Contribuições da musicoterapia para Recém-Nascidos na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal: revisão integrativa da literatura / Contributions of music therapy to newborns in the Neonatal Intensive Care Unit: an integrative literature review

Marciele de Lima Silva, Mariana Pereira Barbosa Silva, Airton César Leite, Maria Vitalina Alves de Sousa, Fabiana Souza Oliveira, Suely Aragão Azevêdo Viana, Layanne Cavalcante de Moura, Ramires dos Santos Moraes, Débora Miranda Dias, Gustavo Baroni Araujo, Nathália Menezes Dias, Joelma Maria dos Santos da Silva Apolinário, Jéssica Nunes Afonso, Nayara Silva Abrantes, Fernanda Mardegan Veríssimo, Emilia Gama de Almeida

Abstract


A imaturidade de órgãos e de sistemas vitais torna os recém-nascidos (RNs) vulneráveis e mais susceptíveis ao desenvolvimento de complicações na sua saúde. Sendo assim, a musicoterapia vem sendo explorada como método não farmacológico e não convencional de induzir nos seres humanos alterações psicológicas e fisiológicas, contribuindo positivamente no desenvolvimento cognitivo, melhorando as condições de saúde de maneira holística, além de minimizar os efeitos deletérios de alguns procedimentos invasivos e enfermidades. Nesse sentido, o presente estudo teve como objetivo descrever os benefícios da musicoterapia para os RN na unidade de terapia intensiva. Trata-se de um estudo descritivo, do tipo revisão integrativa de literatura, de caráter qualitativo. Entre os resultados do estudo, destacam-se: recuperação da auto confiança e auto estima, alívio do estresse, conforto, redução da ansiedade e angústia, melhora no humor. A musicoterapia e a estimulação musical vêm se destacando nas últimas décadas por revelar benefícios para os bebês pré-termo e suas famílias. A internação na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTI) impacta de forma negativa o RN. O uso da musicoterapia em uma UTIN é um processo importante para a melhoria da qualidade no atendimento ao prematuro, pois estão aliadas com segurança e cuidados prestados da atuação profissional. Diante disso, notou-se no estudo que a musicoterapia reduz as variáveis relacionadas à dor e estresse em recém-nascidos prematuros. No entanto, vale ressaltar que há necessidade de novos estudos com metodologias criteriosas, a fim de contribuir para o bem-estar e o conforto neonatal.


Keywords


Musicoterapia, Neonatalogia, Unidade de terapia intensiva.

References


BERNARDINO, M. P. L. et al. A teoria de Callista Roy e sua aplicabilidade em intervenção com o uso da música na unidade de terapia intensiva neonatal: uma reflexão. Revista Eletrônica Acervo Saúde, v. 10, n. 1, p. 1893-1897, jun. 2018.

FERREIRA, K. S.; SILVA, J. P.; MACIEL, D. M. V. L. Estratégias de intervenção precoce em recém-nascidos prematuros na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal: uma revisão de literatura. Scire Salutis, v. 8, n. 2, p. 62-75, 2018.

FREITAS, L. R. et al. Musicoterapia: Alicerce à terapêutica e estratégia de atendimento humanizado. Revista De Saúde, v. 8, n. 1 S1, p. 116-117, ago. 2017.

FREITAS, Z. M. P; PEREIRA, C. U.; OLIVEIRA, D. M. P. Medidas preventivas não farmacológicas para o alívio da dor neonatal. Enfermagem Brasil, v. 10, n. 3, p. 186-190, 2020.

NOGUEIRA, D. L. et al. Influência da redeterapia no comportamento de recém-nascidos prematuros. CIAIQ2018, v. 2, 2018.

PALAZZI, A. Contribuições da musicoterapia para a díade mãe-bebê pré-termo na UTI Neonatal. 2016.136 f. Dissertação (Mestrado). Pós-Graduação em Psicologia. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2016.

PALAZZI, A.; MESCHINI, R.; PICCININI, C. A. Intervenção musicoterápica para mãe-bebê pré-termo: uma proposta de intervenção na UTI neonatal. Psicol. Estud., v. 24, e41123, 2019.

RODRIGUES, D. I. S. et al. A utilização da musicoterapia na assistência ao prematuro internado em unidade de terapia intensiva neonatal: uma revisão bibliográfica. Revista Científica FAGOC-Saúde, v. 3, n. 1, p. 67-73, 2018.

SANTOS, L. F. et al. Forças que interferem na maternagem em unidade de terapia intensiva neonatal. Texto & Contexto - Enfermagem [online], v. 26, n. 3, e1260016, 2017.

SOUSA, D. S. et al. Morbidade em recém- nascidos prematuros de extremo baixo peso em unidade de terapia intensiva neonatal. Rev. Bras. Saúde Matern. Infantil, v. 17, n. 1, p. 139-147, jan-mar., 2017.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n10-150

Refbacks

  • There are currently no refbacks.