Marketing social e doação de órgãos: um estudo com doadores declarados / Social marketing and organ donation: a study with declared donors

Catarina Martins Macedo, Caissa Veloso e Sousa, Lillian Cherrine Rodrigues

Abstract


Os transplantes de órgãos e tecidos compreendem uma alternativa que oferece aos receptores melhores perspectiva e qualidade de vida. Porém, identifica-se que a demanda por órgãos é maior do que a oferta, o que torna importante as ações de marketing social empreendidas pelos governos. Este estudo teve como objetivo identificar e analisar como as ações de marketing social em prol da doação de órgãos são percebidas por doadores declarados e se estas promovem o engajamento a favor da causa. Na pesquisa, de abordagem qualitativa, foram entrevistadas dez pessoas que se declaram doadoras de órgãos. Evidenciou-se que as campanhas realizadas pelo governo são pontuais e não promovem o engajamento da sociedade em prol da causa. A falta de conhecimento sobre morte encefálica se mostrou evidente, como também a desconfiança em qualquer comunicação que tenha origem no governo, não importando a causa, o que impacta negativamente nas decisões favoráveis a autorização para a doação dos órgãos.

 


Keywords


marketing social; campanhas governamentais; doação de órgãos.

References


ANG, L. Community relationship management and social media. Journal of Data base Marketing & Customer Strategy Management, v. 18, n. 1, 2011, p. 31–38.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE TRANSPLANTE DE ÓRGÃOS. RBT Registro Brasileiro de Transplantes, São Paulo, v. 12, n. 2, 2008, p. 4-33. Disponível em: < http://www.abto.org.br/abtov02/portugues/profissionais/rbt/anoXII_n3/index.aspx?idCategoria=2 >. Acesso em: 26 jan. 2018.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE TRANSPLANTE DE ÓRGÃOS. (2016). RBT Registro Brasileiro de Transplantes, São Paulo, v. 12, n. 2, 2016, p. 4-33. Disponível em: < http://www.abto.org.br/abtov02/portugues/profissionais/rbt/anoXII_n3/index.aspx?idCategoria=2 >. Acesso em: 26 jan. 2018.

ANDREASEN, A. L. Social Marketing: Its definition and domain. Journal of Public Polity & Marketing, v. 13, n. 1, p. 108-114, 1994.

ANDREASEN, A. L. Marketing Social Marketing in the Social Change Marketplace. Journal of Public Polity & Marketing, v. 45, n. 2, p. 3-13, 2002, 2002.

ARKES, H. R.; GARSKE, J. P. Psychological theories of motivation. Monterey: Brooks/Cole, 1977.

BACCHELLA, T.; OLIVEIRA, R. A. Bioética dos Transplantes In: Segre, M. A Questão Ética e a Saúde Humana. São Paulo: Atheneu, p. 123-133, 2006.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. 19. ed. Lisboa/Portugal: Edições 70, 2006.

BRASIL. Lei n. 9.434, de 4 de fevereiro de 1997. Dispõe sobre a remoção de órgãos, tecidos e partes do corpo humano para fins de transplante e tratamento, e legislação correlata. Diário Oficial da União. Brasília. Disponível em: Acesso em: 16 jan. 2018.

BERGAMINI, C. W. Psicodinâmica da Vida Organizacional: motivação e liderança. 2 ed. São Paulo: Atlas, 1997.

BORLOTI, E. B.; TRINDADE, Z. A. A análise do comportamento e as proposições da construção social do conhecimento. Revista Estudos de Psicologia, v. 17, n. 2, p. 41-51, 2000.

BUXTON, G. The Role of the Comparative Analysis Approach in Social Marketing. European Journal of Marketing, v. 7, n. 1, p. 55-63, 1973.

CAMPO SILVA, T. C.; CARAVALHO, R. Transplante Hepático: Problemas de Enfermagem em Pacientes no Pós-Operatório. Jornal Brasileiro de Transplantes, v. 9, n. 1, p. 481-485, 2006.

CASTRO, I. M.; SANTOS, P. M. F. (O Efeito de Campanhas de Marketing Social com Apelos Negativos no Comportamento de Risco das Pessoas que Ingerem Bebidas Alcoólicas. Anais do Encontro de Administração Pública e Governança. Belo Horizonte/MG, 2014.

DAIBERT, M. C. D. Recusa familiar para doação de órgãos na Central de Notificação, Captação e Distribuição de órgãos-CNCDO/Regional da Zona da Mata/Minas Gerais. Dissertação. (Mestrado) - Universidade Federal de Juiz de Fora (MG), 132 p., 2007.

DENZIN, N. K.; LINCOLN, Y. S. O planejamento da pesquisa qualitativa: teorias e abordagens. Porto Alegre: Artmed, 2006.

