Análise espacial da taxa de mortalidade infantil no Paraná/ Space analysis of child mortality rate in Paraná

Tiago Marcello, Irides Aparecida Cavalari, Manoela de Carvalho, Adilson Carlos da Rocha, Franciele Ani Caovilla Follador, Ana Paula Vieira, Guilherme Welter Wendt, Gerson Henrique da Silva, Lirane Elize Defante Ferreto

Abstract


Objetivo: Analisar a distribuição espacial da taxa de mortalidade infantil associada às variáveis socioeconômicas no Paraná para o ano de 2010, e identificar os municípios que estão correlacionados no espaço. 

Métodos: Estudo ecológico e exploratório realizado com 399 municípios paranaenses. Foram obtidos, do Departamento de Informações e Informática do Sistema Único de Saúde (Datasus), dados sobre mortalidade infantil no estado do Paraná no ano de 2010 e do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (IPARDES) os dados referentes ao índice de Gini que mensura desigualdades sociais e do nível de concentração de renda. Foram calculadas as taxas de mortalidade por 1000 nascidos vivos (NV). Por meio da aplicação da metodologia de análise espacial utilizando o programa computacional Geoda 1.10, verificou-se a associação entre taxa de mortalidade infantil e variáveis socioeconômicos distribuídas no território do estado do Paraná.

Resultados: A taxa média de mortalidade infantil no Paraná foi de 12,71 por mil NV ± 11,78. O I de Moran bivariado global, ao correlacionar a taxa de mortalidade infantil para as variáveis taxa de pobreza e índice de GINI, foi de (0,121 e 0,085) e com o Índice de Desenvolvimento Humano foi de -0,104. Os melhores resultados da correlação espacial foram evidenciados nas regiões Norte, Central, Noroeste e Oeste. Os resultados da pesquisa apontam uma semelhança de correlação espacial abrangendo as mesmas mesorregiões do Paraná para as variáveis taxa de pobreza, índice de GINI e IDH, sendo a região Centro-Sul paranaense a mais deficitária.

Conclusão: Com os resultados das análises obtidas neste estudo, é possível aos gestores municipais implantarem políticas para redução da mortalidade infantil e bem-estar da população paranaense.


Keywords


Mortalidade Infantil. Epidemiologia. Análise Espacial

References


ALMEIDA, Eduardo Simões de; PEROBELLI, Fernando Salgueiro; FERREIRA, Pedro Guilherme Costa. Existe convergência espacial da produtividade agrícola no Brasil?. Revista de Economia e Sociologia Rural, v. 46, n. 1, p. 31-52, 2008.

ALMEIDA, Eduardo. Econometria espacial aplicada. Campinas: Alínea, p. 498 2012.

ANSELIN, Luc. Local indicators of spatial association – LISA. Geographical Analysis, v. 27, n. 2, abril. p. 93-115, 1995.

BARROS, Fernando. C. et al. Recent trends in maternal, newborn, and child health in Brazil: progress toward Millennium Development Goals 4 and 5. American Journal of Public Health, Washington, DC, v. 100, n. 10, p. 1877-1889, 2010.

CARETI, Camila Marques; SCARPELINI, Ana Helena Parra; FURTADO, Maria Cândida de Carvalho. Perfil da Mortalidade Infantil a partir de investigações de óbitos. Revista Eletrônica de Enfermagem, v. 16, n. 2, p. 352-360, abr./jun. 2014.

FOX, Jonathan. Public health, poor relief and improving urban child mortality outcomes in the decade prior to the new deal. Max Planck Institute for Demographic Research, Rostock, Germany, 2011.

IPARDES. Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social. Leituras Regionais: Mesorregião Geográfica Centro-Sul Paranaense. Curitiba: IPARDES: BRDE, 2004.

IPARDES. Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social. Disponível em: Acesso em 12 de Agosto 2017.

KIHAL-TALANTIKITE, Wahida et al. An exploratory spatial analysis to assess the relationship between deprivation, noise and infant mortality: an ecological study. Environmental Health, v. 12, n. 1, p. 109, 2013.

KIM, Daniel; SAADA, Adrianna. The social determinants of infant mortality and birth outcomes in Western developed nations: a cross-country systematic review. International journal of environmental research and public health, v. 10, n. 6, p. 2296-2335, 2013.

KUMAR, Kaushalendra et al. Public health spending and infant and child mortality in India: a state-year panel analysis. Munich Personal RePec Archive, 2013.

LAKEW, Yihunie et al. Geographical variation and factors influencing modern contraceptive use among married women in Ethiopia: evidence from a national population based survey. Reproductive health, v. 10, n. 1, p. 52, 2013.

OLDS, David L. et al. Effect of home visiting by nurses on maternal and child mortality: results of a 2-decade follow-up of a randomized clinical trial. JAMA pediatrics, v. 168, n. 9, p. 800-806, 2014.

PADILLA, Cindy M. et al. Cluster analysis of social and environment inequalities of infant mortality. A spatial study in small areas revealed by local disease mapping in France. Science of the total environment, v. 454, p. 433-441, 2013.

PAIXÃO, Adriano Nascimento; FERREIRA, Taissa. Determinantes da mortalidade infantil no Brasil. Informe Gepec, v. 16, n. 2, p. 6-20, 2012.

SIMAO, Razão; GALLO, Paulo Rogério. Mortes infantis em Cabinda, Angola: desafio para as políticas públicas de saúde. Revista Brasileira de Epidemiologia, v. 16, n. 4, p. 826-837, 2013.

SINGH, Abhishek et al. Infant and child mortality in India in the last two decades: a geospatial analysis. PLoS One, v. 6, n. 11, p. e26856, 2011.

VEDOVATO, Maria Aparecida; LOURENÇO, Roberto Wagner; CORDEIRO, Maria Rita Donalisio. Análise espacial da Mortalidade Infantil e suas a relações socioambientais em área urbana. Revista Sociedade & Natureza, v. 23, n. 3. 2011.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv5n10-127

Refbacks

  • There are currently no refbacks.