Influência do ruído na valoração de imóveis urbanos / Noise influence on urban real estate valuation

Amanda Cossich Teixeira, Paulo Fernando Soares, Márcia Marcondes Altimari Samed

Abstract


Em áreas urbanas, os maiores níveis de pressão sonora são encontrados em locais adensados, onde a geometria urbana é verticalizada e com atividades urbanas mais intensas, fato que acaba influenciando na valoração dos imóveis dessas regiões. Diante desse cenário, faz-se necessária a redução da poluição sonora em bairros residenciais, a fim de diminuir, ou até mesmo evitar os danos causados à saúde pelo ruído. Dessa forma, essa pesquisa buscou encontrar uma relação entre a poluição sonora e a valoração de imóveis residenciais em uma região da cidade de Maringá, PR. O estudo foi realizado no “Novo Centro”, área que apresenta uma série de edifícios residenciais, que cresce impulsionada pelos empreendimentos imobiliários. Os níveis de pressão sonora foram monitorados in loco, ao longo de quatro quadras da Avenida Advogado Horácio Raccanello Filho, que compreende altos gabaritos construtivos, caracterizando a formação de um cânion urbano. A densidade populacional, o trânsito intenso e a especulação imobiliária na região também foram objetos de estudo deste trabalho. Baseando-se no Método Comparativo de Dados de Mercado, foi utilizado o software SisDea para gerar um modelo de predição da valoração dos imóveis, por meio de regressão linear múltipla, com as variáveis comumente utilizadas e a inclusão do ruído.  Foi encontrada uma relação entre o ruído e o valor dos imóveis na região, sendo que os valores decrescem à medida que os níveis de pressão sonora aumentam, evidenciando que os apartamentos mais expostos à poluição sonora do local são menos valorizados.

 

 


Keywords


Poluição Sonora, Cânion Urbano, Mercado Imobiliário, Maringá.

References


ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 10151: Avaliação do nível do ruído em áreas habitadas visando o conforto da comunidade. Rio de Janeiro, 2000.

____. NBR 14653-1: Avaliação de bens – Procedimentos gerais. Rio de Janeiro, 2001

____ . NBR 14653-2: Avaliação de bens – Imóveis urbanos. Rio de Janeiro, 2004.

ANDRADE, C. R. M.; CORDOVIL, F. C. de S. A cidade de Maringá-PR. O plano inicial e as “requalificações urbanas”. Scripta Nova. Revista Eletrônica de Geografia y Ciencias Sociales. Barcelona: Universidad de Barcelona, v. 12, n. 270, 2008.

BISTAFA, S. R. Acústica Aplicada ao Controle de Ruído. 2. ed. São Paulo: Blucher, 2011.

DESA – Departamento dos Assuntos Econômicos e Sociais, Divisão das Nações Unidas para a População. Perspectivas da Urbanização Mundial (World Urbanization Prospects). 2014.

DIAS, R. A inauguração do novo centro de Maringá: do fetiche à carnavalização da política. Cadernos de Metodologia e Técnica de Pesquisa. Maringá: UEM, v. 5, 1994, p.25-50.

De DONATO, S. R. Estimation of the minimum integration time for determining the equivalente contínuos sound level with a given level of uncertainty considering some statistical hypotheses for road traffic. Noise Control Engineering Journal, v. 55, n. 6, 2007, p. 526-531.

GERGES, S. N. Y. Ruído: Fundamentos e Controle. 2. ed. Florianópolis: S.N.Y, 2006.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA – IBGE. 2016

INTERNATIONAL ORGANIZATION FOR STANDARDIZATION. ISO 1996/1: Description and mensurament of environmental noise. Part 1: Basic quantities and procedures. Suíça, 1982.

____. ISO 1996/2: Description and mensurament of environmental noise. Part 2: Acquisition of data pertinent to land use. Suíça, 2003.

PLANO LOCAL DE HABITAÇÃO E INTERESSE SOCIAL DO MUNICÍPIO DE MARINGÁ – PLHIS. Prefeitura Municipal de Maringá, 2010.

MACHADO, J. R. As centralidade e as (Dês)centralidades: um olhar geográfico sobre a espacialidade dos serviços da saúde na cidade de Maringá. 2004. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Estadual de Maringá, Maringá.

MACHADO, J. R.; MENDES, C. O processo de verticalização do centro de Maringá - PR. Revista Investigaciones Geográficas, Cidade do México – México, UNAM, v. 1, n.52, p. 53-71, 2003.

MARINGÁ (Câmara de Vereadores). Lei nº 34/59 de 31 de outubro de 1959. Lex: Código de Posturas e Obras de Maringá, Maringá.

MENDES, C. M. A verticalização, um dos reflexos do processo da metrópole em formação: Maringá, PR. Boletim da geografia, Universidade Estadual de Maringá (UEM). v. 10 – n. 1, p. 51 – 60, 1992.

Revista Tradição, ano XI, n 118, Maringá: agosto de 1991.

SMITH, B. J. et al,. Acoustics and Noise Control. 2. ed. Pearson. 1996.

URBAMAR – Urbanização de Maringá S.A. Março, 2005.

TEIXEIRA, S. G.; TENENBAUM, R. A. A Inovação tecnológica e os paradigmas da sustentabilidade: trajetórias na área de ruído. In: Encontro da Sociedade Brasileira de Acústica, 19, 2000, Belo Horizonte. Anais...Belo Horizonte; SOBRAC, 2000. p. 404-409.

WHO (World Health Organization). Burden of disease from enviromental noise: quantification of healthy life years lost in Europe. 2011. Copenhagem, WHO Regional Office for Europe.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv5n10-133

Refbacks

  • There are currently no refbacks.