Utilização de ações de extensão como forma alternativa para desenvolvimento de atividades de ensino / Use of extension actions as an alternative way to develop teaching activities

Débora Trota de Farias Albernaz, Adriana Lourenço da Silva, Giovana Duzzo Gamaro

Abstract


Atividades lúdicas vêm sendo utilizadas como recurso auxiliar na aprendizagem uma vez que estimulam a motivação dos alunos no ato de aprender. Quando o aluno experimenta atividades diferentes das habituais em forma de brincadeira ou jogo ocorre estímulo de áreas cerebrais relacionadas ao desenvolvimento de diferentes habilidades tais como físicas, emocionais e

cognitivas.

O objetivo do presente trabalho é relatar as experiências obtidas em oficinas desenvolvidas, nas escolas das redes estadual e municipal de Pelotas, pelo projeto de extensão Descobrindo a Ciência na Escola da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) bem como, a recepção e o aproveitamento dos alunos diante da exposição às mesmas. Participaram da ação alunos provenientes de escolas da rede pública da cidade de Pelotas dos 6°, 7° e 9°anos. As oficinas eram compostas por atividades na forma de jogos, vídeos de atenção e enigmas matemáticos.

De forma geral os alunos se sentiram motivados e gostaram das atividades propostas. Porém foi possível observar diferenças em relação a área de interesse dos alunos. A turma do 7º ano preferiu a atividade de vídeo em que o objetivo era estimular a atenção em relação a uma tarefa específica. A tarefa proposta era desvendar um crime. Em contraste aos alunos do 9°ano que preferiram as atividades práticas, como os jogos de em equipe e ao ar livre. O presente trabalho demonstrou que levando em conta as peculiaridades de cada turma é possível o desenvolvimento de atividades diferenciadas no

cotidiano escolar. Os resultados indicaram que alunos gostaram das atividades de jogos. Além disso foi possível observar por meio da análise dos questionários que a maioria dos alunos aprendeu sobre os temas abordados nas oficinas. Desta forma podemos conluir que atividades na forma de jogos

podem ser utilizadas como ferramenta auxiliar para os professores no processo de ensino, uma vez que favorecem a apropriação do conhecimento pelos alunos.

 

 


Keywords


neuroeducação, atividades lúdicas, neurociência, aprendizagem.

References


BOCK, A. M. B.; Ana M. Bahia (org). Psicologias: uma introdução ao estudo de Psicologia. 13ª ed. São Paulo: Saraiva, 1999.

BORUCHOVITCH, E.; BZUNECK, J. A. (orgs.). A motivação do aluno: contribuições da psicologia contemporânea. 3. ed. Petrópolis: Vozes, 2004.

COSENZA, Ramon; GUERRA, Leonor. Neurociência e Educação. Porto Alegre: ArtMed, 2011.

DUNCAN, M.T. Obtenção de dados normativos para desempenho no teste de Stroop num grupo de estudantes do ensino fundamental em Niterói. J Brás Psiquiatr; 55:42-48, 2006

MANFIO, V; AGUIAR, É; ALONSO, K; CORDÃO, L. Importância de jogar. Segredos da mente: SUPER CÉREBRO, Editora Alto astral, São Paulo, v.2, nº3, p.27-p.29, 2015.

MONTAGNERO, A. V; LOPES, E.J.; GALERA, C. RELAÇÃO ENTRE TRAÇOS DE ANSIEDADE E ATENÇÃO ATRAVÉS DE TAREFAS DE STROOP.Revista Brasileira de Terapia Comportamental. v.10. nº.2. São Paulo, dez. 2008.

RACHID, I. Construindo a excelência em gestão escolar: curso de aperfeiçoamento: Módulo VIII – O impacto da neurociência na sala de aula/ Secretaria de Educação. – Recife: Secretaria da Educação do Estado, 2012.

SANTOS, Simone Cardoso. A Importância do Lúdico no Processo Ensino aprendizagem. 2010. 50 f. Monografia (Especialista em Gestão Educacional)- Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2010.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv5n10-103

Refbacks

  • There are currently no refbacks.