Vamos brindar? Um estudo sobre as experiências de consumo de cervejas artesanais / Let's toast? A study on craft beer consumption experiences

Heitor de Castro Muniz, Sheila Farias Alves Garcia, Gustavo Barbieri de Lima

Abstract


A busca por novas sensações e sentimentos é um dos principais elementos motivadores do consumo de cervejas artesanais, sugerindo que, nesse nicho de mercado, o consumidor estaria inserido em um fenômeno social repleto de simbologias, com o propósito de comunicar seus valores pessoais por meio do consumo. Por decorrência, esse consumidor poderia se utilizar da posse ou consumo do produto, a cerveja artesanal, com o intuito de viver uma experiência única, repleta de significados simbólicos. Para atingir esse objetivo é provável que o comportamento ritualístico desempenhe um importante papel. Tal raciocínio, apesar de lógico sob o ponto vista teórico, necessita de evidências empíricas que o comprovem. Esse foi o propósito que orientou a realização desta pesquisa. A presente pesquisa teve como objetivo analisar o fenômeno de consumo de cervejas artesanais, a fim de compreender como os significados simbólicos envolvidos nas experiências de consumo são evidenciados pelo consumidor e qual o papel dos rituais nesse processo. Para isso, foi realizada uma pesquisa qualitativa, por meio de entrevistas em profundidade, com consumidores de cervejas artesanais. A análise do material, aportada pela visão experiencial, consumo simbólico e estudos de comportamento ritualísticos, revelou que há evidências empíricas de que o consumo de cervejas artesanais está fortemente relacionado ao consumo de elementos simbólicos e hedônicos e que os rituais (vestuário, copos, modo de servir a bebida, maneira de degustar a bebida) ocupam um importante papel nesse contexto.

 

 


Keywords


Experiências de Consumo, Consumo simbólico, Rituais de Consumo

References


ARCURI, A. O ritual de dematerialização dos objetos singularizados e a transformação da relação pessoa-objeto. São Paulo: FGV, 2016

BARDIN, L. Análise de conteúdo. 5. ed. Lisboa: Edições 70, 2008.

BELK, R. W. Extended-self in a Digital World.Journal of Consumer Research, V..40, N. 3, pp. 477-500, 2013

BELK, R. W. Possession and the extended-self. Journal of Consumer Research, V.15, N. 2. pg 139-168, 1988.

BELL, C. “Ritual Theory, Ritual Practice” Library of Congress Cataloging, 1992

CUPOLLILO, M. B. N., CASOTTI L. M, CAMPOS, R. D. Estudos de Consumo: um convite para a riqueza e para a simplicidade da pesquisa de rituais brasileiros. Revista ADM.MADE, Rio de Janeiro, ano 13, v.17, n.3, p.27-46, set/dez, 2013.

CRONIN, J. M., McCARTHY, M. B., NEWCOMBE, M. A., McCARTHY, S. N., (2014) Paradox, performance and food: managing difference in the construction of femininity, Consumption Markets & Culture, 17:4, 367-391, DOI: 10.1080/10253866.2013.872548

HOLBROOK, M., HIRSCHMAN, E. The experimental aspects of consumption: consumer fantasies, feelings, and fun.Journal of Consumer Research, 1982. In: MOWEN, J. C. e MINOR, M. S., Comportamento do consumidor, 1ª Ed., São Paulo: Prentice Hall, 2003.

MORADO, R. “Larousse da cerveja” 1ª Ed.: Editora Lafonte :São Paulo: 2009

HOLT, D. B. Why brands cause trouble? A dialectical theory of consumer culture and branding.Journal of Consumer Research. V. 3, N. 4. The University of Chicago Press: 2002

KOTLER, P.; KELLER, K. L.Administração de Marketing: A Bíblia do Marketing. 12ª Ed. São Paulo: Prentice Hall, 2006.

MALHOTRA, N. Pesquisa de marketing: uma orientação aplicada. 4ª Ed. Porto Alegre: Bookman, 2006.

MCCRACKEN, G. Culture and comsumption: a theorical account of the structure and movement of cultural meaning of consumer goods. JournalofConsumerResearch. V 13., N 1., pg 71-84, 1986.

ROOK, D. The ritual dimension of consumer behavior. Journal of Consumer Research, v.12, N.2. dez. 1985.

SILVA, M. A. R. Alimentação fora do lar como um fenômeno de consumo pós-moderno: Um estudo etnográfico. (Dissertação de Mestrado). Lavras: UFLA, 2011.

VERGARA, S. C.Projetos e relatórios de pesquisa em administração. 1ª Ed. São Paulo: Atlas: 2004.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv5n10-151

DOI (PDF (Português (Brasil))): https://doi.org/10.34117/bjd.v5i10.3771.g3571

Refbacks

  • There are currently no refbacks.