Software educacional para dispositivos móveis para cálculo de capacidade de carga em sapatas isoladas / Educational software for mobile devices to calculate load capacity in isolated footing

Antônio Sergio Alves do Nascimento, Camila Loures da Silva Padilha, Mariana Moraes de Souza Cid

Abstract


O avanço e crescimento da informática proporciona o desenvolvimento desoftwares que ajudam na propagação do conhecimento, simulando situações favoráveis aos estudantes em seu ensino-aprendizagem. Com base nisto, tem-se como propósito, modelar e desenvolver um aplicativo educacional para dispositivos móveis, capaz de calcular a capacidade de carga de uma sapata isolada, tendo como base a NBR 6122/2010 - Projeto e Execução de Fundações. O intuito é de auxiliar no ensino da disciplina de Fundações e Contenções para engenharia civil, e que por si só, seja capaz de ajudar um estudante na compreensão de todos os cálculos envolvidos no projeto de fundação, possibilitando uma visão ampla das possibilidades de comportamento da fundação e interação com o solo. O projeto tem como base a linguagem de programação Python, o ambiente de desenvolvimento integrado Pycharm e a biblioteca Kivy.

 

 


Keywords


Software Educacional. Fundações. Solo. Engenharia Civil. Python.

References


ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS, NBR 6122: Projeto e execução de

fundações. Rio de Janeiro, 2010.

BOGDANCHIKOV, A.; ZHAPAROV, M.; SULIYEV, R. Python to learn programming. IOPScience ScieTech 2013, p. 6, 2013. Disponível em: iopscience.iop.org. Acesso em: 20 set

BORGES, L. E. Python para desenvolvedores. Editora Novatec, 360 p. 27, 29. Rio de Janeiro, 2014.

CINTRA, J. C. A.; AOKI, N.; ALBIERO, J. H. Fundações Diretas: Projeto Geotécnico. São Paulo: Oficina de Textos, 2011.

. Tensão admissível em fundações 4. ed. São Carlos: Rima, 2003.

DAS, B. M. Fundamentos de Engenharia diretas. Geotécnica. 6° edição. p. 488 – 514. São Paulo: Cengage Learning, 2011.

GODOY, N. S. Fundações: Notas de Aula, Curso de Graduação. São Carlos (SP): Escola de Engenharia de São Carlos – USP, 1972.

. Estimativa de capacidade de carga de estaca a partir de resultados de penetrômetro estático. Palestra. São Carlos (SP): Escola de Engenharia de São Carlos – USP, 1983.

Kivy. Kivy. Disponível em: https://kivy.org/. Acesso em: 20 set. 2018.

Lamounier, Hudson (2016). Atividades básicas ao processo de desenvolvimento de Software. Artigo publicado no canal DEVMEDIA (www.devmedia.com.br). Disponível em: http://www.devmedia.com.br/atividades-basicas-ao-processo-de-desenvolvimento-de- software/5413. Acesso em 16 ago. 2018.

NASCIMENTO, Antonio Sergio Alves do. Notas das Aulas de Fundações. UNESA, 2018.

PyCharm, Python IDE for Professional Developers. Disponível em: https://www.jetbrains.com/pycharm/. Acesso em: 02 out. 2018

Python, Quotes About Python. Disponível em: Acesso em: 19 set. 2018.

RAMOS, E.M.F. (Org.). Informática na escola: um olhar multidisciplinar. Fortaleza: Editora UFC, 2003.

REIS, Christian Robottom. Python na prática: Um curso objetivo de programação em Python. Async Open Source, 2004. Disponível em: http://www.rra.etc.br/linux/python/documents/pnp.pdf. Acesso em: 20 set. 2018.

SIMONS, N. E.; MENZIES, K. E. Introdução à engenharia de fundações. Rio de Janeiro: Interciência, 1981.

TERZAGHI, K. Theoretical soil mechanics. New York: John Wiley and Sons, 1943.

TERZAGHI, K.; PECK, R. B. Soil mechanics in engineering practice. New York: John Wiley and Sons, 1967.

TEXEIRA, A. H. “Projeto e execução de fundações”. 3° Seminário de Engenharia de Fundações Especiais e Geotecnia. n. 1, p. 33-50. São Paulo, 1996.

TEXEIRA, A.H.; GODOY, N.S. “Análise, projeto e execução de fundações rasas”, in: HACHICH, W. et al. (ed.) Fundações: teoria e prática. São Paulo: PINI, 1998. p. 227-264.

VELLOSO, Dirceu Alencar; LOPES, Francisco de Rezende Waldemar. Fundações: Critérios de Projeto – Fundações Superficiais. Nova Edição - São Paulo. Oficina de Texto, 2011.

VESIC, A. S. “Bearing capacity of shallow foundations”, in: WINTERKORN, H. F e FANG,

H. Y. (ed.) Foundation Engineering Handbook. New York: Van Nostrand Reinhold, 1975. p. 121 - 147.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv5n10-024