Marketing social e ambiental e sua relação com as certificações e selos socioambientais / Social and environmental marketing and its relation to social and environmental certifications

Isabela Kronemberger Mantelli França, Clauciana Schmidt Bueno de Moraes, Muriel de Oliveira Gavira, Christiano França da Cunha

Abstract


O objetivo deste trabalho foi analisar o uso do marketing social e ambiental e sua relação com os selos e certificações socioambientais. Foi realizado um diagnóstico e análise das principais certificações e selos socioambientais utilizados, promovendo uma análise comparativa, avaliando seus objetivos, abrangência, esferas abordadas, métodos e processos avaliativos e pontos positivos e negativos. Foi possível observar que os selos e certificações atuam em diferentes esferas, tais como manejo florestal, construção civil, sistemas de gestão ambiental, produtos agropecuários, entre outros. Possuem diferentes métodos de avaliação, considerando critérios gerais e específicos próprios avaliados por auditorias documentais e presenciais. De modo geral, apresentam benefícios em comum, tais como aumento da vantagem competitiva, melhoria de imagem, reconhecimento do mercado, valorização do produto e visam, em diferentes níveis, a mitigação dos impactos sociais ambientais e gerenciamento adequado dos recursos naturais. Por fim, foi realizada uma pesquisa para analisar o perfil de percepção ambiental dos consumidores frente aos conceitos referentes a este tema, onde foi possível observar um grande reconhecimento de termos frequentes na mídia, tais como sustentabilidade e produto verde, porém, revelou-se desconhecimento de termos específicos como marketing e maquiagem verdes. Notou-se que muitos participantes realizam ações ambientais, como reciclagem e reuso, estão dispostos a pagar mais por produtos que apresentam aspectos ambientais e deixariam de consumir em empresas que possam causar danos ao meio ambiente. Paradoxalmente, tais consumidores não pesquisam sobre as empresas aonde consomem, nem buscam informações ambientais nos rótulos dos produtos que compram, demonstrando a necessidade de maior informação nesta esfera. O estudo do marketing social e ambiental, como instrumento administrativo, e sua relação com as principais certificações e selos socioambientais utilizadas demonstrou-se um importante fator como subsídio para políticas públicas e empresariais, bem como base para possíveis ações frente a melhorias das questões sociais e ambientais.

 


Keywords


Marketing Social e Ambiental, Certificação e Selos Socioambientais, Percepção Ambiental, Administração, Greenwashing.

References


ABNT. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR ISO 14063: gestão ambiental - comunicação ambiental - diretrizes e exemplos. Rio de Janeiro: Rio de Janeiro: ABNT, 2009.

. NBR ISO 14001: sistemas da gestão ambiental - requisitos com orientações para uso. 3. ed.- ed. Rio de Janeiro: Rio de Janeiro: ABNT, 2015.

BOONE, L. E.; KURTZ, D. L. Contemporary marketing. 15. Ed. Orlando: The Dryden Press, 2001.

BORIN, N.; LINDSEY?MULLIKIN, J.; KRISHNAN, R.; LINDSEY-MULLIKIN, J.; KRISHNAN, R. An analysis of consumer reactions to green strategies. Journal of Product & Brand Management, v. 22, n. 2, p. 118–128, abr. 2013. Disponível em:

.

CONAR - CONSELHO NACIONAL DE AUTORREGULAMENTAÇÃO PUBLICITÁRIA. CONAR-Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária. Disponível em: . Acesso em: 10 nov. 2016.

CÓRDOVA, F. P.; SILVEIRA, D. T. A pesquisa científica. In: GERHARDT, T. E.; SILVEIRA, D. T. Métodos de Pesquisa. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2009.

CUNHA, C.F da. Disposição a pagar pelo café orgânico: um estudo no município de São Paulo. 2006. Dissertação (Mestrado em Economia Aplicada) – Escola Superior de Agricultura" Luiz de Queiroz" da Universidade de São Paulo, Piracicaba, São Paulo, Brasil.

CUNHA, C. F. da; SPERS, E.E.; ZYLBERSZTAJN, D. Percepção sobre atributos de sustentabilidade em um varejo supermercadista. RAE-Revista de Administração de Empresas, v. 51, n. 6, p. 542-552, 2011.

DIAS, R. Gestão ambiental: responsabilidade social e sustentabilidade. 1. Ed. São Paulo: Atlas, 2009.

DIAS, R. Marketing ambiental: ética, responsabilidade social e competitividade nos negócios. São Paulo: Atlas, 2007.

DALLA COSTA, E.; MORAES, C. S. B. de. Construção Civil e a Certificação Ambiental: análise comparativa das certificações LEED (Leadership in Energy and Environmental Design) e AQUA (Alta Qualidade Ambiental). Revista Engenharia Ambiental: Pesquisa e Tecnologia, Unipinhal, v. 10, n. 3, p. 160–169, 2013.

