Dinâmica da cooperação e intercooperação em roteiros de turismo rural / Dynamics of cooperation and intercooperation in rural tourism routes

Amanda Regina Leite, Jaqueline Berdian de Oliveira, Ana Claudia Machado Padilha, Marcelo Mattos Sá, André da Silva Pereira

Abstract


A pesquisa tem como objetivo compreender quais são os desafios e barreiras da cooperação e intercooperação encontrados pelos empreendimentos de turismo no meio rural na região Sul do Brasil, através de pesquisa realizada em três roteiros turísticos integrados por quatorze empreendimentos na cidade de Erechim/RS. O procedimento metodológico adotado foi a pesquisa de abordagem qualitativa de estudo multicaso. Os dados foram coletados através de roteiro estruturado integrado por 73 perguntas abertas e cinco grupos de questões fechadas perfazendo 79 questionamentos. O resultado da análise indicou que a cooperação e intercooperação são estratégias benéficas para os produtores que atuam no meio rural, especialmente por auxiliar no alcance de objetivos que seriam difíceis de ser alcançados quando atuando de forma individual.

 


Keywords


Cooperação; Intercooperação; Roteiros Turísticos; Meio Rural.

References


ANDERSON, J. C.; HÅKANSSON, H.; JOHANSON, J. Dyadic business relationships within a business network context. Journal of marketing, v. 58, n. 4, p. 1-15, 1994.

AXELROD, R.; HAMILTON, W. D. The evolution of cooperation. Science, v. 211, n. 4489, p. 1390-1396, 1981.

BALESTRIN, A; VERSCHOORE, J. Redes de Cooperação Empresarial: Estratégias de Gestão na Nova Economia. Bookman Editora, 2016.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Edições 70. Lisboa. Portugal, 2011.

BARNEY, J.; HANSEN, M. Trustworthiness as a source of competitive advantage. Strategic management journal, v. 15, n. S1, p. 175-190, 1994.

BATHKE, M. E. M. O turismo sustentável rural como alternativa complementar de renda à propriedade agrícola: estudo de caso-Fazenda Água Santa-São Joaquim-SC. Dissertação (Mestrado em Engenharia da Produção) – Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. 2002.

BRAGA, M. J. Redes, alianças estratégicas e intercooperação: O caso da cadeia produtiva da carne bovina. Revista Brasileira de Zootecnia, v39, p.11-16, 2010.

BRASIL, Ministério do Turismo. Turismo de Rural: conceituação e características básicas. Brasília; Brasil: MTUR. 2010.

BRASIL. Ministério do Turismo. Coordenação Geral de Regionalização. Programa de Regionalização do Turismo – Roteiros do Brasil: Módulo Operacional 7: Regionalização turística. Ministério do Turismo. Brasília, 2007.

BRIONES, G. Métodos y técnicas de investigación para las ciencias sociales. Trillas, 1998.

CARVALHO, M. S.; MOESCH, M.M. Turismo como fenômeno social e suas implicações no espaço rural. Revista Brasileira de Ecoturismo, v.6, n.2, p.442-457. São Paulo, 2013.

CUNHA, S. K. da; CUNHA, J. C. da. Competitividade e sustentabilidade de um cluster de turismo: uma proposta de modelo sistêmico de medida do impacto do turismo no desenvolvimento local. Revista de Administração Contemporânea, v. 9, n. SPE2, p. 63-79, 2005.

Czernek-Marsza?ek, K. (2018). Cooperation evaluation with the use of network analysis. Annals of Tourism Research, 72, 126-139.

DAS, T. K. e TENG, Bing-Cheng. Betwen trust and control: developing confidence in partner cooperation in alliances. Academy of Management Review, v. 23, n. 3, p. 491-512, jul/ 1998.

DE CARVALHO, J. F. et al. A cooperação entre redes de pequenas empresas: antecedentes, etapas e resultados da estratégia de intercooperação. Revista de Empreendedorismo e Gestão de Pequenas Empresas, v. 7, n. 1, p. 35-70, 2018.

DE OLIVEIRA GARCIA, R. K.; ZOTTIS, A. M.; BONHO, Daniel Vicente. A gastronomia e seu uso turístico: a contribuição do projeto de extensão “turismo e gastronomia: unindo sabores e saberes” para a valorização do patrimônio cultural imaterial. Gestão e Desenvolvimento, v. 12, n. 2, p. 67-82, 2015.

