Política pública para a agricultura familiar, extensão rural e a inserção de pescadores artesanais: “será que dá peixe”? / Public policy for family agriculture, rural extension and the insertion of artisanal fishermen: "will it give fish"?

Adriane Lobo Costa, Jalcione Almeida

Abstract


Este texto busca avaliar a aplicação de uma política pública concebida sob a ótica da agricultura familiar para uma comunidade de pescadores artesanais no município de Pelotas-RS, mediada pela assistência técnica e extensão rural oficial. Intenta-se, através de metodologias participativas e de aproximação aos conceitos de modo de vida e território, caracterizar algumas diferenças históricas entre categorias socioprodutivas distintas, bem como identificar as principais percepções das pescadoras e pescadores sobre a política pública em questão. Conclui-se, em resumo, que a aplicação da política é avaliada pelos "beneficiários" como "positiva", mas que carece de capacitação dos técnicos que nela trabalham e da sua presença continuada na comunidade.


Keywords


Políticas públicas, Pescadores artesanais, Agricultura familiar, Assistência técnica e extensão rural, Desenvolvimento rural.

References


ALMEIDA, Jalcione. Da ideologia do progresso à ideia de desenvolvimento (rural) sustentável. In: ALMEIDA, Jalcione; NAVARRO, Zander (org.). Reconstruindo a agricultura: ideias e ideais na perspectiva do desenvolvimento rural sustentável. Porto Alegre: Ed. da UFRGS, 1999. p. 33-55.

AQUINO, Joacir R. de; SCHNEIDER, Sérgio. O Pronaf e o desenvolvimento rural brasileiro: avanços, contradições e desafios para o futuro. In: GRISA, Cátia; SCHNEIDER, Sérgio. Políticas públicas de desenvolvimento rural no Brasil. Porto Alegre: PGDR/UFRGS, 2015.

ASCAR/EMATER-RS. Proposta Técnica Chamada Pública para seleção de entidades executoras de assistência técnica e extensão rural para promoção da agricultura familiar sustentável - Chamada Pública SAF/ATER - n° 10/2012.

AZEVEDO, Natália T. de; PIERRI, Naina. A política pesqueira no Brasil (2003-2011): a escolha pelo crescimento produtivo e o lugar da pesca artesanal. Desenvolvimento e Meio Ambiente, v. 32, p. 61-80, dez. 2014.

BECKER, Anelise. O licenciamento ambiental da pesca e a licença a cargo da Secretaria Especial de Aquicultura e Pesca – Comentários aos Artigos 23 e 27, Inciso XV, da Lei n. 10.683/2003. Boletim Científico da Escola Superior do Ministério Público da União, a. II – n. 9, p. 11-30 ,– out./dez. Brasília, 2003.

BRASIL. Instrução Normativa 02/201. Brasília: Ministério da Pesca e Aquicultura, 26 de janeiro de 2011.

BRASIL. Lei nº 12.188. Brasília: Presidência da República, 11 de janeiro de 2010.

BRASIL. Lei nº. 11.326. Brasília: Presidência da República, 24 de julho de 2006.

Campanha pelo Território Pesqueiro. Conselho Pastoral dos Pescadores. Disponível em: http://www.cppnacional.org.br/campanhas/campanha-pelo-territ%C3%B3rio-pesqueiro Acesso em: 18 abr. 2021.

CAPRA, Fritjof. A teia da vida. São Paulo: Ed. Cultrix, 1996.

COELHO NETO, Agripino de S. Redes e territórios. Mercator, v. 12, n. 28, p. 19-34, mai./ago. 2013.

COLÔNIA Z3 - Histórico. Disponível em: http://pontodecultura.ucpel.tche.br/?site=z3 Acesso em: 25 mar. 2021.

COSTA, Adriane L. Os falsos pescadores: supostas fragilidades na gestão pesqueira. In: COSTA, Adriane L. (ed.). Nas redes da pesca artesanal. Brasília: PNUD/IBAMA, 2007.

COSTA, Aléssio A. da. A educação ambiental como proposta crítica para práticas emancipatórias com pescadores artesanais: um estudo de caso no estuário da Lagoa dos Patos, extremo sul do Brasil. Tese (Doutorado em Educação Ambiental) - Programa de Pós-Graduação em Educação Ambiental - PPGEA, Fundação Universidade de Rio Grande, 2013.