DIAS, R. G. O uso de metáforas na análise de eficácia das campanhas de marketing social sobre a prevenção aos acidentes de trânsito: Um estudo de condutores habilitados. Dissertação Apresentada ao Programa de Mestrado Acadêmico em Administração da Faculdade Novos Horizontes. – Belo Horizonte: FNH. 136 p., 2015.

DICKSON, P. R. Ambiente de Marketing e Responsabilidade Social. Porto Alegre: Bookman., 2001.

DUAILIBI, S.; PINSKY, I.; LARANJEIRA, R. Prevalência do beber e dirigir em Diadema, estado de São Paulo. Revista de Saúde Pública, v. 41, n. 6, p.1058-1061, 2007.

EVANS, P. Motivação. Tradução de A. Cabral. Rio de Janeiro: Zahar, 1976.

FERBER, R. The Expanding Role of Marketing in the 1970s. Journal of Marketing, v. 34, n.1, p. 29-30, 1970.

GARCIA, V. D. A Bioética de transplantes no Brasil. Revista AMRIGS, Porto Alegre, v. 50, p. 313-320, 2006.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

IMPÉRIO, F. D. Morte Encefálica, Cuidados ao Doador de Órgãos e Transplante de Pulmão. Revista Brasileira de Terapia Intensiva, Rio de Janeiro, v. 19, n. 1, p. 74-84, 2007.

GREGORI, A.; BALTAR, F. Ready to complete the survey on Facebook - Web 2.0 as a research tool in business studies. International Journal of Market Research, v. 55, n. 1, p.131-148, 2013.

KOTLER, P.; LEE, N. R. Marketing no setor público. Porto Alegre: Bookman, 2008.

KOTLER, P.; LEE, N. R. Social marketing: influencing behavior for good. 4. ed. SAGE Publications, 2011.

KOTLER, P.; ROBERTO, E. L. Social marketing: strategies for changing public behavior. New York: Free Press, 1989.

KOTLER, P.; ZATMAN, G. Social Marketing: An Approach to Planned Social Change. Journal of Marketing, v. 35, n. 3, p. 3-12, 1971.

KOTLER, P.; LEVY, S. A New Form of Marketing Myopia: Rejoinder to Professor Luck. Journal of Marketing, v. 33, n. 3, p. 55-57, 1969.

KOTLER, P.; ARMSTRONG, G. Princípios de Marketing. 12. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2007.

LAZER, W.; KELLEY, E. J. Social Marketing Perspectives and Viewpoints. Homewood III: Richard Irwin, Inc., 1973.

LAZER, W. Marketing Changing Social Relationships. Journal of Marketing, v. 33, n. 1, p. 3-9, 1969.

LEFEBVRE, R. C. An integrative model for social marketing. Journal of Social Marketing, v. 1, n. 1, p. 54-72, 2011.

LEITE, R. C. C. Transplantes de órgãos e tecidos e os direitos da personalidade. São Paulo: J. de Oliveira, 2000.

LIEURY, A.; FENOUILLET, F. Motivação e aproveitamento escolar. São Paulo: Loyola, 2000.

LUCK, D. Broadening the Concept of Marketing - Too Far. Journal of Marketing, v. 33, n. 3, p. 53- 54, 1969

MACHADO, E. A. Marketing Social na prevenção e campanhas de doação de sangue: o que engaja os doadores e potenciais doadores. Dissertação de Mestrado. Programa de Mestrado Acadêmico em Administração da Faculdade Novos Horizontes,120 p., 2015.

MARINHO, A. Um estudo sobre as filas para transplante no Sistema Único de Saúde brasileiro. Caderno Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 22, n. 10, p. 2229-2239, 2006.

MELO, V. C. Doação e transplantes de órgãos: aspectos éticos e legais. 15º Congresso Brasileiro dos Conselhos de Enfermagem (CBCENF). Universidade Federal da Paraíba (UFPB), 2012.

MENEZES, A. G. Comportamento do doador de sangue: as¬pectos experienciais e motivacionais. Dissertação de Mestrado apresentada ao Programa de Mestrado Acadêmico da Faculdade Novos Horizontes, 132p., 2013.

MENEZES, A. G.; SOUZA, C. V. Comportamento do Doador de Sangue: uma análise a luz do Marketing Social. Anais do VI Encontro de Marketing da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, Gramado, RS, Brasil, 2014.

MINAYO, M. C. S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 10. ed. São Paulo: Hucitec, 2007.

MORAES, E. L.; MASSAROLLO, M. C. K. B. Family refusal to donate organs and tissue for transplantation. Revista Latino-Americana de Enfermagem, Ribeirão Preto, v. 16, n. 3, p. 458-464, 2008.

MOOK, D. G. Motivation: the organization of action. New York: Norton & Company, 1987.

