Futebol:um produto de consumo / Soccer: a consumer product

Cristiano Israel Caetano, Rafael Gomes Sentone, Hallyne Bergamini Silva Caetano, José Francisco López Gil, José Francisco López Gil, Fernando Renato Cavichiolli, Fernando Renato Cavichiolli

Abstract


O futebol há tempos passa por um processo contínuo de transformação, integrando a cultura brasileira, presente intensamente nas atividades de lazer e de capacitação física na vida escolar, independente da faixa etária ou nível de instrução. O esporte demanda estudos habituais, já que praticamente presente em todas as casas de ensino mediante instalações de espaços desportivos. A pesquisa, com enfoque sociológico, procura indícios de mudança na forma com que os brasileiros encaram esta importante manifestação cultural, a qual uma vez compreendida possibilita melhor aproveitamento em todo o universo social em que o esporte está presente: desde a prática amadora de lazer nas praças desportivas, passando pelo ambiente escolar, até os níveis mais profissionais e comerciais envolvendo atletas, torcedores e clubes. A hipótese ventilada, é de que a principal manifestação esportiva-cultural do país, está aos poucos deixando sua vertente histórica de futebol-paixão, futebol-arte, para ingressar em um novo arranjo social denominado futebol-produto. Para registrar a existência ou não destas continuidades e rupturas, será investigada a origem do futebol, e suas mudanças de paradigmas, com foco nas relações de interdependência existentes entre o torcedor e os clubes de futebol, com um olhar sob a nova perspectiva direcionada pelo Estatuto do Torcedor, em especial com as decisões proferidas pelo Supremo Tribunal Federal, indicando um novo momento do esporte nacional como um produto de consumo. Em continuidade, será feito um levantamento normativo constitucional com decisões do STF, quanto à ligação entre torcedores e clubes, com a entrada em vigor da Lei Federal nº 10.671/2003 (Estatuto do Torcedor), indicando neste cenário se há ou não um vínculo consumerista. A escolha da legislação decorre da compreensão de que a lei reproduz o momento vivenciado pela sociedade, assim, em tese, o Estatuto do Torcedor pode significar um símbolo de ruptura e ingresso em uma nova etapa do desporto. Com este recorte bem específico e a confirmação deste momento histórico, a sociedade poderá compreender e direcionar a aplicação pragmática do esporte, em todas as áreas, inclusive na educação.

 

 

Keywords


Futebol. Cultura. Presença na vida escolar. Transformações.

References


BAUMAN, Zygmunt; LÍQUIDA, Modernidade. Tradução Plínio Dentzien. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

_________________; PENCHEL, Marcus. Globalização: as conseqüências humanas. Rio de Janeiro: Zahar, 1999.

BRASIL. Constituição Federal. 05 de Outubro de 1988, atualizada até a Emenda Constitucional nº 39. 5. ed. São Paulo: Editora Manole, 2003.

BRASIL. SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL. A Constituição e o Supremo.5ª Edição, 2016. Disponível para donwload em: http://www.stf.jus.br/arquivo/cms/publicacaoLegislacaoAnotada/anexo/a_constituicao_e_o_supremo_5a_edicao.pdf.

BORGES, Carlos Nazareno Ferreira; TONINI, Grece Teles. O incentivo ao esporte de alto rendimento como política pública: influências recíprocas entre cidade e esporte. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, v. 34, n. 2, 2011.

CASTANHEDE, André LK, Paulo MS Dantas, and José Fernandes Filho. "Perfil dermatoglífico e somatotípico de atletas de futebol de campo masculino, de alto rendimento no Rio de Janeiro–BRASIL." Fitness & Performance Journal. Rio de Janeiro: COBRASE 2.04 (2003): 234-39.

DANTAS, Paulo Moreira Silva, and José Fernandes Filho. "Identificação dos perfis, genético, de aptidão física e somatotípico que caracterizam atletas masculinos, de alto rendimento, participantes do futsal adulto, no Brasil." Fitness & performance journal 1.1 (2002): 28-36.

DE CARVALHO, Edmilson; FERNANDES FILHO, José; DA SILVA NOVAES, Jefferson. Perfis dermatoglífico, somatotípico e fisiológico dos atletas de alto rendimento, participantes de corrida de resistência, no Rio de Janeiro. Fitness & performance journal, n. 3, p. 168-174, 2005.

DE FREITAS, Clara MSM. As classes sociais na sociedade do espetáculo: o olhar dos torcedores de futebol. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto, v. 5, n. 3, p. 329-334, 2005.

ELIAS, Norbert; SCOTSON, John L. Os estabelecidos e os outsiders: sociologia das relações de poder a partir de uma comunidade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2000.

FILHO, Mário Rodrigues. O negro no futebol Brasileiro. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 1964, 2ª Edição.

GODOI, Ivan; CARDOSO, Gilberto. Futebol — Paixão de um Povo. Caxias do Sul: Educs, 1989.

HELAL, Ronaldo; SOARES, Antônio Jorge Gonçalves; LOVISOLO, Hugo Rodolfo. A invenção do país do futebol: mídia, raça e idolatria. Mauad Editora Ltda, 2001.

LIMA, Elma Correa de. Futebol e Sociedade. Rio de Janeiro, edUERJ,2005.

LOPES, José Sérgio Leite. A vitória do futebol que incorporou a pelada-A invenção do jornalismo espotivo e a entrada dos negros no futebol brasileiro. Revista usp, n. 22, p. 64-83, 1994.

MÁXIMO, João. Memórias do futebol brasileiro. Estudos Avançados, v. 13, n. 37, p. 179-188, 1999.

MEDINA, Mário Felizardo, and José Fernandes Filho. "Identificação dos perfis genético e somatotípico que caracterizam atletas de voleibol masculino adulto de alto rendimento no Brasil." Fitness & Performance Journal 1.4 (2002): 12-20.

NAHAS, M.V. Atividade Física, Saúde e Qualidade de Vida: Conceitos e Sugestões para um Estilo de Vida Ativo. Londrina: Midiograf, 2001.

RIAL, C. S. Futebolistas brasileiros na Espanha: emigrantes porém... Revista de Dialectología y Tradiciones Populares, Madrid, v. 61, n. 2, p. 163-190, jul./dez. 2006.

RIBEIRO, Renato Janine. Uma ética do sentido e Apresentação a Nobert Elias. In: Elias, Nobert. O processo Civilizador: uma história dos costumes. (vols I e II) Trad: Ruy Jungmann. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor. Lisboa: Difel, 1990.

RINALDI, Wilson. Futebol: manifestação cultural e ideologização. Journal of Physical Education, v. 11, n. 1, p. 167-172, 2008.

RODRIGUES, Mário. O negro no futebol brasileiro. Mauad Editora Ltda, 2003.

RODRIGUES; Francisco Xavier Freire. Modernidade, disciplina e futebol: uma análise sociológica da produção social do jogador de futebol no Brasil. 2004. Sociologias, Porto Alegre, ano 6, nº 11, jan/jun 2004, p. 260-299.

SAMULSKI, Dietmar Psicologia do esporte Barueri : Manole, 2002.

SANTOS, Tarcyanie Cajueiro. Dos espetáculos de massa às torcidas organizadas: paixão, rito e magia no futebol. Annablume, 2004.

SEBRELI, Juan (1981). Fútbol y masas. Buenos Aires: Editorial Galerna.

SOARES, C. L. Corpo e História. Campinas: Autores Associados, 2004.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv5n8-132