomechanic of movement and the imaginary of elegance. Rev Corpus Scient., v.7, p. 38-54, 2011




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n4-523

Refbacks

  • There are currently no refbacks.