Planejamento da exploração florestal: um estudo na amazônia brasileira / Forest exploitation planning: a study in brazilian amazon

Paulo Vinícius de Miranda Pereira, Josefa Edileide Santos Ramos, Marcos Miranda Pereira, Veronica Schmidt

Abstract


O Manejo Florestal tem a finalidade de conseguir que as florestas forneçam continuamente benefícios econômicos, ecológicos e sociais, mediante um planejamento para o aproveitamento dos recursos madeireiros e não madeireiros. Neste sentido, surgem cada vez mais estudos que empenham em formas de planejar a exploração florestal de maneira sustentável. Logo, buscou-se estratificar uma floresta da região amazônica, em área estruturalmente semelhantes, utilizando de técnicas de análise multivariada, intentando melhorar o planejamento da produção florestal. Para isso, os métodos utilizados foram a análise de clusters e análise discriminante. A pesquisa foi conduzida na Área de Manejo Florestal do imóvel P.F. Jaru Ouro Preto, localizado no município de Governador Jorge Teixeira – RO. Foi realizado um censo florestal, no qual foram analisadas as variáveis: Número de árvores, Altura comercial média, DAP médio, Área basal e Volume Comercial, em 77 parcelas iguais de 1 ha. A aplicação da análise de clusters resultou em agrupamentos hierárquicos das parcelas estruturalmente dissemelhantes, permitindo estratificar a área em três grupos pré-definidos, homogêneos, distintos e de parâmetros crescentes, denominados Grupos 1, 2 e 3. Na análise discriminante, os pressupostos foram atendidos e indicou que 98,7% das parcelas foram corretamente classificadas. Os resultados podem ser usados para o planejamento da exploração florestal, tratamento silvicultural, monitoramento e um melhor inventário florestal, o que pode implicar na redução dos custos no emprego do manejo florestal, bem como melhor precisão nas estimativas de inventário florestal. Por fim, a utilização da análise multivariada em floresta demonstrou ser uma ferramenta eficiente, podendo ser utilizada nas análises estruturais de florestas, auxiliando a elaboração, execução e melhor eficiência de manejos de florestas naturais com proposta de sustentabilidade.


Keywords


: Manejo Florestal Sustentável. Sustentabilidade. Estratificação de Floresta Tropical. Planejamento Florestal. Análise Multivariada.

References


ALMEIDA, C. M. de et al. Análise de Agrupamentos em Remanescente de Floresta Estacional Decidual. Ciência Florestal, v. 25, n. 3, p. 781–789, 2015.

AMARAL, P. et al. Floresta para Sempre: um Manual para Produção de Madeira na Amazônia. Belém: Imazon, 1998.

AMARAL, P.; PINTO, A. Manejo Florestal como Base para Produção e Conservação Florestal na Amazônia. In: Gestão de Unidades de Conservação: compartilhando uma experiência de capacitação. Brasília: WWF-Brasil, 2012. p. 396.

ARRUDA, C. R. Determinação de unidades de gestão em floresta natural, no município de Juína, Mato Grosso. 2008. 75f. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais e Ambientais) – Faculdade de Engenharia Florestal, Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, 2008.

BARRETO, P. et al. Custos e Benefícios do Manejo Florestal para Produção de Madeira na Amazônia Oriental. Belém: Imazon, 1998.

BRANDT, J. S.; NOLTE, C.; AGRAWAL, A. Deforestation and timber production in Congo after implementation of sustainable forest management policy. Land Use Policy, v. 52, p. 15–22, 2016.

BRASIL. Lei N 12.651, de 25 de Maio de 2012. Dispõe sobre a proteção da vegetação nativa; altera as Leis nos 6.938, de 31 de agosto de 1981, 9.393, de 19 de dezembro de 1996, e 11.428, de 22 de dezembro de 2006; revoga as Leis nos 4.771, de 15 de setembro de 1965, e 7.754, de 14 de abril de 1989, e a Medida Provisória no 2.166-67, de 24 de agosto de 2001; e dá outras providências. Brasília. Diário Oficial da União, Brasilia, 28 maio 2012. 2012. Disponível em: . Acesso em: 14 out. 2018.