Corsino, Maria Clara. MDA lança Chamada de Ater para promover agricultura sustentável.

Disponível em : https://www.cpt.com.br/noticias/mda-lanca-chamada-de-ater-para-promover-agricultura-sustentavel Acesso em 17 abr. 2021

CUNHA, Lúcia H. O. Tempo natural e tempo mercantil na pesca artesanal. In: DIEGUES, Antônio C. (org.). A imagem das águas. São Paulo: Hucitec/NUPAUB/USP, 2000. p. 101-110.

Decreto 8.425 de 31 de março de 2015. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2015/Decreto/D8425.htm Acesso em: 11 abr. 2021.

Decreto nº 9.667. de 02 de janeiro de 2019. Estrutura Organizacional. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Disponível em: https://www.gov.br/agricultura/pt-br/acesso-a-informacao/institucional/documentos/organogramas/1.OrganogramaAdmDiretaMAPAGeralDecNr96672019.pdf Acesso em: 11 abri. 2021.

DIAGNÓSTICO RÁPIDO PARTICIPATIVO - DRP. Relatório DRP Comunitário, realizado com o grupo participante da Chamada. Pelotas, Colônia de Pescadores Z3, 2013. Mimeo.

DIEGUES, Antônio C. S. Ilhas e mares: simbolismo imaginário. São Paulo: Ed. Hucitec, 1998.

DIEGUES, Antônio C. S. Desenvolvimento sustentável ou sociedades sustentáveis: da crítica dos modelos aos novos paradigmas. In: DIEGUES, Antônio C. S. Ecologia humana e planejamento em área costeira. 2 ed. São Paulo: NUPAUB/USP, 2001. p. 39-58.

DIEGUES, Antônio C. S. A pesca construindo sociedades. São Paulo: NUPAUB/USP, 2004.

DIEGUES, Antônio C.; ARRUDA, Rinaldo S. V. Saberes tradicionais e biodiversidade no Brasil. Brasília: Ministério do Meio Ambiente. São Paulo: USP, 2001.

Presidência da República. Ministério da Previdência Social. Órgãos extintos. Disponível em: http://www.biblioteca.presidencia.gov.br/base-legal-de-governo/orgaos-extintos/ministerio-da-previdencia-e-assistencia-social Acesso em: 11 abr. 2021.

Emater/RS-Ascar planeja ações para promoção de agricultura familiar sustentável. Rede de notícias ASBRAER.

Disponível em : http://www.asbraer.org.br/index.php/rede-de-noticias/item/1463-emater-rs-ascar-planeja-acoes-para-promocao-de-agricultura-familiar-sustentavel Acesso em 17 abr. 2021

GERHARDT, Tatiana. E.; SILVEIRA, Denise. T. (orgs.). Métodos de Pesquisa. Coordenado pela Universidade Aberta do Brasil –UAB/UFRGS e SEAD/UFRGS. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2009.

GUERRA, Isabel. Modos de vida: novos percursos e novos conceitos. Sociologia – problemas e práticas, n. 13, p. 59-74, 1993.

KALIKOSKI, Daniela; VASCONCELLOS, Marcelo. Estudo das condições técnicas, econômicas e ambientais da pesca de pequena escala no Estuário da Lagoa dos Patos, Brasil: uma metodologia de avaliação. FAO/FURG: Roma, 2013.

Lei nº 12.188 de 11 de janeiro de 2010 Disponível em: https://legislacao.presidencia.gov.br/atos/?tipo=LEI&numero=12188&ano=2010&ato=c3dkXSU1keVpWTa41 Acesso em: 17 abr. 2021.

MALDONDO, Simone C. No mar: conhecimento e produção. In: DIEGUES, Antônio C. (org.). A imagem das águas. São Paulo: Hucitec/NUPAUB/USP, 2000. p. 95-100.

MDA. Edital Chamada Pública para Seleção de Entidades Executoras de Assistência Técnica e Extensão Rural para Promoção da Agricultura Familiar Sustentável - Chamada Pública SAF/ATER - n° 10/2012.