ECYCLE. Saiba o que é greenwashing. Disponível em: . Acesso em: 10 nov. 2016.

FSC. FOREST STEWARDSHIP COUNCIL. FSC international standard. FSC principles and criteria for forest (version 4-0). Forest Stewardship Council, 2011.

FREDERICO, E. O que é Marketing ? Antenna Web, n. 4, p. 1–8, 2008.

FRANÇA, I. K. M. et al. Marketing, Certificações e Selos Ambientais: uma Análise Crítica. Anais do 29° Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental. ABES/ FENASAN: Rio de Janeiro, 2017.

FSC. Sobre o FSC Brasil. Disponível em: . Acesso em: 8 nov. 2016a.

. Certificação de manejo florestal. Disponível em: . Acesso em: 8 nov. 2016b.

. Madeira Controlada. Disponível em: . Acesso em: 8 nov. 2016c.

. Certificação de Cadeia de Custódia. Disponível em: . Acesso em: 8 nov. 2016d.

. Custos. Disponível em: . Acesso em: 7 nov. 2016e.

FÜHR, H.; ALLES, K. Marketing Ambiental : Uma Ferramenta Estratégica. 2012. Disponível em: . Acesso em: 19 out. 2016.

FUNDAÇÃO VANZOLINI. Certificação AQUA-HQE. Disponível em:

. Acesso em: 8 nov. 2016.

GAVIRA, M. O.; MORAES, C. S. B.; PUGLIESI, E. Avaliação de Desempenho Ambiental (ADA), comunicação ambiental e relatórios de sustentabilidade: instrumentos ISO 14031, ISO 14063 e GRI. In: MORAES, C. S. B.; PUGLIESI, E. Auditoria e Certificação Ambiental. Curitiba: Editora Intersaberes, 2014. p. 133– 186.

GBC BRASIL. Certificação LEED. Disponível em: . Acesso em: 8 nov. 2016a.

. Tipologia LEED. Disponível em: . Acesso em: 8 nov. 2016b.

GINSBERG, J. M.; BLOOM, P. N. Choosing the Right Green-Marketing Strategy. MIT Sloan Management Review, out. 2004. Disponível em:

. Acesso em: 25 out. 2016.

GLOBAL REPORTING INITIATIVE. About GRI. Disponível em:

. Acesso em: 8 nov. 2016.

IBD CERTIFICAÇÕES. IBD Orgânico e Orgânico Brasil. Disponível em:

. Acesso em: 8 nov. 2016.

IMAFLORA. Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola. Princípios e Critérios RAS. Disponível em:

. Acesso em: 8 nov. 2016.

JOHN, V. M.; PRADO, R. T. A. Boas práticas para habitação mais sustentável. 1. ed. São Paulo: Página & Letras - Editora e Gráfica, 2010.

KOTLER, P.; ARMSTRONG, G. Principles of marketing. 14. ed. New Jersey: Prentice Hall, 2011.

KOTLER, P.; KELLER, K. L. Administração de marketing. 12. ed. São Paulo: PRENTICE HALL BRASIL, 2006.

LAVILLE, É. A empresa verde. São Paulo: São Paulo : Õte, 2009.

LOPES, V. N.; PACAGNAN, M. N. Marketing verde e práticas socioambientais nas indústrias do Paraná. Revista de Administração, v. 49, n. 1, p. 116–128, 2014.

Disponível em: .

MANTELLI, I. K.; Marketing, certificações e selos ambientais: uma análise crítica. Trabalho de Conclusão de Curso (Engenharia Ambiental). Universidade Estadual Paulista. Rio Claro: UNESP, 2016.

MARKET ANALISYS. Greenwashing no Brasil. Disponível em: http://marketanalysis.com.br/publicacoes/greenwashing2014/ Consultado em 09/01/2017.

MARTINI JUNIOR, L. C. de M.; SILVA, E. R. da; MATTOS, U. A. de O. Análise da maquiagem verde (greenwashing) na transparência empresarial. In: Encontro Nacional de Engenharia de Produção, 32., 2012, Bento Gonçalves. Anais... Bento Gonçalves: out. 2012.

MENON, A. Enviropreneurial marketing strategy: the emergence of corporate environmentalism as market strategy. The Journal of Marketing, v. 61, n. 1, p. 51– 67, 1997. Disponível em:

/1252189>.

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA PECUÁRIA E ABASTECIMENTO. Orgânicos.

Disponível em: . Acesso em: 8 nov. 2016a.

. Sistemas Participativos. Disponível em:

. Acesso em: 8 nov. 2016b.

. Certificação por Auditoria. Disponível em:

. Acesso em: 8 nov. 2016c.