CARVALHO, F. V. The Brazilian position on forests and climate change from 1997 to 2012: from veto to proposition. Revista Brasileira de Política Internacional, v. 55, n. spe, p. 144–169, 2012.

CRESWELL, J. W. Projeto de pesquisa métodos qualitativo, quantitativo. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2007.

FÁVERO, L. P.; BELFIORE, P. Análise de Dados: técnicas multivariadas exploratórias. Rio de Janeiro: Elsevier, 2015.

FUNDAÇÃO CENTRO TECNOLOGICO DE MINAS GERAIS - CETEC. Determinação de equações volumétricas aplicáveis ao manejo sustentado de florestas nativas no estado de Minas Gerais e outras regiões do país. Belo Horizonte: CETEC, 1995.

GAMA, J. R. V.; BENTES-GAMA, M. de M.; SCOLFORO, J. R. S. Manejo sustentado para floresta de várzea na Amazônia Oriental. Revista Árvore, v. 29, n. 5, p. 719–729, 2005.

GIL, A. C. Como Elaborar Projetos de Pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

GUEDES, T. A. et al. Projeto de Ensino: aprender fazendo estatística, 2005. Disponível em: . Acesso em: 23 nov. 2018.

HIGUCHI, N. Utilização e Manejo dos Recursos Madeireiros das Florestas Tropicais Úmidas. Acta Amazonica, v. 24, p. 275–288, 1994.

KIM PHAT, N.; KNORR, W.; KIM, S. Appropriate measures for conservation of terrestrial carbon stocks—Analysis of trends of forest management in Southeast Asia. Forest Ecology and Management, v. 191, n. 1-3, p. 283–299, 5 abr. 2004.

KOTWAL, P. C. et al. Ecological indicators: Imperative to sustainable forest management. Ecological Indicators, v. 8, n. 1, p. 104–107, 1 jan. 2008.

MACDICKEN, K. G. et al. Global progress toward sustainable forest management. Forest Ecology and Management, v. 352, p. 47–56, 7 set. 2015.

MINGOTI, S. A. Análise de Dados Através de Métodos de Estatística Multivariada: uma abordagem aplicada. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2007.

MMA. Instrução Normativa no 5, de 11 de dezembro de 2006. Dispõe sobre procedimentos técnicos para elaboração, apresentação, execução e avaliação técnica de Planos de Manejo Florestal Sustentável-PMFSs nas florestas primitivas e suas formas de sucessão na Amazônia Legal, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasilia, 2006. Disponível em: . Acesso em: 14 out. 2018.

NOBREGA, D. M. Análise discriminante utilizando o software SPSS. 2010. 53 f. Monografia (Graduação em Estatística) – Centro de Ciências e Tecnologias, Universidade Estadual da Paraíba, Campina Grande, 2010.

PAIS, P. S. M.; SILVA, F. D. F.; FERREIRA, D. M. Enviromental Degradation in the State of Bahia: an Application of Multivariate Analysis. Revista GeoNordeste, v. 23, n. 1, p. 1–21, 2012.

PEREIRA, M. M. Manejo Florestal e Geração de Crédito de Carbono como Alternativas para a Reserva Legal na Amazônia Brasileira. 2018. 90f. Dissertação (Mestrado em Administração) - Núcleo de Ciências Sociais Aplicadas, Universidade Federal de Rondônia, Porto Velho, 2018.

PETERSSON, H. et al. Individual tree biomass equations or biomass expansion factors for assessment of carbon stock changes in living biomass – A comparative study. Forest Ecology and Management, v. 270, p. 78–84, 15 abr. 2012.

PHELPS, J.; WEBB, E. L.; AGRAWAL, A. Does REDD+ Threaten to Recentralize Forest Governance? Science, v. 328, n. 5976, p. 312 LP – 313, 16 abr. 2010.

REMPEL, R. S. et al. An indicator system to assess ecological integrity of managed forests. Ecological Indicators, v. 60, p. 860–869, 1 jan. 2016.

