Experiência do serviço de Uro-Oncologia do hospital regional do oeste de Santa Catarina no tratamento de neoplasias renais malignas com invasão vascular / Experience of the Uro-Oncology service of the west regional hospital of Santa Catarina in the treatment of malignant renal neoplasms with vascular invasion

Marcelo Zeni, Júlia Vicenzi Carminatti, Débora Giacomin

Abstract


Introdução: o carcinoma de células renais é o sétimo tipo histológico de câncer mais prevalente no mundo ocidental. A faixa etária mais acometida é de 60 e 70 anos, ocorre maior prevalência no sexo masculino e a variante mais comum é a de células claras. Destaca-se o tropismo das neoplasias renais malignas pela invasão vascular, o que ocorre em 4% a 10% dos casos. Objetivo: descrever o perfil epidemiológico e anatomopatológico encontrado nas neoplasias renais malignas com invasão vascular de pacientes tratados em um serviço de atendimento terciário na região Oeste de Santa Catarina. Materiais e Métodos: estudo observacional descritivo com delineamento retrospectivo baseado na análise dos prontuários dos pacientes atendidos no ambulatório de uro-oncologia da Unidade de Alta Complexidade em Oncologia (UNACON) de um hospital da região Oeste de Santa Catarina, no período de 2013 a 2018. Resultados: neste período foram identificados 64 pacientes com diagnóstico de neoplasia renal maligna, sendo que 10 (15,6 %) apresentaram invasão vascular. A grande maioria dos casos era do sexo masculino (67,2%) e a idade média foi de 61,4 anos. O estudo histopatológico descreveu a presença carcinoma de células claras em 48 pacientes com tumor unilateral e o grau nuclear de Fuhrman 2 estava presente em 28 amostras. Dentre as variáveis analisadas obteve-se diferença significativa nas variáveis de tempo cirúrgico, tamanho tumoral e grau nuclear de Fuhrman e de complicação cirúrgica, sendo que todas se mostraram superiores no grupo com invasão vascular. Conclusão: Os achados do presente estudam apresentam concomitância com a literatura atual que descreve o comportamento tumoral agressivo nos portadores desta característica e da necessidade de abordagens mais invasivas como intenção terapêutica. Pode-se depreender que a presença de uma equipe multidisciplinar (vascular e urológica) surge como um ponto de viragem na obtenção do sucesso na terapêutica e melhora prognóstica subsequente.


Keywords


Carcinoma de células renais, Nefrectomia, Epidemiologia.

References


AREDE, A. J. A. Fatores de Prognóstico do Carcinoma das Células Renais. 2014. 91 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Medicina, Serviço de Urologia do Centro Hospitalar da Universidade de Coimbra, Universidade de Coimbra, Coimbra, 2014.

ARES VALDES, Y. Correlation between symptoms and survival in patients with renal cell carcinoma. Arch. Esp. Urol., v. 62, n. 3, p. 201-206, abr. 2009.

BULNES VÁZQUEZ, V. et al. Características clínico-patológicas del carcinoma de células renales detectado incidentalmente mediante estudios radiológicos. Actas Urol Esp., v. 32, n. 10, p. 976-984, dez. 2008.

DALL'OGLIO, M. et al . Carcinoma de células renais incidentais e sintomáticos: fatores patológicos e sobrevida. Rev. Assoc. Med. Bras., São Paulo, v. 50, n. 1, p. 27-31, 2004.

ESCUDIER, B.; KATAJA, V. Renal cell carcinoma: ESMO Clinical Practice Guidelines for diagnosis, treatment and follow-up. Annals of Oncology, v. 21, n. 5, p. 137-139, 2010.

FIGLIUOLO, G. et al. Estudo Epidemiológico Sobre Câncer Renal para Conhecimento de sua Incidência no Estado do Amazonas. Urominas - Revista Científica de Urologia da SBU - MG, v. 3, p. 19-24, 2016.

FIGUEIREDO, A.; PARADA, B.; NUNES, P. Terapêutica Cirúrgica. In: Recomendações clínicas no tratamento do carcinoma de células renais. 1 . ed. [s.l.]: Grupo Portugue?s Ge?nito-Urina?rio. 2015. p. 79-92.

FINLEY, D. S.; PANTUCK, A. J.; BELLDEGRUN, A. S. Tumor Biology and Prognostic Factors in Renal Cell Carcinoma. The Oncologist, v. 16, n. 2, p. 4-13, fev. 2011.

FUHRMAN, S. A.; LASKY, L.C; LIMAS, C. Prognostic significance of morphologic parameters in renal cell carcinoma. Am J Surg Pathol., v. 6, n. 7, p. 655-663, 1982.

GILL, I. S. et al. Comparison of 1,800 laparoscopic and open partial nephrectomies for single renal tumors. J Urol., v. 178, n. 1, p. 41- 46, 2007.

GIMENEZ BACHS, J. M. et al. Supervivencia en relación a los factores pronóstico en una serie de pacientes con carcinoma de células renales. Arch. Esp. Urol., v. 60, n. 10, p. 1167-1174, dez. 2007.

JEFFREY, H. et al. ACR Appropriateness Criteria. American College of Radiology, 2015.

LJUNGBERG, B. et al. EAU guidelines on renal cell carcinoma: the 2010 update. Eur Urol., v. 58, n. 3, p. 398-406, set. 2010.

MANASSERO F. et al. Renal cell carcinoma with caval involvement: contemporary strategies of surgical treatment. Urol Oncol., v. 6, n. 9, p. 745-50, nov. 2009.

MUGLIA, V. F.; PRANDO, A. Carcinoma de células renais: classificação histológica e correlação com métodos de imagem. Radiol Bras., São Paulo, v. 48, n. 3, p. 166-174, jun. 2015.

NARDI, A. C. et al. Epidemiologic characteristics of renal cell carcinoma in Brazil. Int. braz j urol., Rio de Janeiro, v. 36, n. 2, p. 151-158, abr. 2010.

NOVARA, G. et al. Grading systems in renal cell carcinoma. J Urol., v. 177, n. 2, p. 430-436, fev. 2007.

PINHEIRO, A. M. A. Carcinoma de células renais com trombo venoso tumoral: casuística de 4 anos no HSM. 2016. 23 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Medicina, Servic?o de Urologia do Centro Hospitalar Lisboa Norte da Universidade de Lisboa, Universidade de Lisboa, Lisboa, 2016.

SOUZA, O. E. R. de. Neoplasias renais em nefrectomias realizadas no peri?odo de 1990 a 2006 na Universidade Federal do Tria?ngulo Mineiro. 2008. 91f. Dissertac?a?o (Mestrado) - Curso de Po?s-graduac?a?o em Patologia, A?rea de Concentrac?a?o Patologia Geral da Universidade Federal do Tria?ngulo Mineiro, Universidade Federal do Tria?ngulo Mineiro, Uberaba, 2008.

TIAGO, J. et al. Abordagem cirúrgica multidisciplinar como melhor opção terapêutica no carcinoma de células renais com envolvimento vascular. Angiologia e Cirurgia Vascular, v.154, n. 10, p. 186-191, jan. 2014.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n10-96

Refbacks

  • There are currently no refbacks.