?URKIN, J.; PERI?, M.; ŠEBREK, J. K. Addressing organisational challenges of cultural tourism in rural areas through community-based tourism model. International Scientific Conference Tourism in Southern and Eastern Europe. v. 4, p. 145-157, 2017.

EMMENDOERFER, M. L; VASCONCELOS, A. M.; FONSECA, P. C. Economia social no contexto da gestão do sistema cooperativista: uma revisão de conceitos. SINERGIA-Revista do Instituto de Ciências Econômicas, Administrativas e Contábeis. v. 11, n. 2, p. 21-28, 2007.

GEBREKIDAN, D. A.; AWUAH, G. B. Interorganizational cooperation: a new view of strategic alliances: The case of Swedish firms in the international market. Industrial Marketing Management, v. 31, n. 8, p. 679-693, 2002.

GRIN, E. J; ABRUCIO, F. L. Quando nem todas as rotas de cooperação intergovernamental levam ao mesmo caminho: arranjos federativos no Brasil para promover capacidades estatais municipais. Revista do Serviço Público, v. 69, p. 85-122, 2018.

GUERRA, I. C. Pesquisa qualitativa e análise de conteúdo: sentidos e formas de uso. Lucerna, 2006.

GUMMESSON, Evert. Qualitative research in marketing: Road-map for a wilderness of complexityand unpredictability. European journal of marketing, v. 39, n. 3/4, p. 309-327, 2005.

GUZMÁN, G. L. J. T.; CAÑIZARES, S. S. M. La creación de productos turísticos utilizando rutas enológicas. Pasos. Revista de turismo y patrimonio cultural, v. 6, n. 2es, 2008.

HITT, M. A.; IRELAND, R. D.; HOSKISSON, R. E. Administração Estratégica: competitividade e globalização. 2. ed. São Paulo: Cengage Learning, 2008.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Demográfico 2010. Disponível em: https://ww2.ibge.gov.br. Acessado em: 21 de dezembro de 2018.

JESUS, C; FRANCO, M. Cooperation networks in tourism: A study of hotels and rural tourism establishments in an inland region of Portugal. Journal of Hospitality and Tourism Management, v. 29, p. 165-175, 2016.

KHAMIS, A. M.; KAMEL, M. S.; SALICHS, M. A. Cooperation: concepts and general typology. In: Conference proceedings – IEE International Conference on Systems, Man and Cybernetics, 2006, Madrid. Proceedings. Madrid, 2007.

KONZEN, R. R. P; OLIVEIRA, C. A. O. Intercooperação entre cooperativas: barreiras e desafios a serem superados. Revista de Gestão e Organizações Cooperativas, v. 2, n. 4, p. 45-58, 2015.

LARENTIS, F.; ANTONELLO, C. S.; SLONGO, L. A. Marketing de relacionamento e transformações culturais organizacionais: um estudo de casos múltiplos em díades. XXXIV Encontro da ANPAD, 2010.

LEWIS, J.D. The new power of strategic aliances. Strategy & Leadership, Vol. 20, No. 5, pp. 45 – 62, 1992.

MARIOTTI, H. Pensamento complexo: suas aplicações à liderança, à aprendizagem e ao desenvolvimento sustentado. São Paulo: Atlas, 2007.

MCGEHEE, N. G. An agritourism systems model: A Weberian perspective. Journal of Sustainable Tourism, v. 15, n. 2, p. 111-124, 2007.

MEDINA-MUÑOZ, D. R.; MEDINA-MUÑOZ, R. D.; CHIM-MIKI, A. F. Tourism competitiveness assessment: the current status of research in Spain and China. Tourism Economics, v. 19, n. 2, p. 297-318, 2013.

MIELKE, E. J. C; SILVA, J. A. S. A cooperação no desenvolvimento de destinos turísticos: importância como política pública e como instrumento propulsor na comercialização de produtos turísticos locais. RITUR-Revista Iberoamericana de Turismo, v. 7, n. 2, p. 3-21, 2017.

