Ensino da língua brasileira de sinais – libras para estudantes surdos e ouvintes do ensino fundamental / Teaching the brazilian language of signs – libras for deaf and listening students of elementary education

Maristela Gardênia Alves de Sousa, Lenilda de Araújo Silva, Roselma da Silva Feitosa Milani

Abstract


O relato de experiência apresenta práticas do ensino da Língua Brasileira de Sinais – LIBRAS para estudantes surdos e ouvintes do ensino fundamental da escola de Educação em Tempo Integral, localizada no município de Canaã dos Carajás – PA. Contextualiza a garantia de oportunidades promovidas pela escola para que o ensino da LIBRAS estabeleça uma comunicação entre surdos e ouvintes que utilizam esta língua, promovendo o protagonismo estudantil na construção do processo de ensino e aprendizagem com atividades que, efetivamente, são correlatas às necessidades e potencialidades dos estudantes de forma dinâmica, interativa e inclusiva, tendo como ponto de partida a comunicação. Este estudo revela que é possível garantir que a escola com currículo trilíngue: Língua Portuguesa, Língua Inglesa e Língua Brasileira de Sinais. Embora, neste caso discorreremos apenas da LIBRAS, que tem gerado possiblidade de igualdade de direitos da comunicação, inclusão e equidade.

 

 


Keywords


LIBRAS, Educação em Tempo Integral e Inclusão.

References


ARISTÓTELES. (384-322 a.C.)" em Só Filosofia. Virtuous Tecnologia da Informação, 2008-2020. Consultado em 22/03/2020 às 22:19. Disponível na Internet em http://www.filosofia.com.br/bio_popup.php?id=59

BRASIL. Lei nº 10.436/ 2002. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais e dá outras providências. Diário Oficial da União. Brasília, 25 de abril de 2002. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2002/l10436.htm. Acesso 22 fev. 2020.

______. Decreto Federal nº 5.626/2005. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2005/Decreto/D5626.htm. Acesso em: 22 fev. 2020.

_______. Projeto de Lei n.º 562/2019 que acrescenta o art. 26-B à Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional nº 9.394/1996. Câmara dos Deputados.

CANAÃ DOS CARAJÁS: Lei Municipal nº 679/2015. Plano Municipal de Educação – PME. Decênio 2015 – 2025 e dá outras providencias.

CARVALHO, P.V. artigo científico O Abade de L’Epée no Século XXI. Disponível em < htts//www.porsinal.pt> acesso em 23 de março de 2020

__________________. Lei Municipal nº 544/2012. Portal da transparência. Disponível em http://canaadoscarajas.pa.gov.br/transparencia/leis-decretos. Acesso em: 22 fev. 2020.

__________________. Decreto Municipal nº 283/2008. Portal da transparência. Disponível em http://canaadoscarajas.pa.gov.br/transparencia/leis-decretos. Acesso em: 22 fev. 2020.

_________________. Lei Municipal nº 868/2019. Portal da transparência. Disponível em http://www.diariomunicipal.com.br/famep. Acesso em: 22 fev. 2020.

FERNANDES, Sueli. Educação de surdos. 2 ed. Atual. Curitiba ibpex. 2011.

MOLL, Jaqueline. Da crise da escola e de seu re(encontro) com a vida. In Jornada de Educação Popular: pelo encontro da escola com a vida. Porto Alegre, Editora UFRGS, 2007.

PARÁ. Resolução nº 001/2010. Conselho Estadual de Educação. Disponível http://www.cee.pa.gov.br/sites/default/files. Acesso em 22 fev. 2020.

SILVA, Edvaldo; CAMPOS, Marineide. O percurso dos Surdos na história e a necessidade da Língua para a inclusão do Sujeito na escola. Disponível em 22 de fev.2020https://www.editorarealize.com.br/revistas/joinbr/trabalhos/TRABALHO_EV08_ MD1_SA144_ID1281_12092017192714.pdf. Acesso em 22/03/2020 às 22:19.

SILVA. Luis Eron da. Reestruturação Curricular: novos mapas culturais, novas perspectivas educacionais. Porto Alegre: sulina, 1996.

STROBEL. K. História da educação de surdos. (2009). Disponível em

http://www.libras.ufsc.br/colecaoLetrasLibras/eixoFormacaoEspecifica/historiaDaEduca caoDeSurdos/assets/258/TextoBase_HistoriaEducacaoSurdos.pdf. Acesso em: 22 fev. 2020.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n10-044

Refbacks

  • There are currently no refbacks.