MDA lança Chamada Pública para diversificação de produção e renda. Jornal do Campo, ed. 22 ago. 2103. Disponível em: http://www.diadecampo.com.br/zpublisher/materias/Materia.asp?id=28844&secao=Not%EDcias&t=F Acesso em 17 abr. 2021

MESSIAS, Liege S.; CAMARGO, Regina A. L. de. A Chamada Pública como alternativa à licitação: Seu uso na aquisição de produtos da agricultura familiar para a alimentação escolar. In: II Seminário Nacional em Políticas Públicas e Desenvolvimento Social – II SIPPEDES. Anais... UNESP. Franca, 2016.

MILANI, Carlos R. S. Apreendendo com a história: críticas à experiência da cooperação Norte-Sul e atuais desafios à cooperação sul-sul. Cadernos CRH, v. 25, n. 65, p. 211-231, maio/ago., 2012.

MPPA – Movimento dos Pescadores e Pescadoras Artesanais. Cartilha para o trabalho de base da Campanha pelo Território Pesqueiro. Recife (PE): CPP, 2012. Percepção Social. Disponível em: http://www.portaleducacao.com.br/psicologia/artigos/3279/percepção-social#ixzz3k1AMTm. Acesso em: 13 de abr. de 2021.

PREFEITURA MUNICIPAL DE PELOTAS. Sítio Oficial www.pelotas.com.br Acesso em: 25 mar. 2021.

RAMALHO, Cristiano. O caminhar sobre as águas das ciências sociais. In: COSTA, Adriane L. Nas redes da pesca artesanal. Brasília: IBAMA/PNUD, 2007. p. 92-114.

RAMALHO, Cristiano. O Mundo das águas e seus laços de pertencimento. Raízes, v. 23, n. 1-2, p. 62-72, jan/dez., 2005.

RAMALHO, Cristiano. Territorialidades marítimas, conflitos e pertencimento. In: XII CONGRESSO BRASILEIRO DE SOCIOLOGIA. Anais... Belo Horizonte: SBS, 2005.

SANTOS, Boaventura de S.; MENESES, Maria Paula G.; NUNES, João A. Introdução: para ampliar o cânone da ciência: a diversidade epistemológica do mundo. In: SANTOS, Boaventura de S. (org.). Semear outras soluções: os caminhos da biodiversidade e dos conhecimentos rivais. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005.

SANTOS, Milton. A questão do meio ambiente: desafios para a construção de uma perspectiva transdisciplinar. Interfacehs – Revista de Gestão Integrada em Saúde do Trabalho e Meio Ambiente - v. 1, n. 1, ago. 2006.

SARDAN, Jean-Pierre O. de. Antropologia e desenvolvimento. Paris: Ed. Khartala, 1995.

Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural. Disponível em: https://www.agricultura.rs.gov.br/nova-estrutura-da-secretaria-da-agricultura-e-publicada-no-diario-oficial-do-estado Acesso em: 18 abr. 2021.

SILVA, Kessy R. da. A implementação da Chamada Pública de Ater Agroecológica no Vale do Ribeira (PR): desafios e viabilidade. Dissertação (Mestrado em Agroecologia e Desenvolvimento |Rural) - Programa de Pós Graduação em Agroecologia e Desenvolvimento Rural, Universidade Federal de São Carlos, 2017.

SILVA, Patrícia de S. O mar é masculino? O trabalho das mulheres na maricultura, Ponta da Ilha/Jurujuba, Niterói/Rj. Dissertação (Mestrado em Ciências) - no Programa de Pós-Graduação de Ciências Sociais em Agricultura, Desenvolvimento e Sociedade. Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, 2013.

VASCONCELLOS, Marcelo; DIEGUES, Antônio C. S.; SALES, Renato R. de. Limites e possibilidades da gestão da pesca artesanal costeira. In: COSTA, Adriane L. Nas redes da pesca artesanal. Brasília: IBAMA/PNUD, 2007. p. 15-93.

VEIGA, José E. da. Nem tudo é urbano. Cienc. Cult., v. 56, n. 2, apr./june. 2004.

VEIGA, José E. da. O Brasil rural ainda não encontrou seu eixo de desenvolvimento. Estudos Avançados, v. 15, n. 43, p. 101-119, 2001.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv.v7i5.29902

DOI (PDF (Português (Brasil))): https://doi.org/10.34117/%25

Refbacks

  • There are currently no refbacks.