MIGCHELS, N. Stratey typology and chain co-operation. In: TRIENEKENS, J. H.; OMTA, S. W. F. (eds.). Paradoxes in food chains and networks. Agricultural University – Management Studies Group Wageningen University. Proceedings of the Fifth International conference on Chain and Networks Mamagement in Agribusiness and Food Industry. Noordwijk, 06-08 june 2002. Wageningen, The Ntherlands: Wageningen Academic Publisher, 2002, p. 309-319.

Ministério do Turismo – MTUR. Acesso à Informação. Disponível em: . Acesso em: 30 de maio 2018, 2016

MINISTÉRIO DO TURISMO. Turismo rural: orientações básicas. Ministério do Turismo, Secretaria Nacional de Políticas de Turismo, Departamento de Estruturação, Articulação e Ordenamento Turístico, Coordenação Geral de Segmentação. Brasília: Ministério do Turismo, 2008.

OLIVER C. Determinants of interorganizational relations: integration and future directions. The Academy of Management Review, v.15, n.2, p.241-265, 1990.

OLIVER, A. L.; EBERS, M. Networking network studies: an analysis of conceptual configurations in the study of inter-organizational relationships. Organization studies, v. 19, n. 4, p. 549-583, 1998.

Organização Mundial do Turismo (OMT). Turismo no Brasil 2011- 2014. Disponível em: . Acesso em: 30 mai 2018.

PALMATIER, R. W.; DANT, R. P.; GREWAL, D.; EVANS, K. R. Factors influencing the effectiveness of relationship marketing: a meta-analysis. Journal of marketing, v. 70, n. 4, p. 136-153, 2006.

PARESISHVILI, O; KVARATSKHELIA, L; MIRZAEVA, V. Rural tourism as a promising trend of small business in Georgia: Topicality, capabilities, peculiarities. Annals of Agrarian Science, v. 15, n. 3, p. 344-348, 2017.

PERALES, Y. R. M. Rural tourism in Spain. Annals of tourism Research, v. 29, n. 4, p. 1101-1110, 2002.

PEREIRA, B. A. D. et al. Desistência da cooperação e encerramento de redes interorganizacionais: em que momento essas abordagens se encontram?. INMR-Innovation & Management Review, v. 7, n. 1, p. 62-83, 2010.

PEREIRA, J. C. R. Análise de dados qualitativos: estratégias metodológicas para as ciências da saúde humanas e sociais. São Paulo: Edusp, 1999.

PIMENTEL, T. D; PIMENTEL, M. P. C. Destino Turístico Como Construção Coletiva: Os Atores Envolvidos E Sua Necessidade De Articulação. TURyDES, v. 8, n. 18, 2015.

PME/ERECHIM - Prefeitura Municipal de Erechim. Festa di Bacco. Disponível em: < https://www.pmerechim.rs.gov.br/pagina/621/festa-di-bacco>. Acesso em: 7 fev. 2019.

PORTUGUEZ, A. Agroturismo e desenvolvimento regional. São Paulo: Hucitec, 1999

RAAB, J.; KENIS, P. Heading toward a society of networks: Empirical developments and theoretical challenges. Journal of management inquiry, v. 18, n. 3, p. 198-210, 2009.

SÁNCHEZ, A. G.; GARCÍA, F. J. El turismo culturaly el de soly playa:¿ sustitutivos o complementarios? Cuadernos de Turismo, 2003, 11, 97-106. Disponível em: . Acesso em: 20 jul. 2018.

SELIN, Steven; BEASON, Kim. Interorganizational relations in tourism. Annals of tourism research, v. 18, n. 4, p. 639-652, 1991.

SOARES, W. B.; WEGNER, D.; DOLCI, P. C. Fusão como Estratégia de Crescimento de Redes de Cooperação Empresarial: um estudo de caso em uma rede de farmácias. Iberoamerican Journal of Strategic Management (IJSM), v. 15, n. 1, p. 83-96, 2016.

TENG, B. S.; DAS, T. K. Governance structure choice in strategic alliances: The roles of alliance objectives, alliance management experience, and international partners. Management Decision, v. 46, n. 5, p. 725-742, 2008.

YIN, R.K. Estudo de caso: planejamento e método. 2.ed. Porto Alegre: Bookman, 2001.

WILSON, J.; HYNES, N. Co-evolution of firms and strategic alliances: Theory and empirical evidence. Technological Forecasting and Social Change, v. 76, n. 5, p. 620-628, 2009.

..




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv5n8-109