MOLINA, N. S. Marketing ambiental e certificações socioambientais: uma análise no contexto do etanol brasileiro. 2010. 128 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Engenharia Ambiental) – Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo, São Carlos, 2010.

MONTEIRO, T. A.; GIULIANI, A.C.; SOCORRO, M. Z; PIZZINATTO, N.K.; CUNHA, C.F da. Consciência ecológica e atitudes dos consumidores: um estudo exploratório sobre seus impactos diante de produtos e marcas. Revista de Administração da UNIMEP, v. 10, n. 3, p. 183-198, 2012.

MORAES, C. S. B. de; PUGLIESI, E. Auditoria e certificação ambiental. 1ª edição. Curitiba: Editora Intersaberes, 2014.

MORAES, C. S. B. de; PUGLIESI, E.; QUEIROZ, O. T. M. M. Gestão e certificação ambiental nas organizações e as normas da séria ISO 14000. In: Auditoria e Certificação Ambiental. Curitiba: InterSaberes, 2014.

MORAES, C. S. B.; RAMOS, L. H. B. ; PUGLIESI, E. ; GUALTER, L. P. T. A norma ISO 14005 como Instrumento de Implementação de Sistemas de Gestão Ambiental em Pequenas e Médias Empresas. ESPACIOS (CARACAS), v. 38, p. 06-22, 2017.

OLIVEIRA, L. R. G. D. de. Barreiras ambientais e seu impacto nas exportações brasileiras. 2009. 23 f. Artigo (Especialização em Econegócios e Gestão Socio Ambiental) - Escola de Administração, Universidade Federal do Rio Grande do Sil, Porto Alegre, 2009.

OTTMAN, J. A. Marketing verde. São Paulo: Makron Books, 1994.

PAGOTTO, É. L. Greenwashing : os conflitos éticos da propaganda ambiental. 2013. 163 f. Dissertação (Mestrado em Ciências) - Escola de Artes, Ciências e Humanidades, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013.

POLONSKY, M.J. An Introduction to Green Marketing. Electronic Green Journal, ISSN: 1076-7975, November. v.1, n.2, 1994.

PROCEL. Regulamento para Concessão do Selo PROCEL de Economia de Energia - Revisão IV, 2013. . Disponível em:

.

PROCEL INFO. Procel Edifica - Eficiência Energética nas Edificações - Apresentações. 2016. Disponível em:

. Acesso em: 8 nov. 2016.

PROTESTE ASSOCIAÇÃO DE CONSUMIDORES. PROTESTE pede providências

ao Conar sobre produtos que fazem maquiagem ambiental. Disponível em:

. Acesso em: 10 nov. 2016.

RAINFOREST ALLIANCE. What Does Rainforest Alliance CertifiedTM Mean? Disponível em: . Acesso em: 8 nov. 2016.

REVISTA OBSERVATÓRIO SOCIAL. Edição Especial 15 anos. O Falso Verde. São Paulo: Ed. Atrativa, 2012.

RIBEIRO, R. A. C.; EPAMINONDAS, L. M. R. Das estratégias do greenmarketing à falácia do greenwashing: a utilização do discurso ambiental no design de embalagens e na publicidade de produtos. V Encontro Nacional da Anppas. Florianópolis, 2010.

SHABANI, N.; ASHOORI, M.; TAGHINEJAD, M.; BEYRAMI, H.; FEKRI, M. N. The study of green consumers’ characteristics and available green sectors in the market.

International Research Journal of Applied and Basic Sciences, Rasht, v. 4, n. 7,

p. 1880–1883, 2013. Disponível em: . Acesso em: 25 out. 2016.

TERRACHOICE - ENVIRONMENTAL MARKETING. The Six Sins of Greenwashing. 2007. Disponível em: . Acesso em: 18 out. 2016.

TERRACHOICE - ENVIRONMENTAL MARKETING. The Six Sins of Greenwashing. 2007. Disponível em: Acesso em: 18 out. 2016.

Acesso em 10/ 06/ 2019.

VIDAL, E.; PAPP, L. M. Certificação e auditoria florestal. In: MORAES, C. S. B. de; PUGLIESI, É. Auditoria e Certificação Ambiental. Curitiba: Editora Intersaberes, 2014. p. 271–308.

VIDIGAL, I. de P. N. A certificação ambiental como instrumento para a competitividade econômica e o desenvolvimento sustentável. In: XXI Encontro Nacional CONPEDI, 11., 2012, Uberlândia. Anais... Uberlândia: Fundação Boiteux, 2012.

XAVIER, R. N.; CHICONATTO, P. O Rumo do Marketing Verde nas Organizações: Conceito, Oportunidades e Limitações. Revista Capital Científico – Eletrônica, Jan/Mar. v. 12, n. 1, 2014.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv5n8-103