RICHARDSON, J. R. Pesquisa Social: métodos e técnicas. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2012.

ROLIM, S. G. et al. Modelos volumétricos para a Floresta Nacional do Tapirapé-Aquirí, Serra dos Carajás (PA). Acta Amaz., Manaus , v. 36, n. 1, p. 107-114, mar. 2006.

RONDÔNIA. Decreto no 12.447 de 10 de outubro de 2006. Institui a Gestão Florestal do Estado de Rondônia, e dá outras providências. Diário Oficial do Estado de Rondônia, Porto Velho, 2006.

ROTTA, G. W.; MICOL, L.; SANTOS, N. B. Manejo Florestal Sustentável no Portal da Amazônia: um benefício econômico, social e ambiental. 20. ed. Alta Floresta: Instituto Centro de Vida (ICV), 2006.

RUTISHAUSER, E. et al. Generic allometric models including height best estimate forest biomass and carbon stocks in Indonesia. Forest Ecology and Management, v. 307, p. 219–225, 1 nov. 2013.

SILVA, D. A. S. Manejo florestal comunitário e otimização da produção madeireira em Floresta de Várzea no Estuário do Rio Amazonas. 2018. 145f. Tese (Doutorado em Ciências Florestais) - Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife, 2018.

SILVA, L. M. Classificação de áreas de reflorestamentos mistos usando análise multivariada, em Cotriguaçu-MT. 2008. 88f. (Mestrado em Ciências Florestais e Ambientais) – Faculdade de Engenharia Florestal, Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, 2008.

SOTIROV, M. et al. Do forest policy actors learn through forward-thinking? Conflict and cooperation relating to the past, present and futures of sustainable forest management in Germany. Forest Policy and Economics, v. 85, p. 256–268, 1 dez. 2017.

SOUZA, A. L. Análise multivariada para manejo de florestas naturais: alternativas de produção sustentada de madeiras para serraria. 1989. 270f. Tese (Doutorado em Ciências Florestais) - Setor de Ciências Agrárias, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 1989.

SOUZA, A. L. et al. Análises Multivariadas para Manejo de Floresta Natural na Reserva Florestal de Linhares, Espírito Santo: análises de agrupamento e discriminante. Revista Árvore, v. 14, n. 2, p. 85–101, 1990.

SOUZA, A. L. et al. Estratificação Volumétrica por Classes de Estoque em uma Floresta Ombrófila Densa, no Município de Almeirim, Estado do Pará. Revista Árvore, v. 38, n. 3, p. 533–541, 2014.

SOUZA, A. L.; SOUZA, D. R. Análise multivariada para estratificação volumétrica de uma floresta ombrófila densa de terra firme, Amazônia Oriental. Revista Árvore, v. 30, n. 1, p. 49–54, 2006.

SPITTLEHOUSE, D.; STEWART, R. B. Adaptation to climate change in forest management. British Columbia Journal of Ecosystems and Management, v. 4, p. 1–11, 2003.

STANLEY HOLLING, C. Understanding the Complexity of Economic, Ecological, and Social Systems. ECOSYSTEMS, v. 4, p. 390–405, 2001.

SUTTERLÜTY, A. et al. Influence of the geographical scope on the research foci of sustainable forest management: Insights from a content analysis. Forest Policy and Economics, v. 90, p. 142–150, 1 maio 2018.

THAINES, F. et al. Equações para estimativa de volume de madeira para a região da bacia do Rio Ituxi, Lábrea, AM. Pesquisa Florestal Brasileira, v. 30, n. 64, p. 283–289, 27 nov. 2010.

THOMAS, C. et al. Comparação de equações volumétricas ajustadas com dados de cubagem e análise de tronco. Ciencia Florestal, v. 16, n. 3, p. 319 – 327, 2006.

XIMENES, L. C. Avaliação de métodos de agrupamento para a classificação da capacidade produtiva de um trecho da Floresta Nacional do Tapajós – PA. 2017. 72f. Dissertação (Mestrado em Ciência Florestal) - Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri, Diamantina, 2017.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv5n10-095

Refbacks

  • There are currently no refbacks.