Conhecimento dos estudantes de medicina sobre amamentação / Medical students' knowledge about breastfeeding

Bianca Sanches Rodrigues Marquezine, Allana Costa Mantovani, Carla Fabiana Souza Guazelli, Paula Fernandes Chadi, Camila Marroni Roncon Picolo

Abstract


A amamentação é fundamental para as crianças e para as mães. Porém, a baixa prevalência do aleitamento materno exclusivo é um problema preocupante e, na maioria dos casos, o desmame precoce ocorre devido à pouca ou nenhuma informação obtida pela mãe. Os estudantes de medicina, assim como os demais profissionais da saúde, têm um papel importante na promoção do conhecimento, orientação e conscientização da população, incluindo as gestantes e seu círculo de apoio. Sendo assim, o objetivo deste projeto foi avaliar o conhecimento dos estudantes de medicina da Fundação Educacional do Município de Assis (FEMA) sobre amamentação. Trata-se de um estudo observacional descritivo. Para tanto, elaborou-se um questionário para coleta de dados online baseado nas orientações do caderno da atenção básica n. 23 do Ministério da Saúde (2015). Os estudantes receberam uma carta convite via e-mail da coordenação do curso de medicina para participarem da pesquisa. Após aceitarem o termo de consentimento, responderam o questionário online autoexplicativo, disponível na plataforma formulários Google, composto por dados para caracterização dos participantes e 18 afirmações sobre amamentação a serem julgadas, sem consulta, como verdadeiras, falsas ou “não sei” pelos alunos. Dessa forma, conseguimos identificar as lacunas de conhecimento entre eles para planejarmos intervenções de maneira consistente e continuada ainda durante a graduação.


Keywords


Amamentação, gestantes, estudantes de medicina, educação em saúde.

References


ARAÚJO, T.M.S. et a.l Modelos de avaliação da aprendizagem utilizados em um mestrado profissional em saúde. Revista Brazilian Journal of Development., curitiba, v. 6, n. 6, p. 33829-33842, jun. 2020. Disponível em: https://www.brazilianjournals.com/index.php/BRJD/article/view/11066. DOI:10.34117/BJDV6N6-075. Acesso em: 13 set. 2021.

BRASIL. Ministério da Saúde. Pesquisa de prevalência de aleitamento materno em municípios brasileiros. Brasília: Ministério da Saúde, 2010. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/pesquisa_aleitamento_municipios_brasileiros.pdf. Acesso em: 02 dez. 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Caderno 23 - Saúde da criança – aleitamento materno e alimentação complementar. 2. ed. Brasília: Ministério da Saúde, 2015. Disponível em:

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/saude_crianca_aleitamento_materno_cab23.pdf. Acesso em: 02 dez. 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Amamentação é a base da vida. Brasília: Ministério da Saúde, 2018. Disponível em: http://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2018/julho/27/Campanha-de-Amamentacao.pdf. Acesso em: 02 dez. 2020.

GARCIA, L. P. The Lancet: série sobre amamentação. Epidemiologia e Serviços de Saúde, v. 25, n. 1, p. 203-204, 2016. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2237-96222016000100203&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 02 dez. 2020.

ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE. OMS e UNICEF lançam novas orientações para promover aleitamento materno em unidades de saúde de todo o mundo, 2018. Disponível em: https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=5631:oms-e-unicef-lancam-novas-orientacoes-para-promover-aleitamento-materno-em-unidades-de-saude-de-todo-o-mundo&Itemid=820. Acesso em: 02 dez. 2020.

SILVA, D. P. et al. Aleitamento materno: causas e consequências do desmame precoce. Revista Unimontes Científica, v. 19, n.2, 2017. Disponível em: http://ruc.unimontes.br/index.php/unicientifica/article/view/489/454. Acesso em: 03 dez. 2020.

UFRJ. Universidade Federal do Rio de Janeiro. Estudo Nacional de Alimentação e Nutrição Infantil – ENANI-2019: Resultados preliminares – Indicadores de aleitamento materno no Brasil. UFRJ: Rio de Janeiro, 2020. Disponível em: https://enani.nutricao.ufrj.br/wp-content/uploads/2020/08/Relatorio-preliminar-AM-Site.pdf. Acesso em: 03 dez. 2020.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n10-047

Refbacks

  • There are currently no refbacks.