Representações sociais de residentes multiprofissionais acerca da idealização davivência na rede de atenção à saúde / Social representations of multiprofessional residents about idealization of life in the health care network

Mirian Cristina Ribas, Danielle Bordin, Luciane Patrícia Andreani Cabral, Cristina Berger Fadel, Alfredo Cesar Antunes, Bruno Pedroso

Abstract


Este artigo tem como objetivo apresentar a percepção de residentes multiprofissionais em saúde acerca da vivência prática na Rede de Atenção à Saúde, à luz da teoria das representações sociais. Trata-se de um estudo qualitativo, descritivo-exploratório, desenvolvido no Hospital Universitário Regional dos Campos Gerais no ano de 2019. Considerou-se como população de estudo os residentes multiprofissionais em saúde (n=55), em seu primeiro ano de residência. Para a coleta de dados utilizou-se o Grupo Focal; e a pergunta norteadora única: ‘Qual importância você atribui à vivência prática na Rede de Atenção à Saúde? Por favor, expresse todas as suas opiniões’. Os dados foram analisados por meio do discurso do sujeito coletivo e à luz das Representações Sociais. Os resultados possibilitaram a extração da temática “Conhecimento do fluxo da rede de atenção à saúde” a qual emergiu quatro ideias centrais com seus respectivos discursos. A primeira ideia central discorre a potencialidade de contextualização teórico-prática angariada com a vivência prática nos diferentes níveis de atenção da rede. Além de propiciar o entendimento acerca do funcionamento da rede, permite potencializar o processo de trabalho dos residentes, garantindo encaminhamento correto do paciente na rede, maior resolubilidade e acolhimento diferenciado do cuidado em saúde, conforme observado nas ideias centrais subsequentes.  Ademais, os residentes expressaram a representação social inerente a maior valorização do SUS. Conclui-se que a representação social dos residentes multiprofissionais em saúde acerca da vivência na rede de atenção à saúde é enriquecedora, geradora de crescimento profissional e apropriação de conhecimentos científicos e ideológicos.

 

 


Keywords


Formação Profissional em Saúde; Análise Qualitativa; Serviços de Saúde, Representações Sociais.

References


ABRIC, J.C. Représentations sociales: aspects théoriques. In: ABRIC, J.C. (org.). Pratiques sociales et representations. Paris: PUF, 1994.

ARAUJO, M.E.; ZILBOVICIUS, C. A formação acadêmica para o trabalho no Sistema Único de Saúde (SUS). In: MOYSÉS, S.T.; KRIGER, L.; MOYSÉS, S.J. (Orgs.). Saúde bucal das famílias: trabalhando com evidências. São Paulo: Artes Médicas, 2008. p. 277-90.

ARAUJO, M.E.; ZILBOVICIUS, C. A formação acadêmica para o trabalho no Sistema Único de Saúde (SUS). In: MOYSÉS, S.T.; KRIGER, L.; MOYSÉS, S.J. (Orgs.). Saúde bucal das famílias: trabalhando com evidências. São Paulo: Artes Médicas, 2008. p. 277-90.

BARBOSA, Dayse Vieira Santos; BARBOSA, Nelson Bezerra; NAJBERG, Estela. Regulação em Saúde: desafios à governança do SUS. Cad. Saúde Colet. Rio de Janeiro, 2016. Disponível em: . Acesso em: 16 jun. 2019.

BRASIL. Ministério da Saúde. Núcleo Técnico da Política Nacional de Humanização. Humaniza SUS. Política Nacional de Humanização: a humanização como eixo norteador das práticas de atenção e gestão em todas as instâncias do SUS. Brasília: Ministério da Saúde, 2004.

_______. Lei nº 11.129, de 30 de junho de 2005. Institui o Programa Nacional de Inclusão de Jovens – ProJovem; cria o Conselho Nacional da Juventude – CNJ e a Secretaria Nacional de Juventude; altera as Leis nos 10.683, de 28 de maio de 2003, e 10.429, de 24 de abril de 2002; e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 01 jul 2005.

_______. Ministério da Educação. Ministério da Saúde. Portaria nº. 754, de 18 de abril de 2012. Fixa normas para a implementação e a execução do Programa de Bolsas para a Educação pelo Trabalho. Diário Oficial da União, Brasília, 18 abr. 2012.

_______. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Superior. Comissão Nacional de Residência Multiprofissional em Saúde. Resolução nº 5, de 7 de novembro de 2014. Dispõe sobre a duração e a carga horária dos programas de Residência em Área Profissional da Saúde nas modalidades multiprofissional e uniprofissional e sobre a avaliação e a frequência dos profissionais da saúde residentes. Diário Oficial da União, Brasília, 2014.

CARVALHO, J.M. A cidadania no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001.

CASANOVA, I.A.; BATISTA, N.A.; RUIZ-MORENO, L. A Educação Interprofissional e a prática compartilhada em programas de residência multiprofissional em Saúde. Interface (Botucatu), v. 22, Suppl. 1, p. S1325-37, 2018.

CAVANAGH, S.J. Job satisfaction of nursing staff working in hospitals. Journal of Advanced Nursing, v. 17, n. 6, p. 704-711, 1992.