MOWEN, J. C.; MINOR, M. S. Comportamento do consumidor. São Paulo: Prentice Hall, 2003.

PENNA, A. G. Introdução à motivação e emoção. Rio de Janeiro: Imago, 2001.

PEREIRA, M. I. R. Análise das estratégias de Marketing Social na prevenção e desincentivo ao consumo de cigarros: um estudo com fumantes e não fumantes. Dissertação de Mestrado apresentada ao Programa de Mestrado Acadêmico em Administração da Faculdade Novos Horizontes – Belo Horizonte, 139 p., 2015.

PEREIRA, J. R. Histórias de vidas salvando vidas: aspectos relacionados à doação de sangue e proposição de um modelo sob a perspectiva do marketing social. Dissertação de Mestrado apresentada ao Programa de Mestrado Acadêmico em Administração da Faculdade Novos Horizontes – Belo Horizonte, 175 p., 2015.

PEREIRA, J. R. et al. Doar ou não doar, eis a questão: uma análise dos fatores críticos da doação de sangue. Ciência & Saúde Coletiva, 21 (8), pp. 2475-2484, 2015.

PESSINI, L.; BARCHITIFORME, C. P. Problemas atuais de Bioética. São Paulo: Loyola, 2005.

QUINTELA, E. Cuidados com o Potencial Doador de Órgãos na Unidade de Terapia Intensiva. In: Lopes, A. C. Tratado de Clínica Médica. v. 3. São Paulo: Roca LTDA, p. 4516-4520, 2003.

REZENDE, L. B. O. Partes que Restauram Vidas: fatores influenciadores na intenção de doar órgãos e validação nomológica à luz do marketing social. Dissertação de Mestrado apresentada ao Programa de Mestrado Acadêmico da Faculdade Novos Horizontes, 148 p., 2015.

REZENDE, L. B. O. et al. Marketing Social em Foco: Uma análise das campanhas governamentais sobre doação de órgãos no Brasil. International Conference on Innovation and Entrepreneurship in Marketing and Consumer Behaviour - ICIEMC. Conference Proceedings..., p. 306-318, 2015.

ROGERS, S.; LUDINGTON, J.; GRAHAM, S. Motivation & learning: A teacher's guide to building excitement for learning & igniting the drive for quality. 3. ed. Evergreen: Peak Learning Systems, 1997.

SÁ, C. P. Representações Sociais: o Conceito e o Estado Atual da Teoria. In: SPINK, M. J. (Org.). O Conhecimento no Cotidiano: as Representações Sociais na Perspectiva da Psicologia Social. São Paulo: Brasiliense, 1995.

STEINER, P. A doação de órgãos: a lei, o mercado e as famílias. Tempo Social Revista de Sociologia da USP, São Paulo, v. 16, n. 2, p. 101-128, 2004.

SMELTZER, S. C.; BARE, B. G. Tratado de enfermagem medico-cirúrgica. Rio de Janeiro. Guanabara Koogan, 2005.

SCHIAVO, M. R.; FONTES, M. B. Conceito e Evolução do Marketing Social. Rio de Janeiro, II Curso de Capacitação em Marketing Social, 1997.

SCHWARTZ, G. Marketing: the societal marketing concept. University of Washington Business Review, v. 31, n. 3, p. 31-38, 1971.

SCHIFFMAN, L. G.; KANUK, L. L. Comportamento do consumidor. Rio de janeiro: LTC – Livros Técnicos e Científicos Editora, 2000.

SCHNEIDER, G.; LUCE, F. B. Marketing Social: Abordagem Histórica e Desafios Contemporâneos. Revista Brasileira de Marketing - ReMark, 13 (3), pp. 125-137.

SILVA, E. C.; MINCIOTTI, S. Marketing Social: Uma Análise de sua Aplicação às Políticas Públicas de Saúde em São Bernardo do Campo. Anais do Encontro de Administração Pública e Governança, Anais... Salvador, BA, Brasil, 2008.

SOLOMON, M. R. O comportamento do consumidor. Porto Alegre. Bookman, 2001.

VARGAS, M. A. O. Novas Tecnologias, Doação de Órgãos e Bioética In: A Bioética e os Modos de Ser da Enfermagem. Semana Brasileira de Enfermagem. v. 66. Porto Alegre: ABEn, p. 83-96, 2005.

VARGAS, M. A. O.: RAMOS, F. R. S. Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante: vivências em um hospital de pronto-socorro em trauma. Revista Paulista de Enfermagem, São Paulo, 26, p. 190-200, 2007.

VAZ, G. N. Marketing Institucional: O Mercado de Ideias e Imagens. São Paulo, Pioneira, 1995.

VARELLA, D. Transplante o Dom da Vida. Redação do Fantástico, 2009. Disponível em:. Acesso em: 20 jan. 2018.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv5n8-150