Capacitação dos agentes comunitários de saúde para o acolhimento com classificação de risco na unidade básica de saúde / Training of community health agents for welcome with risk classification in the basic health unit

Maria Moreira Scarpellino, Fernanda Beatriz Galvani, Antônio Régis Coelho Guimarães, Giovana Bertoni Palis Samora, Rafael Pereira Amorim, Marcos Leandro Pereira, Marilene Rivany Nunes, Jonatha Cajado Menezes

Abstract


A Atenção Primária à Saúde (APS) é a principal porta de entrada do Sistema Único de Saúde (SUS) e, por isto, grande parte dos agravos devem ser acolhidos e satisfeitos na atenção básica. Toda demanda apresentada pelo usuário deve ser acolhida, escutada, problematizada, reconhecida como legítima. Desta forma, todos os funcionários da Unidade Básica de Saúde (UBS) devem ser capazes de realizar o acolhimento e identificar, dentre às demandas, situações de maior risco ou que geram maior sofrimento ao doente. Através de estudo transversal, de campo, descritivo, exploratório com abordagem quantitativa e intervencionista, o presente projeto teve por finalidade realizar a capacitação das Agentes Comunitárias de Saúde da UBS Padre Eustáquio, em Patos de Minas-MG, quanto a estratificação de risco dos pacientes no acolhimento da APS. Além disso, foram realizados questionários pré e pós aplicação do projeto com intuito de avaliar se houve impacto positivo após a intervenção. Através de análise dos dados obtidos pelos questionários, percebe-se maior pontuação média nos questionários aplicados após as intervenções, o que corrobora a importância da educação continuada, possível perceber pelo acréscimo que houve aos conhecimentos do grupo.


Keywords


Acolhimento, Atenção Primária, Demanda espontânea.

References


ANDRADE, L. O. M. de et al. A Estratégia Saúde da Família. In: DUNCAN, B. B.; SCHMIDT, M. I.; GIUGKIANI, E. R. J. Medicina ambulatorial: condutas de Atenção Primária baseadas em evidências. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2004. cap. 07, p. 88-99.

AZEVEDO, A. L. M.; COSTA, A. M. A estreita porta de entrada do Sistema Único de Saúde (SUS): uma avaliação do acesso na Estratégia de Saúde da Família. Interface: Comunicação, Saúde, Educação, Botucatu/SP, v. 14, n. 35, p. 797-810, out./dez. 2010.

Brasil. Ministério da Saúde (MS). Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde. Departamento de Gestão e educação na Saúde. Perfil de competências profissionais do Agente Comunitário de Saúde (ACS). Brasília: Ministério da Saúde; 2003.

BRASIL. Ministério da Saúde. Cadernos de Atenção Básica. Acolhimento à demanda espontânea; n. 28, v. I. p. 13-48. Brasília: Ministério da Saúde, 2013. (a)

BRASIL. Ministério da Saúde. Cadernos de Atenção Básica. Acolhimento à demanda espontânea; n. 28, v. II. p. 15-23. Brasília: Ministério da Saúde, 2013. (b)

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde. Departamento de Gestão da Educação na Saúde. Política Nacional de Educação Permanente em Saúde: o que se tem produzido para o seu fortalecimento? – Brasília: Ministério da Saúde, 2018.

CAMPINAS, Prefeitura; UNICAMP, Escola de Extensão da Unicamp e a Escola de Governo e Desenvolvimento do Servidor (EGDS); Gestão Estratégica Pública; 2005.

CORDIOLLI, S.; Enfoque Participativo do Trabalho com grupos. In: Markus Brose (org.)

Metodologia Participativa. Uma Introdução a 29 instrumentos. Porto Alegre: Tomo Editorial, 2001.

COSTA, S. M.; et al; Agente Comunitário de Saúde: elemento nuclear das ações em saúde. Revista Ciência de saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 18, n. 7. Disponível em: .

FRANCO, T. B., BUENO, W. S., & MERHY, E. E.; O Acolhimento e os processos de trabalho em saúde: o caso de Betim, Minas Gerais, Brasil. Cadernos de Saúde Pública, V.15(2) (2003).

MARTINS, E. B. C.; Educação e serviço social: elo para a construção da cidadania [online]. São Paulo: UNESP. 2012.. Disponível em SciELO Books.

MOTTA, B. F. B.; PERUCCHI, J.; FILGUEIRAS, M. S. T.; O acolhimento em saúde no Brasil: uma revisão sistemática de literatura sobre o tema. Revista da Sociedade Brasileira de Psicologia Hospitalar, V.17, N1; Rio de Janeiro; Junho 2014.

NESTEL, D.; TIERNEY, T.; Role-play para estudantes de medicina aprendendo sobre comunicação. BMC Educação Médica, 2007.

RABELO, L.; GARCIA, V. L.; Role-Play para o Desenvolvimento de Habilidades de Comunicação e Relacionais; Revista Brasileira de Educação Médica 587 39 (4) : 586 – 596 ; 2015.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n10-011

Refbacks

  • There are currently no refbacks.