COELHO, Thereza Christina Bahia; ARAUJO, Tânia Maria de; ALMEIDA, Tatiane Santos Couto de; SILVA, Elaine Andrade Leal; SANTOS, Deisy Vital dos. Discursos de trabalhadores da estratégia saúde da família sobre o SUS. Rev. Saúde Col. UEFS, v. 5, n. 1, p. 1-8, 2015. Disponível em: . Acesso em: 17 jun. 2019.

FERNANDES, E.G.S.; MASIERO, A.V.; KUHNEN, M. Percepção de cirurgiões dentistas inseridos na estratégia de saúde da família sobre o trabalho multiprofissional. Revista Gepes Vida, v. 1, n. 2, p. 56-70, 2015. Disponível em: . Acesso em: 22 jun. 2019.

GARANHANI, M.L. et al. O trabalho de enfermagem em unidade de terapia intensiva: significados para técnicos de enfermagem. Revista Eletrônica Saúde Mental Álcool Drogas, v. 4, n. 2, p. 1-15, 2008.

GOMES, E.R. et al. Psicólogos na residência multiprofissional em atenção básica: estudo a partir de documentos e sujeitos. Saúde e Pesquisa, v. 10, n. 2, p. 271-82, 2017.

GONÇALVES, C.R. et al. Human resources: critical factor for primary health networks. Saúde Debate, v. 38, n. 100, p. 26-34, 2014.

IERVOLINO, S.A.; PELICIONI, M.C.F. A utilização do grupo focal como metodologia qualitativa na promoção da saúde. Rev. Esc. Enf. USP, v. 35, n. 2, p. 115-21, 2001.

LEFÈVRE, F.; LEFÈVRE, A.M.C. O sujeito coletivo que fala. Interface (Botucatu), v. 10, n. 20, p. 517-524, 2006.

LIMA, D.P. et al. A importância da integração universidade e serviços de saúde. Rev. Cienc. Ext., v.6, n.1, p.129-37, 2010.

LIMA, T.J.V. et al. Humanização na atenção básica de saúde na percepção de idosos. Saúde Soc., v. 23, n. 1, p.265-276, 2014.

MAZZOTTI, A.J.A. A abordagem estrutural das representações sociais. Rev. Psic. Ed., v. 14, n. 1, 2002.

MEDICIS, F.A.; ZAGO, J.A. A formação do cidadão crítico: análise de uma unidade escolar. Rev. Multidisciplinar UNIESP, n. 6, p. 190-1, 2008.

MENDES, E.V. As redes de atenção à saúde. Ciência & Saúde Coletiva, v. 15, n. 5, p. 2297-2305, 2010.

MIRANDA, S.A.B. et al. Residência Multiprofissional em Saúde: apontamentos sobre a inserção do serviço social. Rev Serv Social Perspctiva, v. 1, n. 1, p. 126-45, 2017. Disponível em: . Acesso em: 19 jun. 2019.

MOIMAZ, S.A.S. et al. Qualificação do acolhimento nos serviços de saúde bucal. Cad. Saúde Colet., v. 25, n. 1, p. 1-6, 2017.

MORITA, M.C.; HADDAD, A.E. A concepção pedagógica e as Diretrizes Curriculares Nacionais: interface da área da Educação e da Saúde na perspectiva da formação e do trabalho das equipes da Saúde da Família. In: MOYSÉS, S.T.; KRIGER, L.; MOYSÉS, S.J. (Orgs.). Saúde Bucal das Famílias: trabalhando com evidências. São Paulo: Artes Médicas, 2008. p.268-76.

PEITER, C.C. et al. Redes de atenção à saúde: tendências da produção de conhecimento no Brasil. Esc Anna Nery, v. 23, n. 1, e0180214, 2019.

PEREIRA, I.B.; RAMOS, M.N. Educação profissional em saúde. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2006.

RIBEIRO, K.S.Q.S. A contribuição da extensão comunitária para a formação acadêmica em fisioterapia. Fisiot. Pesqu., v. 12, n. 3, p. 22-9, 2005.

SÁ, C.P; ARRUDA, A. O estudo das representações sociais no Brasil. Revista de Ciências Humanas, n. 3, Edição Especial Temática, p.11-31, 2000.

SELLIET, L. et al. Beneficiários do trabalho voluntário: uma leitura a partir da bioética. Rev. Saúde Pública, v. 42, n. 6, p. 1085-9, 2008.

SILVA, E.V.M. A formação de profissionais da saúde em sintonia com o SUS: currículo integrado e interdisciplinar. Brasília: Ministério da Saúde, 2008.

SILVA, J.C. et al. Percepção dos residentes sobre sua atuação no programa de residência multiprofissional. Acta Paulista de Enferm, v. 28, n. 2, p. 132-8, 2015.

SOUZA, A.L.; CARCERERI, D.L. Estudio cualitativo de la integración docencia-servicio em un curso de graduación de Odontología. Interface, v. 15, n. 39, p. 1071-84, out./dez. 2011. Disponível em: . Acesso em: 19 jun. 2019.

YODER, K.M. A framework for service-learning in dental education. J. Dental Education, v. 70, n. 2, p. 115-23, 2006.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv5n8-131